Lista1 2011 gabarito
7 pág.

Lista1 2011 gabarito


DisciplinaMacroeconomia I7.183 materiais108.655 seguidores
Pré-visualização2 páginas
1 
 
EAE-206 \u2013 Teoria Macroeconômica I 
Prof. Márcio I. Nakane 
Primeira Lista de Exercícios - Gabarito 
 
 
1. Blanchard, cap. 3, exercício 4, p. 53 
 
a) 
1c1
1
\u2212
 
b) 
1
1
c1
c
\u2212
 
c) Porque o impacto de G na demanda agregada é maior que o impacto de T. O 
multiplicador de orçamento equilibrado é um. 
d) 1 unidade. Não são neutras, vide itens (a) e (b). 
e) Propensão ao consumo não afeta o multiplicador de orçamento equilibrado. A propensão 
ao consumo afeta os multiplicadores de G e T, como pode ser visto nos itens (a) e (b). 
 
 
1. Blanchard, cap. 3, exercício 5, p. 54 
 
a) )t1(c1
GItcc
11
010
\u2212\u2212
++\u2212
 
b) )t1(c1
1
11 \u2212\u2212
. Quando t1 é zero. Quando t1 é positivo ocorre um \u2018vazamento\u2019 no 
processo de criação de renda representado pelo multiplicador. 
c) Porque o efeito da renda nos impostos torna menor o impacto de uma alteração na 
demanda agregada sobre a renda de equilíbrio. 
 
 
1. Blanchard, cap. 3, exercício 6, p. 54 
 
a) )t1(c1
GItcc
11
010
\u2212\u2212
++\u2212
 
b) )t1(c1
)GI(tt)c1(tc
11
10110
\u2212\u2212
++\u2212+
 
c) Y se reduz em )t1(c1
1
11 \u2212\u2212
. Impostos caem em )t1)(c1(
t
11
1
\u2212\u2212
. 
d) Y se reduz ainda mais. 
 
 
 
 
 
2 
 
1. Blanchard, cap. 3, exercício 7, p. 54 
 
a) O aumento de transferências equivale a uma queda em T. A curva de demanda agregada 
Z se desloca para cima, aumentando a renda de equilíbrio. 
b) O aumento de transferências deixa T inalterado. A renda de equilíbrio permanece a 
mesma. 
c) Aumenta a renda de equilíbrio. Porque o esquema tira renda das pessoas com baixa 
propensão a consumir e aumenta renda das pessoas com alta propensão a consumir. 
d) A propensão a consumir deve diminuir com a renda. Assim, cortes de impostos são mais 
eficazes quando direcionados para contribuintes de baixa renda. 
 
 
1. Blanchard, cap. 3, exercício 8, p. 54 
 
a) 
11
010
1 bc
GbTcc
Y
\u2212\u2212
++\u2212
=
 
b) O multiplicador é 
111
1
bc \u2212\u2212
. Quando o investimento varia com a renda, o multiplicador 
aumenta. A restrição para que o multiplicador seja positivo é 111 <+ bc . Caso esta 
restrição não fosse atendida, o equilíbrio no mercado de bens não estaria bem definido. 
c) O produto de equilíbrio aumenta pelo efeito multiplicador. O investimento aumenta mais 
que o aumento em b0 porque a renda também aumenta. Em equilíbrio, a poupança nacional 
é igual ao investimento. Como este aumentou, a poupança nacional também aumenta. 
 
 
2. Blanchard, cap. 4, exercício 5, p. 74 
 
a) )35,0(000.60000.50 iB d \u2212\u2212= . A demanda por títulos aumenta em $6.000. 
b) Por definição, a riqueza é distribuída entre moeda e títulos. Portanto, quando ela 
aumenta, aumenta tanto a demanda por moeda quanto por títulos. 
c) Aumenta a demanda por moeda e, portanto, como a riqueza é dada, diminui a demanda 
por títulos. 
d) Não é claro o que quer dizer \u2018ganham mais dinheiro\u2019. Se for aumento de riqueza, então 
elas aumentam a quantidade de títulos. Mas se for aumento de renda, então elas diminuem a 
quantidade de títulos. 
 
 
2. Blanchard, cap. 4, exercício 7, p. 74-75 
 
a) Como ele retira dinheiro suficiente para 4 dias e gasta $4 por dia, então saca $16 a cada 
visita ao banco. 
DIA Primeiro Segundo Terceiro Quarto 
Qtde. Dinheiro $16 $12 $8 $4 
 
3 
 
b) Montante médio de moeda: ( ) 10$4$8$12$16$
4
1
=+++ . 
c) A cada dois dias ele saca $8. 
DIA Primeiro Segundo Terceiro Quarto 
Qtde. Dinheiro $8 $4 $8 $4 
d) Montante médio de moeda: ( ) 6$4$8$4$8$
4
1
=+++ . 
e) Sacando somente no quarto dia o suficiente para todos os anteriores: 
DIA Primeiro Segundo Terceiro Quarto 
Qtde. Dinheiro $0 $0 $0 $16 
 
f) Montante médio de moeda: ( ) 4$16$0$0$0$
4
1
=+++ . 
g) O efeito é reduzir a demanda por moeda. 
 
 
2. Blanchard, cap. 4, exercício 8, p. 75 
 
a) ( )iH d 48.0500 \u2212= , medido em bilhões de $. 
b) 15.0=i . 
c) 1000=sM , medido em bilhões de $. Sim, esta também é a demanda por M1 quando 
15.0=i . 
 
