ESPIROMETRIA
1 pág.

ESPIROMETRIA


DisciplinaFisioterapia8.916 materiais25.610 seguidores
Pré-visualização2 páginas
ESPIROMETRIA: MEDIDA DO AR QUE ENTRA E SAI DOS PULMOES. COMO REALIZA A MANOBRA: PODE SER REALIZADA DURANTE A REAPIRAÇAO LENTA OU DURANTE MANOBRAS EXPIRATORIAS FORÇADAS, ONDE SERA AVALIADA A CVF DO PCT. É COLOCADO UM CLIP NO NARIZ E SOLICITA Q O MESMO SOPRE EM UM BUCAL ATE ALCANÇAR O VR E LOGO APÓS É DADO O COMANDO PARA QUE ELE INSPIRE SEM INTERRUPÇAO ATE A TINGIR A SUA CPT, SENDO AVALIADO A SUA CV INSPIRATORIA. PARA AVALIAR A CV EXPIRATÓRIA: SOLICITA A INSPIRAÇAO ATÉ ALCANÇAR A CPT E DEPOIS EXPIRA ATÉ O VR. CVF(CAPACIDADE VITAL FORÇADA) FEF(FLUXO EXPIRATORIO FORÇADO) CVL(CAP. VOLUNTARIA LENTA) VEF1( VOLUME EXPIRAT. FORÇADO NO 1 SEGUNDO) PFE( PICO DE FLUXO EXPIRATORIO) VRI(VOLUME DE RESERVA INSPIRATORIO) VOLUME EXTRA DE AR QUE PODE SER INSPIRADO, ALEM DO VOL. CORRENTE NORMAL VRE (VOL. RESERVA EXP.)QUANTIDADE DE AR Q AINDA PODE SER EXPIRADA, PELA EXPIRAÇAO FORÇADA. VR(VOL. RESIDUAL )VOLUME DE AR Q AINDA PERMANECE NO PULMAO APÓS UMA EXPIRAÇAO FORÇADA. CRF CPT(6L). VM(VOLUME MINUTO) QUANTIDADE TOTAL DE AR NOVO Q ENTRA NAS VIAS RESPIRATORIAS A CADAMINUTO E VALE O VOLUME CORRENTE PELA FREQUENCIA RESPIRATORIA. CP(CAPACIDADE VITAL) QUANTIDADE MAXIMA DE AR Q UM INDIVIDUO PODE EXPELIR DOS PULMOES, DURANTE UMA EXPIRAÇAO FORÇADA, SEGUIDA DE UMA INSP MAX. VC(VOLUME CORRENTE) VOLUME DE AR INSPIRADO OU EXPIRADO EM CADA RESPIRAÇAO NORMAL. PICO DE FLUXO EXPIRATORIO AVALIA A ASMA: VEF1 E VEF1\CVF AVALIA GRAU DE OBSTRUÇAO: < 40% GRAVE, 40-60% MODERADO MAIOR 60% LEVE. CPT( CAPACIDADE PULMONAR TOTAL) É O VOLUME MAXIMO A QUE OS PULMOES PODEM SER EXPANDIDOS COM O MAIOR ESFORÇO RESPIRATORIO POSSIVEL, É IGUAL A CAP. VITAL MAIS O VOL. RESIDUAL. CRF(CAPACIDADE RESIDUAL FUNCIONAL) É A SOMA DO VOLUME DE RESERVA EXPIRATORIO COM O VOL RESIDUAL. CAPACIDADE INSPIRATORIA (É A SOMA DO VC COM O VOL DE RESERVA INSPIRATORIO) CAPACIDADE EXPIRATORIA( É A SOMA DO VC COM O V DE RESERVA EXPIRATORIA. 
