A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
120 pág.
Tema_10

Pré-visualização | Página 4 de 6

exemplo, 
da economia de escopo obtida na co-geração. A 
partir da década de 90, a reforma do setor elétrico 
brasileiro permitiu a competição no serviço de 
energia, criando a concorrência e estimulando todos 
os potenciais elétricos com custos competitivos. 
 Com o fim do monopólio da geração elétrica, em 
meados dos anos 80, o desenvolvimento de 
tecnologias voltou a ser incentivado com visíveis 
resultados na redução de custos. 
Submercados: 
 intercâmbio 
 
64 
65 
66 
Expansão - Contratação de Longo 
Prazo 
 Obtenção, pelos vencedores das licitações visando 
à expansão da oferta, de contratos de suprimento 
de longo prazo (15 a 20 anos), o que tende a 
reduzir o custo do financiamento e melhora as 
condições para o investimento; 
 Exigência de contratação de 100% da demanda por 
parte de todos os agentes de consumo 
(distribuidores e consumidores livres), lastreada, 
basicamente, em contratos com prazos não 
inferiores a cinco anos; 
 Contratação da energia visando a expansão do 
mercado com antecedência de três e cinco anos e 
por meio de contratos de longo prazo; 
67 
ACR – Declarações 
Decreto nº 5.163, de julho de 2004 
 Declarações de necessidades (Art. 17 e 18) 
 Cada agente de distribuição deve declarar, até 
sessenta dias antes de cada leilão de energia, os 
montantes de energia que deverá contratar nos 
leilões 
 Deve especificar a parcela de contratação dedicada ao 
atendimento a consumidores potencialmente livres - 
balizar possíveis reduções nos contratos 
68 
Os dois Ambientes Contratação 
Geradores, Produtores Independentes, 
Comercializadores 
Ambiente de 
Contratação 
Regulada 
(ACR) 
Ambiente de 
Contratação 
Livre 
(ACL) 
CC D 
Preços dos Contratos 
resultantes de leilões 
Preços dos Contratos 
livremente negociados 
C CL 
69 
Os dois Ambientes Contratação 
CC 
D Distribuidora 
 
 
 
Consumidor cativo 
 
 
 
Consumidor livre 
 
 
 
comercializadora C 
CL 
70 
71 
72 
73 
74 
75 
DEC (Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora) 
indica o número de horas em média que um consumidor fica sem energia 
elétrica durante um período, geralmente o mês ou o ano. 
 
