302_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006
1 pág.

302_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006


DisciplinaClimatologia2.032 materiais36.126 seguidores
Pré-visualização1 página
METEOROLOGIA E CLIMATOLOGIA
Mário Adelmo Varejão-Silva
Versão digital 2 \u2013 Recife, 2006
288
e adotar a condição de equilíbrio hidrostático (\u2202 p = \u2013 \u3c1g \u2202z). Resulta, imediatamente, que:
\u2013 (1/\u3c1) \u2207Z p = g {(\u2202 z/\u2202 x) 
r
i + (\u2202 z/\u2202 y) rj } = g\u2207pz = \u2207p\u3a6. (VII.9.5)
Aqui \u2207p\u3a6 traduz o gradiente do geopotencial em uma superfície isobárica. Usando esse resultado,
a equação VII.9.3 pode ser escrita de uma outra forma, qual seja:
f V
r
g = g 
r
k ^ \u2207pz = \u2013\u2207p\u3a6 ^ 
r
k . (VII.9.6)
A expressão anterior revela que, em uma carta isobárica, o vento geostrófico flui paralelo
às isoípsas retilíneas, de modo a deixar os valores mais altos do geopotencial à esquerda no He-
misfério Sul (f < 0) e à direita no Hemisfério Norte (f > 0). Logo, em uma carta isobárica, as iso-
ípsas representam linhas de corrente do escoamento geostrófico. Isto é uma grande vantagem
para o estudo meteorológico em latitudes médias. Em componentes, a equação precedente revela
que:
ug = \u2013(1/f)(\u2202\u3a6/\u2202y)p
vg = (1/f)(\u2202\u3a6/\u2202x)p (VII.9.7)
9.2 - Aproximação do vento gradiente.
Quando a trajetória da parcela de ar de massa unitária é curva, o raio de curvatura (R) fica
necessariamente no eixo suporte do versor N
r
 (pois R é perpendicular à trajetória). Como N
r
 é
considerado positivo à esquerda de T
r
, o raio de curvatura será positivo (R > 0) quando o movi-
mento ocorrer no sentido anti-horário e negativo no caso oposto (Fig. VII.14).
A segunda hipótese simples que se pode formular quanto à configuração do campo da
pressão consiste em admitir que as isóbaras são aproximadamente circulares, como acontece nos
centros de alta e de baixa pressão (Capítulo III). Nesses centros a componente horizontal da força
do gradiente de pressão é radial e seu sentido coincide com o de N
r
. 
R > 0
N
T
R < 0
N
T
Fig. VII.14 - Raios de curvatura positivo ou anti-horário (esquerda) e negativo ou horário
(direita) da trajetória de uma partícula que se move em um plano horizontal.