 DOENÇAS RESTRITIVAS: OBESIDADES E GRAVIDEZ, RESTRIGEM A EXPANSIBILIDADE TORACICA. CURVA CURTA: ENTRA POUCO AR E SAI MUITO. DÇAS OBSTRUTIVAS: ASMA, FIBROSE CISTICA, DPOC. CURVA LARGA: ENTRA MUITO AR E SAI POUCO VEF1 > 80% QUANTO MENOR QUE 80 MAIS GRAVE ESTA O PCT. VEF1-80% DE AR SAI DOS PULMOES NUMA EXPIRAÇAO FORÇADA NO PRIMEIRO SEGUNDO. EXAME PRÉ BRONCODILATADOR E PÓS-DILATADOR: INFORMA SE EXISTE UMA DÇA OBSTRUTIVA OU RESTRITIVA)
ESPIROMETRIA NÃO É INDICADA: PRESENÇA DE HEMOPITOSE, PNEUMOTORAX OU EDEMA PULMONAR, DESLOCAMENTO DE RETINA, INSTABILIDADE CARDIOVASCULAR. DADOS QUE PODEM SER OBTIDOS COM A ESPIROMETRIA: CVF: CAPACIDADE VITAL FORÇADA(VOLUME DE GAS QUE PODE SER EXPIRADO FORTEMENTE DO PULMAO DEPOIS DE UMA INSPIARAÇAO MAXIMA) VVM: VENTILAÇAO VOLUNTARIA MAXIMA( REPRESENTA O VOLUME MAXIMO DE AR VENTILADO EM UM PERIODO DE TEMPO POR REPETIDAS MANOBRAS RESPIRATORIAS FORÇADAS. VEF1(/CVF: RELAÇAO VOLUME EXPIRATORIO FORÇADO DO PRIMEIRO SEGUNDO PELA CVF. CVL: CAPACIDADE VITAL LENTA(CAPACIDADE DE GAS QUE PODE SER EXPIRADO LENTAMENTE DO PULMAO DEPOIS DE UMA INSPIRAÇAO MAXIMA. FEF 25% - 75%> FLUXO EXPIRATORIO FORÇADO DE 25 A 75% DA CVF(IMPORTANTER P DETECTAR OBSTRUÇOES DAS VAI. PARA QUE A ESPIROMETRIA É REALIZADA E EM QUE MOMENTO ELA DEVE SER USADA: IDENTIFICAR E QUANTIFICAR ALTERAÇOES NA FUNÇAO PULMONAR, AVALIAR A EPIDEMIOLOGIA DE UMA DOENÇA, AVALIAR RISCO PULMONAR PRÉ-OPERATÓRIO, COMPARAR QUANTITATIVA OU QUALITATIVA UMA INTERVENÇAO. DEVE SER USADA PARA DIAGNÓSTICO E QUANTIFICAÇAO DOS DISTURBIOS VENTILATORIOS E PARA AVALIAÇAO DE EFICACIA TEARAPEUTICA E ANDAMENTO DA DOENÇA. QUAIS OS FATORES QUE INTERFEREM NA AVALIAÇAO DA FUNÇAO PULMONAR. 3 EXEMPLOS: TECNICOS:INSTRUMENTOS DE MEDIDA, AVALIADOR E O PROCEDIMENTO. BIOLOGICOS: POSIÇAO CORPORAL, ESFORÇO MAXIMO PARA GERAR FLUXO E RITMO CIRCADIANO. QUAIS OS RISCOS OFERECIDOS PELA ESPIROMETRIA: INFECÇAO, DESCONFORTO, HIPERCAPNIA E HIPOXEMIA. INSTRUÇOES QUE PODEM SER DADAS ANTES DE REALIZAR A ESPIROMETRIA: NÃO FAZER REFEIÇOES VOLUMOSAS 1 HORA ANTES, NÃO INGERIR BEBIDAS QUE CONTENHAM CAFEINA NO DIA DO TESTE, NÃO FUMAR 2 HORAS ANTES, NÃO INERIR ALCOOL, EVITAR ROUPAS APERTADAS. 
MANUVACUOMETRIA: AVALIAÇAO Q PERMITE QUANTIFICAR DE FORMA NÃO INVASIVA , RAPIDA E SEGURA A FORÇA DOS MUSCULOS RESPIRATORIOS. INDICAÇOES CLINICAS: PESSOAS SAUDAVEIS A TREINAMENTO MUSCULAR, DISPNEICOS, DESNUTRIDOS, OBSTRUTIVOS OU RESTRITIVOS, DÇAS NEURO MUSC. CONTRA-INDICADO: IAM OU ANGINA INSTAVEL RECENTE, HAS NÃO CONTROLADA, ANEURISMA AORTICO, PNEUMOTORAX, FISTULAS PULMONARES, CIRURGIAS TORACICAS OU ABDOMINLA RECENTE. DIFERENCIE PI MAX DE PE MAX: PI MAX: FORMA INDIRETA DE AVALIAR A FORÇA DA MUSCULATURA INSPIRATORIA, ATRAVES DA CAPACIDADE DE GHERAR UMA DIMINUIÇAO DA PRESSAO INTRAPULMONAR. PE MAX: FORMA INDIRETA DE AVALIAR A FORÇA DA MUSCULATURA EXPIRATORIA, ATRAVES DA CAPACIDADE DE GERAR AUMENTO INTRAPULMONAR. COMO SÃO AVALIADOS A PI MAX E PE MAX: PI MAX: COM O SUJEITO SENTADO, É