 
3. Blanchard, cap. 5, exercício 2, p. 94 
 
a) 
1
10
c1
GITcc
Y
\u2212
++\u2212
= . Multiplicador é 
1c1
1
\u2212
. 
b) 
11
2010
bc1
GibbTcc
Y
\u2212\u2212
+\u2212+\u2212
= . Sim, pois no processo de criação da renda descrita pelo 
multiplicador existe um impacto adicional sobre os gastos de investimento. 
c) 1
21211
1
22010
ddbbc1
GP/MdbbTcc
Y
\u2212
\u2212
+\u2212\u2212
+++\u2212
= . O multiplicador é 
1
21211 ddbbc1
1
\u2212+\u2212\u2212
. 
d) Depende da comparação de b1 com b2d1d2-1. 
 
 
3. Blanchard, cap. 5, exercício 3, p. 95 
 
c) ( ) 1
21211
11
1
2010
1
21
ddbbc1
P/M)bc1(dGbTccddi
\u2212
\u2212\u2212
+\u2212\u2212
\u2212\u2212\u2212++\u2212
= 
d) ( ) ( )1
21211
1
220110
1
2121
ddbbc1
P/Mdbb)c1(GTcc)ddbb(
I
\u2212
\u2212\u2212
+\u2212\u2212
+\u2212++\u2212\u2212
= 
4 
 
 
e) Quando 12121 \u2212< ddbb . 
 
f) Uma queda em G gera uma queda no produto (o que tende a reduzir I) e a uma queda na 
taxa de juros (o que tende a aumentar I). Assim, para que I aumente, o efeito do produto 
(b1) deve ser menor que o dos juros ( 1212 \u2212ddb ). Note que este último é composto por dois 
termos: a inclinação da curva LM ( 121 \u2212dd ) e a sensibilidade do investimento a variações na 
taxa de juros (b2). 
 
 
3. Blanchard, cap. 5, exercício 4, p. 95 
 
a) ( )Y1100
2000
1i \u2212\uf8f7
\uf8f8
\uf8f6
\uf8ec
\uf8ed
\uf8eb
= 
b) ( )800Y
4000
1i \u2212\uf8f7
\uf8f8
\uf8f6
\uf8ec
\uf8ed
\uf8eb
= 
c) 1000 
d) 5% 
e) C = 400 e I = 350 
f) Y = 1040, i = 3%, C = 410, I = 380 
g) Y = 1200, i = 10%, C = 450, I = 350 
 
 
3. Blanchard, cap. 5, exercício 8, p. 96 
 
a) Política fiscal e monetária expansionista, i.e., deslocamentos para direita tanto da IS 
quanto da LM. 
b) Política fiscal contracionista e política monetária expansionista, i.e., deslocamento da IS 
para esquerda e deslocamento da LM para direita. A taxa de juros cai e o investimento 
aumenta. 
 
 
3. Blanchard, cap. 5, exercício 9, p. 96 
 
a) A queda na confiança do consumidor desloca a IS para a esquerda sem afetar a LM. No 
novo equilíbrio, o produto e a taxa de juros são menores. 
b) O consumo cai enquanto o efeito sobre o investimento é ambíguo. Como, em equilíbrio, 
devemos ter investimento igual a poupança, também há ambiguidade sobre a poupança. 
 
 
4. 
 
a) Os assaltos fazem com que as pessoas andem com menos dinheiro no bolso. Assim, eles 
fazem diminuir o montante de papel-moeda em poder do público e aumentar os depósitos à 
5 
 
vista. Isso corresponde a uma diminuição no coeficiente c, que mede a proporção do M1 
sob a forma de papel-moeda. Uma queda em c aumenta o multiplicador bancário. 
 
b) No mercado de base monetária, a queda em c desloca a demanda por base monetária 
para baixo sem afetar a oferta. Portanto, no novo equilíbrio, a taxa de juros é mais baixa 
enquanto o volume de base permanece inalterado. 
 
c) No mercado de M1, a queda em c e o correspondente aumento no multiplicador bancário 
desloca a oferta de M1 para a direita sem afetar a demanda. Portanto, no novo equilíbrio, a 
taxa de juros é mais baixa e o volume de M1 é maior. 
 
d) No mercado de reservas bancárias, a queda em c desloca tanto a demanda quanto a oferta 
para a direita. O deslocamento da oferta é igual ao multiplicador bancário vezes o 
deslocamento da demanda. Assim, como este multiplicador excede a unidade, conclui-se 
que a oferta de reservas bancárias se desloca para a direita mais que a demanda por reservas 
bancárias. Portanto, no novo equilíbrio, a taxa de juros é menor e o volume de reservas 
bancárias é maior. 
 
5. Anpec (2004): 25% 
 
6. Anpec (2005) (desconsiderar item 1) 
\u24c4 V 
\u2460 Desconsiderar. 
\u2461 F 
\u2462 F 
\u2463 V 
 
7. Anpec (2005) 
\u24c4 F 
\u2460 F 
\u2461 V 
\u2462 F. No gabarito oficial, este item foi anulado. 
\u2463 V 
 
8. Anpec (2005) 
\u24c4 V 
\u2460 F 
\u2461 F 
6 
 
\u2462 F 
\u2463 F 
 
9. Anpec (2005) 
 
Inclinação da LM = 5. Inclinação da IS = -1. 
 
10. Anpec (2007) (desconsiderar item 1) 
\u24c4 V (gabarito oficial). Acho que é F porque demanda por moeda não se altera. 
\u2460 Desconsiderar. 
\u2461 F 
\u2462 V 
\u2463 F (gabarito oficial). Tenderia a achar que é V porque quando a taxa de juros não tem 
efeito sobre a compra de títulos é porque ela também não tem efeito sobre a demanda 
por moeda e, portanto, estamos no caso clássico. 
 
11. Anpec (2008) 
\u24c4 F 
\u2460 V 
\u2461 V. 
\u2462 F 
\u2463 F 
 
12.