CCJ0009-WL-PA-29-T e P Narrativa Jurídica-Novo-15864
3 pág.

CCJ0009-WL-PA-29-T e P Narrativa Jurídica-Novo-15864


DisciplinaTeoria e Prática da Narrativa Jurídica741 materiais3.481 seguidores
Pré-visualização1 página

	 
			
			 Plano de Aula: 15 - Teoria e Prática da Narrativa Jurídica
			 TEORIA E PRÃ\ufffdTICA DA NARRATIVA JURÃ\ufffdDICA
			
		
		
			Título
			15 - Teoria e Prática da Narrativa Jurídica
			 
			Número de Aulas por Semana
			
				
			
			Número de Semana de Aula
			
				15
			
 
 Tema
		 Produção da fundamentação simples: introdução à argumentação jurídica.
		
		 Objetivos
		 
O aluno deverá ser capaz de:
- Aprimorar a produção da fundamentação simples;
- Produzir textos coesos e coerentes.
		
		 Estrutura do Conteúdo
	 
1. Fundamentação simples
1.1. Argumento pró-tese
1.2. Argumento de oposição
1.3. Argumento de autoridade
2. Diferentes tipos de intróito
3. Coesão e coerência textuais aplicadas ao texto jurídico argumentativo: noções elementares
	
	 Aplicação Prática Teórica
 
Esta aula continua a proposta de revisitação do conteúdo já trabalhado, a fim de aprimorar as competências e habilidades necessárias à produção do texto jurídico, as quais não são alcançadas, por certo, em um único encontro.
Questão
Leia o caso concreto disponível para a aula de hoje e produza a fundamentação simples para o caso concreto. Reiteramos que o texto deverá conter Intróito, argumentos pró-tese, de autoridade, de oposição e conclusão.
 
Caso Concreto
Paulino Provin Miola recebeu fatura no valor de R$ 131,67, por serviços de telefonia prestados em seu telefone residencial. Analisando a fatura, verificou constar ligação de mais de 30 minutos para a Ilha Salomão.
Em contato com a Embraliga, informou não ter efetuado tal ligação, uma vez que a referida linha telefônica se encontrava disponível para uso exclusivo da internet, reiterando não ter efetuado a ligação de 30 minutos para a Ilha Salomão. Não obstante tais procedimentos, recebeu aviso de inclusão no SPC e, posteriormente, ao realizar as compras de natal, foi informado do cadastramento.
A Embraliga alegou que Paulino, ao acessar site perigoso, teve seu computador desconectado do provedor â\u20ac\u2dcTerraâ\u20ac\u2122, e conectado a provedor internacional desconhecido, resultando na ligação antes referida. Esclarecida a situação, o nome de Paulino foi incluído nos cadastros de inadimplentes em razão do nãoâ\u20ac\u201cpagamento da dívida.
Segundo a Embraliga, a origem da ligação internacional antes referida ocorreu em razão do acesso de Paulino a sites internacionais de risco, que provocaram a desconexão ao seu provedor e nova conexão a provedor internacional.  Por isso, a empresa não se responsabiliza pela desatualização do antivírus no computador de seu cliente, tendo que efetuar a cobrança.
Paulino pediu a inversão do ônus da prova, alegando que estão presentes os requisitos de verossimilhança e hipossuficiência (condição inferior) do consumidor.
O depoimento de Fabiano Collasio, analista de sistemas do Provedor Terra, informa da possibilidade de discagem para provedor internacional, na hipótese de a máquina ter sido contaminada por um vírus que altere as configurações do â\u20ac\u153discadorâ\u20ac\ufffd existente no â\u20ac\u153navegadorâ\u20ac\ufffd, citando, inclusive, o conhecido vírus â\u20ac\u153cavalo de tróiaâ\u20ac\ufffd.
 
Caso necessário, considere, em sua fundamentação, as seguintes fontes:
Art. 6° do CDC: São direitos básicos do consumidor:
I - a proteção da vida, saúde e segurança contra os riscos provocados por práticas no fornecimento de produtos e serviços considerados perigosos ou nocivos;
VI - a efetiva prevenção e reparação de danos patrimoniais e morais, individuais, coletivos e difusos;
VII - o acesso aos órgãos judiciários e administrativos, com vistas à prevenção ou reparação de danos patrimoniais e morais, individuais, coletivos ou difusos, assegurada a proteção jurídica, administrativa e técnica aos necessitados;
VIII - a facilitação da defesa de seus direitos, inclusive com a inversão do ônus da prova, a seu favor, no processo civil, quando, a critério do juiz, for verossímil a alegação ou quando for ele hipossuficiente, segundo as regras ordinárias de experiência;
Ensina Ada Pelegrini Grinover: â\u20ac\u153Ã\u2030 evidente, entretanto, que não será em qualquer caso que tal se dará, advertindo o mencionado dispositivo, como se verifica de seu teor, que isso dependerá, a critério do juiz, da verossimilhança da alegação da vítima e segundo as regras ordinárias da experiênciaâ\u20ac\ufffd (GRINOVER, Ada Pelegrini. Código Brasileiro de Defesa do Consumidor. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1992, p. 71).
 
Procon de São Paulo: aviso impresso aos consumidores - â\u20ac\u153Navegar pela Internet pode ser uma experiência realmente interessante, mas requer cuidados! O acesso a alguns sites (eróticos e de jogos, principalmente) pode fazer com que seu computador, até mesmo sem que você perceba, seja desconectado do provedor local, reconectando-o automaticamente a outro provedor, no exterior, gerando, assim, a cobrança de ligações internacionais!â\u20ac\ufffd
Â