Exercício de fixação
8 pág.

Exercício de fixação


DisciplinaPsicologia Jurídica9.587 materiais85.582 seguidores
Pré-visualização3 páginas
de estudo, constituindo-se ela em uma ciência bastante precisa e rigorosa quanto a seus delineamentos.
II \u2013 O fato de o psicólogo ser um homem que estuda o próprio homem representa uma dificuldade a mais no desenvolvimento da psicologia como ciência, uma vez que o sujeito da pesquisa se confunde com o objeto pesquisado e que a concepção que este tem sobre ser humano interfere diretamente na escolha da teoria e da metodologia adotada.
III \u2013 O psicólogo jurídico é responsável pelo atendimento clínico de juízes, promotores, defensores, e advogados que se sentem, de algum modo, pressionados pelas responsabilidades que devem assumir em cada caso em que atuam ou que estejam passando por questões pessoais que interferem em seu desempenho profissional.
IV \u2013 O psicólogo pode desenvolver diversos tipos de atividades, além da terapia, podendo ser aproveitado, por exemplo, nas áreas de marketing, publicidade e planejamento urbano, como consultor técnico.
V \u2013 O psicólogo jurídico tem como função, entre outras, atender as partes que vivem um conflito passível de terminar na justiça, a fim de buscar uma forma para que as próprias partes o solucionem, evitando a abertura do processo judicial e desafogando juízes e tribunais.
Considerando sua análise, responda: 
As afirmativas corretas são:
I, III e V
III e V
II e IV
II e V
I e IV
17) Marque a alternativa incorreta, corrigindo-a:
a) As primeiras impressões humanas tendem a se reafirmar, funcionando 
como profecias auto-realizadoras. Isto se dá porque nós, humanos, temos 
instinto apurado e sensibilidade aflorada, percebendo facilmente as 
situações, mesmo quando indicadas apenas por pequenos detalhes.
b) Muitos dos preconceitos que o ser humano possui foram-lhe ensinados 
em casa, pela própria família, através da modelação que decorre da 
educação primária.
c) A televisão e a mídia têm muita influência sobre a questão dos 
preconceitos. Os grupos sociais com quem as pessoas convivem também são 
responsáveis pelo desenvolvimento de muitos preconceitos que elas têm.
d) O diferente torna-se facilmente alvo de preconceito, por despertar 
medo e insegurança. Além do mais, colocando contra ele nossos impulsos 
agressivos, não colocamos em risco a coesão que necessitamos que exista 
dentro do grupo de semelhantes.
e) Apenas a convivência em um mesmo espaço de alguém que tem preconceito 
com uma pessoa pertencente ao grupo que o primeiro discrimina não basta 
para que esse preconceito se extinga.
18) É correto afirmar, a respeito da aplicação da psicologianos meios jurídicos:
A) Uma primeira aproximação entre Direito e Psicologia se deu através da Psicologia dos Testemunhos, em que os ' conhecimentos psicológicos eram utilizados para se avaliar o grau de confiabilidade dos depoimentos.
B) Testes psicológicos são uma maneira bem simples e objetiva de se analisar urna pessoa ou situação. Além de serern fáceis de aplicar, são bastante precisos e permitem que o psicólogo saiba muito sobre o sujeito em que são aplicados, mesmo sem conhecê-lo e sem ter muitas informações a seu respeito.
C) A principal função do psicólogo, na Justiça, é responder às questões que lhe são feitas pelo Poder Judiciário, amenizando, assim, a angústia do magistrado na hora de proferir sua decisão.
D) Por conhecer muito bem as características que integram o perfil do que saia considerado "guardião ideal", e saber cano detectar, através de testes, qual dos genitores mais se aproxima daquele perfil, o psicólogo pode apontar, com certeza, qual deles seria mais indicado para ficar com a guarda da criança, atendendo ao seu melhor interesse.
E) O psicólogo jurídico que atua nas varas de família não tem qualquer problema em relação a prazos para trabalhar, nem ao número de atendimentos que lhe são demandados, diariamente. Assim, as técnicas usadas por ele, na Justiça, serão as mesmas que ele utiliza quando atende em seu consultório a um caso particular.
