Lista 4 2011
6 pág.

Lista 4 2011


DisciplinaMacroeconomia I6.975 materiais107.332 seguidores
Pré-visualização2 páginas
1
Macroeconomia I - 4º Lista de Exercícios 
 
1. Blanchard, capítulo 14, exercícios 5, 8. 
2. Blanchard, capítulo 15, exercícios 3, 4, 5, 7. 
3. Blanchard, capítulo 16, exercícios 2, 3, 4, 5, 6, 7. 
4. Blanchard, capítulo 17, exercício 5, 6, 7. 
 
 
5. Considere uma economia descrita pelas seguintes equações: 
 
 Curva IS : )(400320 eiY pi\u2212\u22c5\u2212= 
 Curva LM : iY
P
M
\u22c5\u2212\u22c5= 2004,0 
Sabendo que : 
Oferta Monetária real : M / P = 10 
Produto Natural: Yn = 300 
Inflação Esperada : epi = 0,05 
 
a. Qual a taxa real de juro natural? 
b. Resolva o sistema para a taxa nominal de juro e para o produto. 
c. Suponha que o banco central aumente a oferta monetária real (M / P) em 
9%. Qual o efeito, no curto prazo, deste aumento sobre a taxa nominal de 
juro e sobre o produto? 
d. Suponha que a curva de Phillips dessa economia seja: 
)(001.01 nttt YY \u2212\u22c5+= \u2212pipi . Se o aumento da oferta monetária nominal se 
tornar permanente e se o produto natural for constante, qual será o seu 
efeito, no médio prazo, sobre o produto e sobre a taxa de juro nominal? 
 
 
6. Com base na estrutura a termo da taxa de juro apresentada no gráfico, 
responda as questões a seguir: 
 
 2
 
 
No início do ano t, a curva de rendimentos é representada pela linha A. 
A linha B representa a curva de rendimentos do primeiro dia do ano t+1 
 
a. No início do ano t, qual o valor presente descontado esperado de um título 
que prometa pagar R$1.000,00 ao final de três anos (em t + 3). 
b. Em t, espera-se que este título valerá quanto no final do primeiro ano (em t 
+ 1) ? 
c. Suponha que após um ano (em t+1), as condições econômicas mudem de 
tal forma que o banco central mude sua política e contraia a oferta 
monetária. A taxa de juro de curto prazo sobe e a estrutura a termo passa a 
ser representada pela linha B. Qual o valor presente descontado esperado 
deste título em t +1 ? 
 
 
7. Uma empresa está negociando a compra de uma máquina que elevaria seus 
lucros em $18.000 neste ano, e nos anos seguintes este valor aumentaria de 
acordo com a inflação esperada. A taxa de depreciação anual desta máquina é 
5% e a taxa real de juro esperada é constante e igual 5%. Calcule o valor que a 
empresa está disposta a pagar pela máquina. 
 
 
8. Um agente compra uma casa no ano 1. O aluguel (esperado) é constante ao 
longo do tempo e igual a $10.000 por ano, para sempre. A taxa de juros nominal é 
10% a.a., também constante ao longo do tempo. 
 
a) Calcule o valor fundamental da casa (assuma que o aluguel comece a ser pago 
somente a partir do ano 2). 
b) Suponha que, no ano 2, o agente receba o aluguel e espere vender a casa por 
$111.000. Qual o preço pago pela casa no ano 1? 
c) Há uma bolha especulativa neste mercado? Explique. 
15,75%
15%
15,50%
16,50%
17%
14%
15%
16%
17%
18%
19%
t t+1 t+2 t+3
re
n
di
m
e
n
to
 
%
 
a
.
a
A B
 3
Dica: para 10 << q , 
q
q
t
t
\u2212
=\u2211
\u221e
=
1
1
0
. 
 
 
9. Um indivíduo começa a trabalhar (t = 0) em uma empresa recebendo $10.000 
por ano. Um plano de carreira garante que seu salário aumente para $15.000 a 
partir do décimo ano e $40.000 a partir do vigésimo ano. Após 30 anos na 
empresa, o indivíduo se aposenta e vive por mais 10 anos com uma pensão de 
$5.000 por ano da previdência social. Não há impostos sobre a renda do trabalho. 
Em outras palavras, sua renda é: 
 
\uf8f4
\uf8f4
\uf8f3
\uf8f4
\uf8f4
\uf8f2
\uf8f1
<\u2264
<\u2264
<\u2264
<\u2264
=
4030 ,000.5$
3020 ,000.40$
2010 ,000.15$
100 ,000.10$
tse
tse
tse
tse
YLt 
 
As taxas de juros real e nominal são nulas. Além disso, a riqueza não humana em 
t = 0 é também zero. Assuma que o indivíduo prefira que seu padrão de consumo 
seja o mais suave possível ao longo do tempo. 
 
