A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
LIA - PARTE I-SUJEITOS

Pré-visualização | Página 1 de 1

DIREITO ADMINISTRATIVO 
LEI DE IMPROBIDADE - LEI 8429/92 – PARTE I SUJEITOS
LIA – LEI 8429/92 – SUJEITOS – (PARTE I)
	ATIVO
	PASSIVO
	AGENTE PÚBLICO
	TERCEIRO PARTICULAR
	-Administração pública
-Nunca será pessoa física
	-TODOS
-Efetivos
-empregados
-Com ou sem remuneração
-Agentes políticos
-Estagiários
-EXCETO Pres. Da República.
	-No que couber
-Não responde sozinho
-Tem que haver ação civil públicaDireta ou Indireta
-Que se: Beneficie
 Induza
 Concorra
	PRINCIPAIS
	SECUNDÁRIAS
	
	
	-Adm. DIRETA ou INDIRETA
-Empresas incorporadas ao patrimônio público
	-Entidades que recebem:
-Benefício
-Incentivo fiscal
-Creditício de órg. Público
-Subvenção (ajuda)
	
	
	SUJEITAM-SE A LIA INTEGRAL
	SUJEITAM-SE A LIA ATÉ O LIMITE DO VALOR EMPREGADO
	
	
	-Entidade para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido com + de 50% do patrimônio da receita anual.
	- Entidade para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido com - de 50% do patrimônio da receita anual.
ATENÇÃO: Não existe prerrogativa de foro para ações de improbidade.
	QUESTÕES
	CESPE-2020/ Ministério da economia
É inviável a propositura de ação de improbidade adm. exclusivamente contra particular, sem a presença do agente público no polo passivo da lide.
CESPE-2020/ Ministério da economia
O PR sujeita-se às mesmas sanções aplicáveis aos agentes públicos previstas na LIA. 
ERRADO. O PR não é sujeito a LIA
CESPE-2020/ Ministério da economia
Determinado prefeito liberou verbas públicas sem a estrita observância das normas pertinentes ao processo licitatório. O referido prefeito, embora seja considerado agente político, está sujeito à LIA.
CESPE-2020/MP-CE
A incidência da referida lei independe de percepção de remuneração decorrente do exercício da função pública pelo agente.
CESPE-2020/MP-CE
As regras que vedam a prática de atos de improbidade administrativa incidem apenas sobre servidores públicos
ERRADO: Incidem sobre terceiro particular no que couber.
CESPE-2020/ministério da economia
Ação de improbidade adm. deve ser processada e julgada nas instâncias ordinárias, ainda que proposta contra agente político que tenha foro privilegiado.
CESPE-2020/MP-CE
Lúcio, conselheiro de TCE, Pierre, prefeito de município, e Mário, desembargador de TJE, cometeram ato de improbidade adm., previsto na LIA. No âmbito do Poder Judiciário, deverá ocorrer o processamento e julgamento em 1ª instância de LÚCIO, PIERRE E MÁRIO. Lembrar que não existe prerrogativa de foro para ações de improbidade.
CESPE-2019/TJ-PA
Os atos de improbidade praticados por qualquer agente público, seja ele servidor público ou não, sujeitam-se à referida lei.
CESPE-2019/TJ-AM
Na ação de improbidade adm., é possível a formação de litisconsórcio entre agente público e particular que tenha sido beneficiado do ato ímprobo, hipótese em que o mesmo regime prescricional será aplicado para ambos.
CESPE-2019/PGE-PE
Para ser imputado como ato de improbidade administrativa praticado contra associação civil de direito privado sem fins lucrativos e de interesse coletivo a referida entidade deve ter sido subsidiada pelo erário em montante não inferior (=superior) a 50% da receita anual
ERRADO: Se tem dinheiro público no meio, tem ação de improbidade sempre.
CESPE-2019/PGE-PE
S.E.M. em que a UNIÃO detenha +50% das cotas sociais será considerada sujeito ativo de improbidade administrativa caso um de seus dirigentes cometa conduto dolosa que cause prejuízo ao erário.
ERRADO: S.E.M. será considerada sujeito passivo.
CESPE-2019/PGE-PE
Estudante maior de vinte e um anos de idade que estagia sem remuneração em empresa pública estadual estará sujeito a responder por ato de improbidade adm. caso se utiliza de sua condição de estagiário para auferir vantagem econômica indevida.
CESPE-2018/PGM-PB
Segundo entendimento do STJ, pessoa jurídica poder ser sujeito passivo de ação de improbidade administrativa.
CESPE-2018/MPE-PI
Sávio, profissional liberal, induziu Jorge, servidor público, a cometer ato de improbidade administrativa, mas não concorreu para tal prática e não se beneficiou dela. Jorge poderá ser responsabilizado pelo ato ímprobo, mas Sávio estará isento de punição, por não ter sido beneficiado com a conduta de Jorge.
ERRADO: Sávio está sujeito a L.I.A., como terceiro no que couber, pois induziu Jorge ao ato ímprobo.
CESPE-2018/PF
Embora não haja litisconsórcio passivo necessário entre o agente público e os terceiros beneficiados com o ato ímprobo, é inviável que a ação civil por improbidade seja proposta exclusivamente contra os particulares, sem concomitante presença do agente público no polo passivo da demanda.