 19) A Psicologia constituiu-se como área do conhecimento científico no final do século XIX. Em seu processo histórico, observamos o desenvolvimento de uma série de teorias, abrangendo uma diversidade de objetos de estudo. Entretanto, de forma sintética, podemos dizer que a Psicologia contribui com o estudo da Subjetividade.
A seguir, são apresentadas diferentes definições de Subjetividade. Analise cada item e assinale a alternativa incorreta . Justifique sua resposta. 
(a) é a síntese singular e individual que cada um vai contribuindo ao longo de seu desenvolvimento, vivenciando experiências no mundo social e cultural.
(b) é o mundo de ideias, significados e emoções constituído internamente pelo indivíduo a partir de suas relações sociais e de sua constituição biológica.
(c) é a representação exclusiva dos fatores inatos de cada indivíduo e que o diferencia dos demais.
(d) é a fonte das manifestações afetivas e comportamentais do indivíduo.
20) A avaliação psicológica realizada no Sistema de Justiça apresenta uma série de características próprias.
Analise as assertivas abaixo e assinale a incorreta. 
a) deve ser resguardado o sigilo das informações prestadas pelo entrevistando, quando essas não forem relevantes para a matéria jurídica em análise.
b) no sistema prisional, a avaliação psicológica pode definir com fídedignidade se o delinquente irá ou não reincidir, em caso de livramento condicional.
c) a avaliação psicológica não deve utilizar exclusivamente critérios de adaptação social, como classificação do que seja normal ou patológico.
d) a avaliação psicológica é um recurso auxiliar e de Suporte no Sistema de Justiça, observadas a autonomia técnica do especialista na sua elaboração e as premissas dos Direitos Humanos.
21 \u2013 Hebe Signorine Gonçalves, no texto "Infância e Violência Doméstica: um tema da modernidade" (in Temas de Psicologia Jurídica) problematiza as discussões teóricas que são produzidas sobre a Violência Doméstica desde metade do século XIX. As mais recentes leituras formuladas sobre a questão produzem o entendimento, partilhado pela autora, de que a Violência Doméstica é: 
a) todo ato e/ou omissão conscientes praticados por pessoas agregadas a família contra crianças e/ou adolescentes capazes de causar dano físico, sexual e/ou psicológico;
b) um problema da cultura que explode em relações interpessoais, devendo ser vista de modo mais abrangente e complexo;
c) um problema de ordem individual, familiar, psicológica e/ou de classe social;
d) o resultado da imaturidade, promiscuidade, drogadição e psicopatia dos pais abusivos;
e) efeito direto da má qualidade de vida (pobreza, desemprego), que atua como geradora de estresse crônico ou agudo. 
22 - A mediação, ao fazer com que os participantes do processo encarem seus conflitos de forma madura e consciente, torna-se um instrumento amplamente democrático. A mediação tem como objetivo: 
(A) decidir pelos envolvidos.
(B) direcionar a negociação entre as partes.
(C) aconselhar as pessoas envolvidas.
(D) fazer com que as pessoas sejam as próprias autoras das soluções.
(E) fazer uma intervenção social.
23 \u2013 Segundo a maioria dos autores, a mediação é um processo no qual uma terceira pessoa, o mediador, auxilia os participantes na resolução de uma disputa. Acreditam que a mediação é idealmente apropriada para disputas familiares e que, como a resolução do problema envolve mais do que uma pessoa, a solução escolhida deve satisfazer: 
A - principalmente as necessidades dos progenitores no grupo.
B - a maioria dos participantes da disputa.
C - ambos os genitores de cada grupo familiar em disputa.
D - todos os participantes da disputa. 
24) Considerando-se as relações entre a Psicologia e o Sistema Penal, é INCORRETO afirmar que 
a Criminologia Crítica considera impossível estudar o fenômeno crime sem se levar em conta a ação seletiva e configuradora de carreiras criminais exercidas pelas agências de controle social \u2014 como os processos de criminalização e a seletividade das leis, das polícias e do sistema judiciário.