Av1_Prog_Disp_Moveis
2 pág.

Av1_Prog_Disp_Moveis


DisciplinaProgramação para Dispositivos Móveis1.916 materiais18.047 seguidores
Pré-visualização1 página
Avaliação: CCT0196_AV1_201001207793
Tipo de Avaliação: AV1
Aluno: 201001207793 - LUANA VIANNA DE ASSIS
Professor: EDUARDO LUIZ PARETO Turma: 9002/AB
Nota da Prova: 6,5 de 8,0 Nota do Trabalho: Nota de Participação: 1 Data: 15/09/2012
1.) INTRODUÇÃO AO AMBIENTE	Pontos: 0,5 / 0,5
Uma máquina virtual é:
	Um tipo de plataforma de hardware.
	Uma máquina que não existe.
 	Um simulador eficiente e isolado de uma máquina real.
	É a classificação dada para o tamanho do aparelho.
	É uma tecnologia de desenvolvimento de software para dispositivos móveis.
2.) CONTROLE DE FLUXO	Pontos: 0,0 / 0,5
Podemos afirmar que a área de código-fonte da IDE NetBeans:
	Representa o aparelho celular.
	É a CLDC.
 	É o MIDP.
	Representa um mapa de banco de dados.
 	Permite a codificação da aplicação.
3.) INTRODUÇÃO AO AMBIENTE	Pontos: 0,5 / 0,5
A plataforma Android quando comparada à plataforma Java ME possui o diferencial de:
	Funcionar em telefones celulares comuns.
	Não permitir que o hardware seja acessado pela máquina virtual.
	Funcionar usando linguagem de programação Java.
	Funcionar com Java na plataforma de execução.
 	Permitir que desenvolvedores possam tirar proveitos de tudo o que o dispositivo móvel possa oferecer.
4.) INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO MÓVEL	Pontos: 0,5 / 0,5
As MIDlets são empacotadas:
	pois não tem funcionalidades para desenvolvimento.
	porque não podem funcionar com Java ME.
	para funcionar em qualquer ferramenta de desenvolvimento profissional que atende plenamente os requisitos para desenvolvimento de software.
 	dentro de um arquivo de extensão JAR (Java Archive).
	para funcionar em sacolas virtuais.
5.) INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO MÓVEL	Pontos: 1,0 / 1,0
Sobre as ações do AMS (Application Management Software) é incorreto dizer:
	É responsável por receber propriedades do arquivo descritor da aplicação.
 	Define as APIs (Application Programming Interface) para a interface de usuário.
	Trabalha com três estados básicos da MIDlet: Iniciado, Pausado e Destruído.
	Notifica alterações no estado da MIDlet.
	Controla o comportamento da MIDlet durante a execução.
6.) CONTROLE DE FLUXO	Pontos: 0,0 / 1,0
Assinale o item que não corresponde a uma constante para controle de fluxo no JME:
	Command.OK
 	Command.ITEM
	Command.CANCEL
 	Command.LOGOUT
	Command.EXIT
7.) TÉCNICA	Pontos: 1,0 / 1,0
Para a descoberta de erros de lógica de programação a opção mais adequada seria:
	Buscar um código que funcione no Google.
 	Utilizar um depurador.
	Apagar os comentários.
	Utilizar mensagens através de Alert.
	Reescrever completamente o código.
8.) CONTROLE DE FLUXO	Pontos: 1,0 / 1,0
A instrução if serve para:
	Inverter um texto.
 	Verificar condições e conduzir o fluxo da aplicação.
	Comparar números e textos
	Verificar a KVM.
	Validar textos.
9.) INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO MÓVEL	Pontos: 1,0 / 1,0
Sobre as MIDlets:
	Podem ser utilizadas apenas em configurações CLDC.
	Apenas podem ser instaladas por intermédio de um servidor na Web.
	São empacotadas dentro de um arquivo de extensão "jad".
	É a denominação dada aos aplicativos gerados com o Android.
 	Trabalha com a High Level API para o desenvolvimento de interfaces cadastrais.
10.) TÉCNICA	Pontos: 1,0 / 1,0
Quando se programa em celular com uma configuração baixa como, por exemplo, CLDC 1.0, o melhor a fazer a fim de reduzir o consumo de memória RAM é:
 	Usar o mínimo possível de objetos.
	Usar o mínimo possível de instruções "if".
	Usar o mínimo possível de instruções de repetição, incluindo o "do" e o "while".
	Usar o mínimo possível de instruções de decisão, incluindo o "switch".
	Usar o mínimo possível de instruções "for".