COLOCADO UM BOCAL E O CLIPE NASAL ,É SOLICITADO Q ELE REALIZE UMA EXPIRAÇAO ATE ONDE CONSEGUIR (VR) E ENTAO É FECHADO O ORIFICIO E DADO O COMANDO PARA ELE INSPIRAR O MAX Q PUDER (CPT) TENTANDO SUSTENTAR POR 2 SEG. PE MAX: PCT SENTADO, INSERE O BOCAL E CLIPE NASAL, SOLICITA Q INSPIRE O MAX Q PUDER , ENTAO É FECHADO O ORIFICIO E DADO O COMANDO VERBAL PARA Q ELE EXPIRE O MAXIMO Q PUDER, TENTANDO SUSTENTA-LA POR 2 SEG. EXPLIQUE COMO É FEITA A TECNICA: O PCT SEGURA O APARELHO COM SUAS MAOS, INALA O MAXIMO DE AR POSSIVEL AO NIVEL DA CPT E , EM SEGUIDA, EXALA O AR COM FORÇA MAXIMA DENTRO DO BOCAL DO APARELHO. ( 5 MEDIDAS, DENTRO DESSAS TEM Q TER 3 REPRODUTIVEIS E 2 ACEITAVEIS-ULTIMO VALOR NÃO PODE SER MAIOR) 
VENTILOMETRIA: METODO DE AVALIAÇAO A BEIRA DO LEITO, ONDE OBTEM-SE VOLUME CORRENTE, VOLUME MINUTO E CAPACIDADE VITAL LENTA. COMO É CALCULADO O INDICE DE TOBIN: ATRAVES DA DIVISAO DA FREQUENCIA RESPIRATORIA, PELO VOLUME CORRRENTE . PORQUE É IMPORTANTE DURANTE O PROCESSO DE DESMAME DE VENTIL. MECANICA: PORQUE AO SER CALCULADO E O SEU VALOR FOR MENOR QUE 105 IRPM\L, ELE SERA PREDITIVO DE SUCESSO DE DESMAME DA VENT. MEC. CIRTOMETRIA: CONSISTE EM UM CONJUNTO DE MEDIDAS DAS CIRCUNFERENCIAS DE TORAX E ABDOMEN DURANTE OS MOV RESPIRATORIOS. 
 PADRAO RESPIRATORIO: FORMA COMO SE FAZ AS TROCAS DE AR ENTRE O MEIO AMBIENTE E OS PULMOES LEVANDO EM CONSIDERAÇAO: RITMO E TRABALHO VENTILATORIO, VOLUME VENTILATORIO. ALTERADO: AUMENTO DA RESISTENCIA DAS VIAS AEREAS OU DIMINUIÇAO DA COMPLACENCIA PULMONAR. EX: GRAVIDEZ, ANEMIA, HIPERTEMIA, EFEITOS DE DORGAS, ALTERAÇOES POSTURAIS. PADROES RESPIRATORIOS: DIAFRAGMA, INTERCOSTAL, SOLUÇAO INSPIRATORIA, EXPIRAÇAO ABREVIADA, VENTILAÇAO DESDE VOL RESIDUAL, VENTILAÇAO DESDE CAPACIDADE RESIDUAL FUNCIONAL, E VENT. DURANTE O BRONCOESPASMO, FRENO LABIAL. OBJETIVOS DA RD: MELHORA OU CORRIGE O MOV. ANORMAL DA PAREDE TORACICA; DIMINUI O TRABALHO RESPIRATORIO; MELHORA A EFICACIA DA RESPIRAÇAO E DISTRIBUIÇAO VENTILATORIA E REDUZ NO SINTOMA DA DISPNEIA. RESPIRAÇAO EM FRENO LABIAL: INDICAÇAO: DPOC, ASMA, DÇAS NEUROMUSC. TECNICA: PCT INALA ATRAVES DO NARIZ E EXALA DEVAGAR POR 4 A 6 SEG. ATRAVES DOS LABIOS SEMI-FECHADOS. EFEITO DA RFL NO PADRAO VENTILATORIO: POSITIVO NO REPOUSO OU DURANTE O EXRC. FISICO. BENEFICIOS DA RFL: MELHORA TROCAS GASOSAS, REDUÇAO DA DISPNEIA, DIMINUIÇAO DO CONSUMO DE O2, AUMENTO VC. SUSPIROS E SOLUÇOS: PEQUENOS AUMENTOS INSPIRATORIOS DETERMINA EXPANSAO DAS ZONAS BASAIS PULMONARES MELHORANDO A CAPACIDADE RESIDUAL FUNCIONAL E DO VRI. ORIENTAÇAO: REALIZAR INSPIRAÇOES NASAIS CURTAS E SUCESSIVAS, SEM APNEIA, ATE ATINGIR A CPT. LOGO APÓS FAZER A EXPIRAÇAO ORAL. OBJETIVO DA INSPIRAÇAO SUSTENTADA MAXIMA(APNEIA MAXIMA INSPIRATORIA): MELHORAR A DISTRIBUIÇAO DO AR INSPIRADO, MELHORANDO AS TROCAS GASOSAS. EFEITOS OBTIDOS PELO PLATO: AUMENTO DA CAPACIDADE ALVEOLAR, AUM. TEMPO INSPIRATORIO, MAIOR ESTABILIDADE ALVEOLAR, AUMENTO DE PRESSAO INTRA TORACICA. INSPIRAÇAO FRACIONADA: