A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
física - QUEST. RADIAÇÕES

Pré-visualização | Página 1 de 1

QUESTIONÁRIO
- RADIAÇÕES –
Bruna Ongaratto Zambiasi
09/06/2010
O que é radiação?
A radiação é uma forma de energia que é emitida por uma fonte e se propaga de um ponto a outro em formato de partículas, sem ou com carga elétrica ou até sob a forma de ondas eletromagnéticas. Quando a radiação possui energia suficiente para tirar um dos elétrons orbitais de átomos que são neutros e conferir-lhe energia cinética, os transformando em um par de íons, ela denomina-se radiação ionizante. 
 Qual a diferença entre radiação corpuscular e radiação eletromagnética?
Radiação Eletromagnética: as ondas eletromagnéticas são constituídas de campos elétricos e magnéticos oscilantes (entre si são perpendiculares) que no vácuo se propagam com velocidade constante, que é 300mil km/s, a velocidade da luz. A energia dessa onda é quantizada, ou seja, possuem valores pequenos, sendo expressas em micrometro (1μm = 10-6m), nanômetro (1nm = 10-9 m) e angstrom (1Å = 10-10m). As ondas de TV, rádio, raios-X, raios gama, microondas, infravermelho, luz visível e ultravioleta são ondas eletromagnéticas. Elas se diferenciam pela sua freqüência e seu comprimento de onda.
Radiação Corpuscular: é em forma de partículas. É constituída de um feixe energético de partículas, como: elétrons, prótons, pósitrons, nêutrons, mésons pi, múons, dêuterons, partículas alfa etc.
O que é fóton?
É a forma de propagação descontínua da radiação eletromagnética, em pequenos pulsos de energia, ou seja, são partículas sem carga e massa de repouso. São também chamados de pacotes de energia e quanta. O fóton é a menor quantidade de luz que pode ser emitida ou absorvida em qualquer processo.
Como podemos calcular a energia de um fóton?
Pela fórmula E = h.f. Todos os fótons, associados a uma freqüência particular f de luz, possuem a mesma energia E, diretamente proporcional a f.
Caracterize a radiação alfa, radiação beta, radiação gama e raios X. Diga o poder de penetração de cada um.
Radiação alfa (α) ( são núcleos do átomo hélio, constituídos de dois prótons e dois nêutrons. É mais pesada do que um elétron e sua trajetória num meio é retilínea. O seu alcance (distância que uma partícula percorre antes de parar) é muito pequeno, o que faz que ela seja facilmente blindada. Uma folha finíssima de alumínio 21 µm barra um feixe de partículas alfa de 5 MeV. Não ultrapassa a pele humana.
Radiação beta (β) ( são elétrons e pósitrons (pósitrons são idênticas aos elétrons, exceto no sinal de carga) que são muito mais penetrantes do que as partículas alfa. Podemos blindá-la com plástico ou alumínio.
Radiação gama ( são ondas eletromagnéticas extremamente penetrantes. Eles interagem com a matéria por diversos efeitos. Nesses efeitos são emitidos elétrons ou pares de elétron-posítron que, por sua vez, ionizam a matéria. Para blindagem dessa radiação, usa-se chumbo, concreto, aço ou terra.
Raios X ( são ondas eletromagnéticas, exatamente como os raios gama, diferindo apenas quanto à origem, pois os raios gama originam-se dentro do núcleo atômico e os raios X originam-se fora do núcleo, na desexcitação dos elétrons. Suas características são, no entanto, as mesmas da radiação gama.
 
 
Cite três aplicações das radiações ionizantes.
Radiografia (método não-destrutivo para detectar descontinuidades e heterogeneidades na matéria e é obtida utilizando raios X); esterilização de material cirúrgico (os fungos e bactérias são completamente destruídos dentro de um material – método tradicional: aquecimento do material entre 150˚C e 170˚C); estudo da poluição do ar (análise da quantidade de poluentes na atmosfera feita através do método PIXE – Particle Induced X-ray Emission – em que amostra do ar coletada é irradiada com prótons ou partículas alfa).
Quem no Brasil é responsável pela legislação e pela fiscalização do uso das radiações ionizantes?
No Brasil, há a CNEM, que é responsável pela legislação e normatização do uso da radiação. Ela elaborou normas básicas de proteção. “Para evitar a ocorrência dos efeitos não estocásticos: Nenhum tecido deve receber mais que 500mSv ao ano, com exceção do cristalino, para o qual recomenda-se o limite máximo permissível anual de 150mSv para evitar a formação da catarata” e “Para limitar o aparecimento dos efeitos estocásticos: a dose equivalente anual deve ser inferior a 50mSv para radiação uniforme do corpo todo” foram recomendações feitas pela Comissão Internacional de Proteção Radiológica na publicação ICRP-26 aos trabalhadores. A comissão também fez recomendações para os indivíduos do público: “o nível máximo permissível de radiação recomendado para os indivíduos do público é 10 vezes inferior ao de trabalhadores com radiação, segundo a publicação ICRP-26”.
Cite três normas básicas de proteção radiológica.
Usar máscaras para não inalar gases radioativos; utilizar luvas e roupas especiais, pois alguns produtos podem ser absorvidos pelo organismo através da pele; utilizar capa de chumbo ao fazer um exame de raios X.
Cite três efeitos biológicos das radiações ionizantes.
As radiações podem ser utilizadas com fins benéficos, no tratamento de algumas espécies de câncer, em dosagens apropriadas. Mas em quantidades elevadas, são nocivas aos tecidos vivos, causam grande perda das defesas naturais, queimaduras e hemorragias. Também afetam o DNA, provocando mutações genéticas (as mutações são, na maioria das vezes, indesejáveis, sendo bastante raras aquelas que poderão beneficiar seus portadores).
Fontes consultadas
Livro: “Radiação: Efeitos, riscos e benefícios” de Emico Okuno, editora Harbra.
Livro: “Física para ciências biológicas e biomédicas” de Emico Okuno, Iberê Luiz Caldas e Cecil Chow, editora Harbra.
http://www.contren.org.br/radio.htm

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.