Direito Administrativo (63)
11 pág.

Direito Administrativo (63)


DisciplinaDireito Administrativo I50.592 materiais962.367 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Professora: Sabrina Welsch
Capitulo 3 - Aula 1
Impostos
Direito Tributário
Preparatório OAB
01
"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de 
dados. A violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do
material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).\u201d
www.r2direito.com.br
Curso Preparatório OAB - Direito Tributário
Professora: Sabrina Welsch
Impostos
Imposto é uma espécie do gênero de tributos - estes, definidos no artigo 3º do CTN. 
Esta espécie de tributo tem como fato gerador uma situação independente de 
qualquer atividade estatal específica, relativa ao contribuinte (art. 16 CTN). A 
obrigação de pagar tributo tem como fato gerador a situação prevista em lei como 
necessária e suficiente à sua ocorrência.
Portanto, em se tratando de imposto, a situação prevista em lei como necessária e 
suficiente ao nascimento da obrigação tributária não se vincula a nenhuma 
atividade estatal. 
De acordo com a Constituição Federal, podemos classificá-los como Impostos 
Federais, Estaduais e Municipais.
DOS IMPOSTOS FEDERAIS 
IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO - II
Também conhecido como "tarifa aduaneira", "direitos de importação", "direitos 
aduaneiros", entre outras denominações.
- Competência: é da União.
- Função: predominante a extrafiscalidade. É um importante instrumento de 
proteção da indústria nacional e de equilíbrio da política econômica.
- Materialidade / fato gerador: é a entrada da mercadoria estrangeira no Território 
Nacional, (art. 19 CTN). Os portos e aeroportos alfandegados e áreas adjacentes 
aos pontos de fronteira alfandegados, são denominados de "zonas primárias". Os 
entrepostos aduaneiro e especial, depósitos, terminais ou outros locais destinados 
ao armazenamento são denominados de "zonas secundárias". Não se deve 
confundir a ocorrência do fato gerador com a forma pela qual tal ocorrência se 
exterioriza ou é documentada. 
02
"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de 
dados. A violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do
material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).\u201d
www.r2direito.com.br
Não constitui fato gerador a entrada no território aduaneiro:
I. de mercadorias às quais tenha sido aplicado o regime de exportação temporária;
II. de mercadorias que retornem ao país nas seguintes condições: a) enviadas em 
consignação e não vendidas nos prazos autorizados; b) por defeito técnico que 
exija sua devolução para reparo ou substituição; c) por motivo de modificações na 
sistemática de importação por parte do país importador; d) por motivo de guerra ou 
calamidade pública; e) por quaisquer fatores alheios à vontade do exportador;
III. do pescado capturado fora das águas territoriais do país, por empresa localizada 
no seu território, desde que satisfeitas as exigências que regulam a atividade 
pesqueira.
Despacho aduaneiro da mercadoria importada é o procedimento mediante o qual 
se verifica a exatidão dos dados declarados pelo importador em relação à 
mercadoria importada, aos documentos apresentados e à legislação vigente, 
objetivando promover sua entrega ao importador e a regular entrada no país.
A conferência aduaneira relativa às declarações será realizada na presença do 
importador ou do representante.
- Sujeito Ativo: haja vista a competência atribuída à União, é esta o sujeito ativo.
- Contribuinte: a) o importador; b) o destinatário da remessa postal internacional 
indicado pelo respectivo remetente; c) o adquirente da mercadoria entreposta; d) o 
arrematante dos produtos apreendidos ou abandonados.
- Responsável: a) o transportador, quando transportar mercadoria procedente do 
exterior ou sob controle aduaneiro, inclusive em percurso interno; b) o depositário, 
assim considerada qualquer pessoa incumbida da custódia de mercadoria sob 
controle aduaneiro.
- Responsável solidário: a) o adquirente ou cessionário de mercadoria 
beneficiada com isenção ou redução de imposto; b) o representante, no país, do 
importador estrangeiro; c) o transportador no caso de avaria ou extravio.
- Alíquotas: A Tarifa Aduaneira do Brasil é denominada TEC (Tarifa Externa 
Comum), sendo aplicada a nomenclatura Comum do Mercosul. 
"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de 
dados. A violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do
material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).\u201d
www.r2direito.com.br
03
Existem duas espécies de alíquotas no imposto de importação. Uma é chamada de 
alíquota específica, que é expressa por uma quantia determinada, em função da 
quantificação dos bens importados. A outra alíquota é a "ad-valorem", indicada em 
porcentagem a ser calculada sobre o valor do próprio bem. 
Os valores expressos em moeda estrangeira deverão ser convertidos em moeda 
nacional, à taxa de câmbio vigente na data em que se considerar a ocorrência do 
fato gerador.
- Base de cálculo: Quando a alíquota for específica, a base de cálculo é a medida 
adotada pela lei para o caso (art. 20, I CTN).quando for ad valorem, a base de 
cálculo é o preço normal do produto, ou de seu similar, que seria alcançado, ao 
tempo da importação (art. 20,II CTN). Finalmente, se for um produto apreendido ou 
abandonado que é levado ao leilão, a base de cálculo será o preço da arrematação 
(art. 20,III CTN).
IMPOSTO DE EXPORTAÇÃO - IE
- Competência: União.
- Função: predominantemente extrafiscal.
- Materialidade: O tributo em comento tem como fato gerador a saída do território 
nacional, dos produtos nacionais ou nacionalizados, sendo considerado como tal a 
data de registro da exportação no SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO 
EXTERIOR/SISCOMEX .
Despacho de exportação é o procedimento mediante o qual se processa o 
desembaraço aduaneiro de mercadoria destinada ao exterior, seja ela exportada a 
título definitivo ou não. Também sujeitam-se a despacho as mercadorias que, 
importadas a título não definitivo, devam ser objeto de reexportação.
- Sujeito ativo: União.
- Sujeito passivo: Contribuinte: O contribuinte do imposto é o exportador ou 
quem a lei a ele equiparar (art. 27 CTN), assim considerada qualquer pessoa que 
promova a saída do produto do território nacional. 
 
04
"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de 
dados. A violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do
material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).\u201d
www.r2direito.com.br
Responsáveis: o transportador, o depositário e outras pessoas designadas na lei.
- Alíquotas: Neste caso as alíquotas poderão ser específicas e ad valorem. O 
Poder Executivo pode, nos limites fixados em lei, alterar as alíquotas do imposto 
em função dos objetivos da política cambial e do comércio exterior (art. 26 CTN). 
Segundo o decreto-lei 1.578/77, o qual regulamentou o imposto em comento, a 
alíquota básica é de 30%, facultado ao Poder Executivo reduzi-la ou aumenta-la 
segundo os parâmetros legais (CTN). Em caso de elevação, a alíquota do imposto 
não poderá ser superior a cinco vezes o percentual fixado, segundo a Lei nº 9.716, 
de 26.11.1998.
- Base de cálculo: é o preço normal que a mercadoria ou seu similar, alcançaria ao 
tempo da exportação em uma concorrência de mercado internacional, no