A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
122 pág.
Deformação por deslizamento

Pré-visualização | Página 2 de 6

pode deslizar segundo os planos {100},
 mas conservando a direção <110>.
 Deslizamento no sistema HC
Sistema de deslizamento na temperatura ambiente:{0001} e <21 1 0>
(0001) ; 
Ex.: Cd, Zn, Mg, Be, Ti, etc.
ABCD  )0110(

 ou )0101(

 ; ]0121[

BCEF  )0101(

 ou )1010(

 ; ]0112[

EFGH   )0011(

 ou )0011(

 ; ]2011[

ABCD  )0110(

 ou )0101(

 ; ]0121[

BCEF  )0101(

 ou )1010(

 ; ]0112[

EFGH   )0011(

 ou )0011(

 ; ]2011[

ABCD  )0110(

 ou )0101(

 ; ]0121[

BCEF  )0101(

 ou )1010(

 ; ]0112[

EFGH   )0011(

 ou )0011(

 ; ]2011[

Obs.: Aumentando a temperatura, aumenta-se o número de planos de deslizamentos ativos.
Portanto,
 Deslizamentos prismáticos:
ABCD  )0110(

 ou )0101(

 ; ]0121[

BCEF  )0101(

 ou )1010(

 ; ]0112[

EFGH   )0011(

 ou )0011(

 ; ]2011[

ABCD  )0110(

 ou )0101(

 ; ]0121[

BCEF  )0101(

 ou )1010(

 ; ]0112[

EFGH   )0011(

 ou )0011(

 ; ]2011[

EFGH   )1001(

 ou )0011(

 ; ]2011[

 Deslizamentos piramidais:
Sistema de deslizamento:{101 1} e <112 0>
)1110(

 com a direção ]0121[

)1101(

 com a direção ]1102[

)0111(

 com a direção ]2011[

)1110(

 com a direção ]0121[

)1101(

 com a direção ]1102[

)0111(

 com a direção ]2011[

)1011(

 com a direção ]2011[

Obs.: Os deslizamentos piramidais admitem uma direção de deslizamento menos densa:
 

3211
}2211{

)2211(

   ]3211[

)2121(

   ]3121[

)1122(

   ]1132[

)2211(

   ]3211[

)2121(

   ]3121[

)1122(

   ]1132[

)2211(

   ]3211[

)2121(

   ]3121[

)1122(

   ]1132[

Obs.: Além da temperatura, a relação c/a intervem no sistema de deslizamento preferencial dos metais hexagonais.
 Deslizamento no sistema CCC
- Por não ser uma estrutura compacta, possui irregularidades;
- A estrutura CCC não é compacta como a CFC ou a HC, não apresentando um plano de densidade
atômica predominante como o (111) na estrutura CFC e o (0001) na estrutura HC;
- Os planos {110} apresentam a maior densidade atômica na estrutura CCC, mas sem grande
superioridade a vários outros planos;
- No entanto, a direção <111> da estrutura CCC é tão compacta quanto a <110> da CFC e a direção
<112 0> da estrutura HC.
Ex.: Fe  {110}; {112}; {123}Ex.: Fe  {110}; {112}; {123}Ex.: Fe  {110}; {112}; {123}
 0,25 Tf < T < 0,50 Tf  {110}
 T > 0,50 Tf  {123}
 T < 0,25 Tf  {112}
; ;
Metal Estrutura Plano Direção ys (MPa) Pureza
Al
Cu
Au
Ni
Ag
CFC
CFC
CFC
CFC 
CFC
{111}
{111}
{111}
{111}
{111}
<110>
<110>
<110>
<110>
<110>
0,54-0,98
0,88-0,98
0,49
3,24-7,35
0,39-0,69
99,994
99,980
99,999
99,980
99,999
Cd
Mg
Zn
HC
HC
HC
{0001}
{0001}
{0001}
<1120>
<1120>
<1120>
0,13
0,49
0,29
99,999
99,990
99,999
Fe CCC
{110}
{112}
{123}
<111> 14,71 99,960
Exemplo de direções e planos densos em diversos metais.
Sistemas típicos de deslizamento para as estruturas HC (A) , CFC (B) e CCC (C,D,E).
Resumo
Típicos sistemas de deslizamento para as estruturas CFC (a) , HC (b) e CCC (c) .
SISTEMA PLANOS DIREÇÕES TOTAL
CFC
4 planos 
{111}
3 direções 
<110> 
para cada plano
12 sistemas
HC
1 plano 
{0001}
3 direções 
<1120> 
do plano
3 sistemas
CCC
Por não ser uma estrutura compacta, possui 
irregularidades.
Possibilidades de deslizamento nas estruturas CCC, CFC e HC. 
 Sistemas de deslizamento para materiais cerâmicos:
3 - DESLIZAMENTO NUMA REDE PERFEITA
Esquema espacial de uma estrutura perfeita.
Modelo:
a) Considera-se um empilhamento perfeito
de átomos; nesta estrutura os planos de
deslizamento são separados por uma
distância interplanar a, e os átomos
possuem uma distância interatômica b.
b) Supõe-se que a metade superior do cristal
desliza sobre a sua metade inferior, sob o
efeito de uma tensão cisalhante .
c) Sob o efeito desta tensão todo átomo
desloca-se de sua posição de equilíbrio,
com energia potencial mínima, para um
nível de energia mais elevado.
3 - DESLIZAMENTO NUMA REDE PERFEITA
Cisalhamento de planos em uma rede perfeita - Modelo de FRENKEL (1926):
(b) variação da tensão de cisalhamento com o 
deslocamento na direção de deslizamento.
(a) deslocamento cisalhante de um plano de
átomos sobre outro plano de átomos.
Esquema espacial de uma
estrutura perfeita.
Modelo de FRENKEL (1926): variação da tensão cisalhante  em função do deslizamento x na 
direção cristalográfica b do cristal.
Modelo de FRENKEL (1926):
 



 m m
x
b
x
b
sen
2 2
  G G
x
a
  
 m
G b
a
G
2 2
     m m
x
b
x
b
sen
2 2
  G G
x
a
    m
G b
a
G
2 2
Comparação entre teoria e prática:
MATERIAL LR (GPa) E (GPa)
Grafita 19,6 686
Al2O3 15,4 532
Ferro 12,6 196
SiC 20-40 700
Silício 7 182
AlN 7 350
Cobre 2 192
Limite de resistência de whiskers na temperatura ambiente.
Comparação entre teoria e prática:
4 - DESLIZAMENTO POR MOVIMENTO DE DISCORDÂNCIAS
Modelo:
O movimento de discordâncias através da rede requer uma tensão menor do que a
tensão cisalhante teórica.
O movimento de discordâncias produz degraus, ou bandas de deslizamento, na
superfície livre.
Esquema espacial de uma estrutura com discordância.
Como uma discordância em cunha se move no interior de um cristal: 
(a) movimento de átomos próximo à discordância no deslizamento;
(b) movimento de uma discordância em cunha.
Analogias:
Tapete deslizando no chão = discordância em cunha.
Analogias:
Tábuas deslizando no chão = discordância em hélice.
Deslocamento de uma discordância cunha (a), uma discordância hélice (b), uma discordância 
mista (c), e a criação de um degrau de deslizamento irreversível igual ao vetor de Burgers da 
discordância considerada (d).
Esquema da fina estrutura de uma banda de deslizamento.
(a) pequena deformação. (b) grande deformação.
Segundo COTTRELL (1967), o processo de deslizamento