FEC (Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora) 
indica quantas vezes, em média, houve interrupção na unidade 
consumidora (residência, comércio, indústria etc). 
76 Dados da concessionária Eletropaulo obtidos no site da ANEEL: Os valores de DEC e FEC 
referem-se à média dos valores do período de 12 meses até a data indicada. 
77 Dados da concessionária Light obtidos no site da ANEEL: Os valores de DEC e FEC 
referem-se à média dos valores do período de 12 meses até a data indicada. 
78 
79 
Os dois Ambientes Contratação - Relações 
V1 
... D1 
Vk Vn V2 
D2 Dn CL CL CL 
C 
Ambiente de Contratação 
Regulada (ACR) Ambiente de Contratação 
Livre (ACL) 
contratos bilaterais de 
longo prazo - CCEAR 
contratos bilaterais de 
ajuste contratação por 
até 2 anos 
regime de livre 
contratação 
Preços de suprimento 
resultante de leilões 
Preços de suprimento 
livremente negociados 
CONVIVÊNCIA ENTRE MERCADO COMPETITIVO E MERCADO REGULADO 
80 
GERAÇÃO 
• competição na venda de energia 
• opção de venda no ACR e no ACL 
• mitigação de riscos na comercialização com 
a contratação de longo-prazo e na forma de 
pool no ACR 
• incentivo a novos investimentos (PPAs de 
longo prazo para novas usinas) - (PPA - Power 
Purchase Agreement ) Contratos de suprimento de energia 
celebrados entre empresas Geradoras e concessionárias 
Distribuidoras supridas. 
83 
DISTRIBUIÇÃO 
• compra de energia na forma de pool somente através 
de leilões (CCEE) 
• venda de energia somente a consumidores regulados 
• contratação para atendimento à expansão do consumo 
com 5 e 3 anos de antecedência 
• gerenciamento do risco de mercado através de: 
• trocas de contratos entre distribuidoras 
• contratação com até 2 anos de antecedência 
(contratos com até 2 anos de duração) 
• livre acesso à rede de distribuição para atendimento a 
consumidores livres 
• fim do self-dealing por meio da contratação através do 
CCEE 
Pn
Dn
D3 P2
D2 P1
D1
Montante 
de energia 
requisitado 
no leilão 
Energia 
rateada e 
contratada 
entre 
Geradoras e 
Distribuidoras 
Energia 
ofertada no 
leilão 
. 
. 
. 
Necessidades de contratação pelas Distribuidoras 
Leilões de Venda de Energia Nova ou Existente 
 Valor máximo (para leilões de 
energia existente) 
85 
CONSUMIDORES LIVRES 
• consumidores elegíveis a se tornarem livres 
• Demanda > 3 MW e tensão de atendimento >69kV 
– podem adquirir energia de qualquer supridor 
• 500kW < demanda < 3MW atendidos em qualquer 
tensão – podem adquirir energia somente de 
fontes alternativas. 
• retorno à condição de consumidor regulado 
comunicado com 5 anos de antecedência 
• segmentação dos contratos: energia, uso e 
conexão na rede elétrica 
86 
PLANEJAMENTO COM MECANISMOS DE 
MERCADO 
Planejamento com contestação pública 
• por técnica  verifica empreendimentos e projetos de 
engenharia 
• por preço  verifica o mercado e permite investimentos de PIE 
Requisitos para licitação de usinas: 
• licença ambiental prévia 
• projeto básico da usina 
Licitação de blocos de energia 
Escolha dos melhores projetos 
Eficiência econômica do processo 
USINAS 
DO PLANO 
88 
CONCESSÃO DA NOVA GERAÇÃO HIDRO 
Licitação pelo mercado 
Licitação da concessão 
características/condições: 
• licença prévia ambiental (LP) 
• projeto básico 
• PPA para o gerador (15/20 anos) 
89 
CONCESSÃO DA NOVA GERAÇÃO HIDRO 
Contratos Iniciais ou PPA (Power Purchase Agreement) 
 Contratos de suprimento de energia celebrados entre empresas 
Geradoras e concessionárias Distribuidoras supridas. Os Contratos 
Iniciais de Compra e Venda de Energia Elétrica foram válidos até 
2005, período de transição para o livre comércio de energia elétrica 
e substituíram os Contratos de Suprimento de Energia Elétrica 
conforme disposições da Lei No 9.648, de 27 de maio de 1998; do 
Decreto No 2.655, de 02 de junho de 1998, e das Resoluções 
ANEEL No 244, de 30 de julho de 1998, e ANEEL No 141, de 09 de 
junho de 1999 
90 
Responsabilidade da EPE 
• Define lista de usinas (Uk) 
• Ordena usinas por mérito econômico (pk), 
conforme preço de referência 
• Define preço marginal Pmarg, 
para participação de PIEs e autoprodutores - AP 
LICITAÇÃO DA EXPANSÃO 
P
marg 
Q
pool 
U1 U2 U3 U5 U4 
p1 
p2 
p3 
p4 
p5 
Critério de seleção 
• Menor preço de venda de energia para o pool (ACR) 
91 
LICITAÇÃO DA EXPANSÃO 
Participação de PIEs e APs 
• Empreendedores devem declarar % de energia da usina 
 pretendida que será destinada ao ACR 
• Por ter deslocado parte de uma usina planejada 
 para atendimento ao pool, 
 empreendedor paga compensação 
• Esta compensação é calculada com base na 
 parcela de energia (x) destinada ao 
 uso próprio (AP) ou à venda no ACL (PIE), pela fórmula: 
 
 x * (Pmarg – Pofer) 
 
 onde Pofer é o preço ofertado pelo empreendedor na licitação 
P
marg 
Q
pool 
U1 U2 U3 U5 U4 
p1 
p2 
p3 
p4 
p5 
A A-1 A-2 A-3 A-4 A-5 
CONTRATAÇÃO DAS DISTRIBUIDORAS 
CONTRATAÇÃO DA 
EXPANSÃO 
CONTRATAÇÃO DA 
GERAÇÃO EXISTENTE 
LIQUIDAÇÃO 
EX-POST 
CONTRATAÇÃO DE 
AJUSTE 
93 
CONTRATAÇÃO EXPANSÃO A-5 
• Consolidação previsão de mercado 
 distribuidoras 
 consumidores livres 
EPE 
• Determina à ANEEL licitação pelo 
mercado (mercado + reserva) 
 Objeto da licitação: usinas novas (na 
transição, também usinas em construção) 
MME 
• Formaliza contratação das 
distribuidoras 
CCEE 
REPASSE DO CUSTO DA 
CONTRATAÇÃO ÀS TARIFAS 
EXPANSÃO A SER 
CONTRATADA 
LICITAÇÃO DA 
EXPANSÃO 
CONTRATAÇÃO 
Contratos G  D (pool) 
• Entrega da energia a partir do ano A 
• Duração 15/20 anos 
CONTRATAÇÃO EXPANSÃO A-3 
• Consolida necessidade de mercado 
adicional distribuidoras 


Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.