a) Calcule a riqueza total do indivíduo em t = 0. Se o indivíduo deseja manter seu 
consumo constante ao longo do tempo, quanto deve ser este nível de consumo? 
b) Calcule a poupança (diferença entre renda e consumo) em cada um dos 
subperíodos da vida deste agente. 
c) Assuma agora que o consumidor se defronte com uma restrição de crédito a 
qual o impeça de se endividar. Qual seria a trajetória do consumo ao longo do 
tempo neste caso? 
d) Suponha agora que o governo dê um subsídio de $5.000 por ano no segundo 
subperíodo (entre os anos 10 e 20) a ser financiado com um imposto de $5.000 
por ano no terceiro subperíodo (entre os anos 20 e 30). Como isto altera sua 
resposta das partes (a) e (c)? Você acha que o indivíduo seria favorável a esta 
política? Explique. 
 
 
10. ANPEC 2004: A respeito dos determinantes do consumo e do investimento, 
julgue as afirmativas: 
\u24c4 De acordo com o modelo da \u201crenda permanente\u201d, o consumo corrente 
dos indivíduos é determinado por hábitos de consumo formados ao longo do 
tempo. 
\u2460 De acordo com o modelo do \u201cciclo de vida\u201d, os indivíduos poupam a 
mesma fração de sua renda ao longo da vida. 
\u2461 A conclusão básica da teoria \u201cq\u201d, de Tobin, é que as empresas, em suas 
decisões de investimento, levam em conta a relação entre o valor de mercado do 
capital instalado (dado pelo mercado de ações) e o custo de reposição do capital. 
 4
\u2462 Caso seja válida a hipótese da \u201crenda permanente\u201d e caso as 
expectativas sejam \u201cracionais\u201d, somente mudanças inesperadas na política 
econômica poderão influenciar o consumo. 
\u2463 Segundo Keynes, embora o investimento dependa tanto da taxa de juros 
quanto das expectativas dos agentes econômicos, a volatilidade destas é a 
principal razão para a instabilidade dos investimentos. 
 
 
11. ANPEC 2005: Avalie as proposições: 
\u24c4 De acordo com a teoria do Ciclo de Vida, de Modigliani, uma elevação da 
renda permanente das famílias levará ao aumento da taxa de poupança. 
\u2460 Ainda de acordo com a teoria acima citada, é correto afirmar que um 
aumento da expectativa de vida levará a uma elevação da propensão a poupar. 
\u2461 Restrições e imperfeições no mercado de crédito corroboram os 
argumentos da teoria do Ciclo de Vida. 
\u2462 Segundo a teoria Keynesiana, o consumo é uma função da renda 
corrente e a propensão marginal a consumir é menor que a unidade. 
\u2463 Se os mercados de crédito funcionam bem, vale o dito \u201cfinancie um 
choque temporário e ajuste-se a um choque permanente\u201d. 
 
 
12. ANPEC 2006: Um indivíduo deve decidir entre consumir no presente ou 
postergar o consumo e o fará com base na teoria da renda permanente. Considere 
que Y0 seja sua renda presente e Y1, sua renda futura; e que ele tenha acesso a 
crédito, à taxa de juros r. Avalie as proposições: 
\u24c4 Um aumento na taxa de juros diminui as possibilidades de consumo 
presente, mas aumenta as possibilidades de consumo futuro. 
\u2460 Suponha que o governo tribute a renda deste indivíduo com um imposto 
tipo lump-sum. Um aumento do imposto presente, que não seja mantido no futuro, 
diminui o consumo presente, mas deixa o consumo futuro inalterado. 
\u2461 Mantenha a hipótese de que o tributo seja do tipo lump-sum. Uma 
redução do imposto presente compensada por um aumento futuro devidamente 
corrigido pela taxa de juros r, aumenta o consumo presente, mas reduz o consumo 
futuro. 
\u2462 Um aumento de renda futura eleva o consumo tanto no presente quanto 
no futuro. 
\u2463 Um aumento na renda presente não elevará o consumo futuro se o 
consumidor não tiver acesso a crédito. 
 
 
13. ANPEC 2006: A respeito dos determinantes do consumo, avalie as 
informações: 
\u24c4 De acordo com a hipótese da renda permanente, uma valorização 
generalizada \u2013 e entendida como permanente \u2013 das ações na bolsa de valores 
afetará positivamente o consumo. 
 5
\u2460 Tanto a teoria do ciclo de vida quanto a hipótese da renda permanente 
consideram que o consumo está diretamente relacionado a uma medida de renda 
de longo-prazo. 
\u2461 De acordo com a hipótese da renda permanente, a propensão marginal a 
consumir a partir da renda transitória é maior que a propensão marginal a 
consumir a partir da renda permanente. 
\u2462 Se a teoria do ciclo de vida for correta, deve-se esperar que