Aula_02
6 pág.

Aula_02


DisciplinaPsicologia Jurídica9.611 materiais85.692 seguidores
Pré-visualização2 páginas
misantropia (aversão à sociedade, aos homens, antropofobia). 
Patologias desta fase: transtorno de ansiedade freqüentemente desenvolve-se nos idosos. Pessoas revisam suas vidas com um senso de pânico. O declínio das funções físicas pode contribuir para doenças psicossomáticas, hipocondria e transtornos depressivos severos. 
Jovens em conflito COM A LEI
PONTUANDO A HISTÓRIA DO ATENDIMENTO
1923 => Criação do Juízo de Menores.
1920 => Transformação da \u201ccriança em menor\u201d .
Argumentos => Predisposição ao crime - cuidados especiais e atencão redobrada aos chamados "sinais de alarme" que a criança pudesse apresentar.
Influenciou as denominadas condições de tratamento do menor infrator - considerados portadoress de acentuados defeitos morais.
Do Predomínio de atribuição de uma causalidade moral inicia-se o entendimento de que circunstâncias sociais, económicas e emocionais também conduziriam os jovens à delinquência. 
1927 => Promulgado o primeiro Código de Menores Brasileiro.
1930 =>Laboratório Biologia Infantil.
Função: auxiliar o Juízo na avaliação dos determinantes da delinquência.
Diagnósticos: dicotomia entre normalidade e anormalidade.
 
Irma Rizzini (1993): 
Constatou que as conclusões medicas descritas nos processos se identificavam a uma "pré-sentença".
Exemplo: \u201cos que possuem um Q.I. abaixo de 40, o seu grau de educabilidade é insignificante e mais conveniente seria interna-los definitivamente num asilo ou colônia de psicopatas" .
1941 => foi criado o Serviço de Atendimento ao Menor (SAM).
Características: de reformatório, modelo correcional repressivo.
Meados do século XX => Ajuda clínica terapêutica para se afastarem da prática de delitos - tratamento individualizado das patologias infantojuvenis.
1979 => Novo Código de Menores com a compreensão acima expressa.
Baseado => na doutrina da situação irregular.
Alvo do sistema de justiça => - os menores de idade que estivessem em situação irregular;
- os menores vitimas;
- vitimizadores.
 Conclusões baseadas em "pseudocientificidade de um diagnóstico" eram frequentes, como o exemplo exposto a seguir:
\u201cÓtimo comportamento, participando das atividades praxiterápicas e educacionais, satisfatoriamente; relacionando-se bem com funcionários e companheiros, portanto, reabilitado e em condições de merecer melhor oportunidade\u201d.
JUSTIFICANDO NOVOS RUMOS
Movimento contra a institucionalização.
Prejuízos sofridos pela segregação.
Criticas à previsão de compotamentos.
Indefinição do critério de melhor interesse da criança.
1989 => Convenção Internacional dos Direitos da Criança \u2013 nomeia em sentido universalizante os interesses da criança.
Baseada nesta visão encontra-se a Doutrina da Proteção Integral.
Não parte do pressuposto de que a delinquência juvenil está obrigatoriamente ligada à presença de patologias. 
Walgrave => critica à visão homogénea estabelecida na referência aos chamados delinquentes juvenis, rotulados por muitos de "inadaptados sociais"
Três tipos de delinquência:
Delinquência sintoma => os problemas individuais e/ou familiares se fazem presente.
Delinquência da precariedade => estes tambem se manifestam, mas ocasionados. principalmente. pelas dificuldades sociais e econômicas que esses jovens enfrentam.
Delinquência passageira => própria da fase de desenvolvimento que atravessam. 
\ufffd PAGE \* MERGEFORMAT \ufffd4\ufffd