317_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006
1 pág.

317_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006


DisciplinaClimatologia1.929 materiais34.549 seguidores
Pré-visualização1 página
METEOROLOGIA E CLIMATOLOGIA
Mário Adelmo Varejão-Silva
Versão digital 2 \u2013 Recife, 2006
303
3
2
1
0
km
Fig. VII.23 - Secção meridional esquemática da camada de inversão térmica na zona dos
ventos alísios (Nieuwolt, 1977).
Para o meio da zona equatorial de baixa pressão à superfície convergem os alísios dos
dois hemisférios (Fig. VII.20). A direção e a velocidade médias dos alísios consta da Fig. VII.22.
Uma característica interessante da faixa tropical é a presença de uma camada de inversão térmi-
ca, chamada inversão dos alísios. É uma camada onde a temperatura do ar aumenta com a altitu-
de. A altura da base da camada de inversão, sobre o oceano, varia com a latitude, passando de
2000 a 800m, entre as latitudes de 5 e 25o, respectivamente (Fig. VII.23); a espessura pode variar
de poucos metros até 1km, sendo, em média, de 400m (Riehl, 1965). A inversão térmica da zona
dos ventos alísios (a "inversão dos alísios") é atribuída ao movimento subsidente do ar associado
aos centros anticiclônicos semipermanentes e constitui um bloqueio ao desenvolvimento de nu-
vens cumuliformes, daí a elevada freqüência de cúmulos de bom tempo (de pequena espessura)
na zona dos alísios. Para que ocorram cúmulos e cumulonimbos bem desenvolvidos são necessá-
rias fortes condições de instabilidade, capazes de destruir essa camada de inversão.
A faixa de encontro dos alísios de nordeste (procedentes do Hemisfério Norte) com os de
sudeste (oriundos do Hemisfério Sul) é conhecida como Zona de Convergência Intertropical
(ZCIT) e sua posição coincide aproximadamente com a do equador térmico.
A ZCIT se caracteriza por uma acentuada instabilidade atmosférica que favorece o desen-
volvimento de intensas correntes ascendentes, com formação de grandes nuvens convectivas,
geradoras de precipitação abundante (Fig. VII.24). Fortes aguaceiros, acompanhados de relâm-
pagos e trovões são comuns em toda a ZCIT e, como sua posição oscila muito com o tempo, a
precipitação gerada vai sendo distribuída sobre uma faixa de considerável largura.
O sistema nebuloso associado à ZCIT a torna facilmente identificável, nas áreas oceâni-
cas, em imagens geradas por satélites. Sobre os continentes, porém, dada a intensa atividade
convectiva (que se desenvolve por causa do aquecimento do solo), a presença da ZCIT é nor-
malmente difícil de detectar. A posição média da ZCIT se situa em torno de 5oN, o que se justifica
por haver no Hemisfério Norte uma maior área continental e, portanto, maior transferência de calor
para a atmosfera.