A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
APOSTILA BANCO DO BRASIL 2020 PDF

Pré-visualização | Página 8 de 50

no singular por referir-se ao substantivo ‘conteúdo’.
Resposta: Letra D
1. A democracia reclama um jornalismo vigoroso e 
independente.
2. A agenda pública é determinada pela imprensa 
tradicional.
3. Mas o pontapé inicial é sempre das empresas de 
conteúdo independentes.
Em “a”: os dois adjetivos da frase (1) referem-se, 
respectivamente a ‘democracia’ e ‘jornalismo’; 
A democracia reclama um jornalismo vigoroso e 
independente = apenas a “jornalismo”
Em “b”: os adjetivos da frase (1) deveriam estar no 
plural por referirem-se a dois substantivos; 
A democracia reclama um jornalismo vigoroso e 
independente = a um substantivo (jornalismo)
Em “c”: na frase (2), a forma de particípio ‘determinada’ 
se refere a ‘imprensa’; 
A agenda pública é determinada pela imprensa 
tradicional = refere-se ao termo “agenda pública”
Em “d”: na frase (3), o adjetivo ‘independentes’ está 
corretamente no plural por referir-se a ‘empresas’; 
Mas o pontapé inicial é sempre das empresas de 
conteúdo independentes = correta
Em “e”: na frase (3), o adjetivo ‘independentes’ 
deveria estar no singular por referir-se ao substantivo 
‘conteúdo’ = incorreta (refere-se a “empresas”)
5. (MPU – ANALISTA DO MPU – CESPE-2015)
Texto I
Na organização do poder político no Estado moderno, 
à luz da tradição iluminista, o direito tem por função a 
preservação da liberdade humana, de maneira a coibir a 
desordem do estado de natureza, que, em virtude do risco 
da dominação dos mais fracos pelos mais fortes, exige 
a existência de um poder institucional. Mas a conquista 
da liberdade humana também reclama a distribuição do 
poder em ramos diversos, com a disposição de meios 
11
LÍ
N
G
UA
 P
O
RT
U
G
U
ES
A
que assegurem o controle recíproco entre eles para o 
advento de um cenário de equilíbrio e harmonia nas 
sociedades estatais. A concentração do poder em um só 
órgão ou pessoa viria sempre em detrimento do exercício 
da liberdade. É que, como observou Montesquieu, “todo 
homem que tem poder tende a abusar dele; ele vai até 
onde encontra limites. Para que não se possa abusar do 
poder, é preciso que, pela disposição das coisas, o poder 
limite o poder”.
Até Montesquieu, não eram identificadas com clareza 
as esferas de abrangência dos poderes políticos: “só se 
concebia sua união nas mãos de um só ou, então, sua 
separação; ninguém se arriscava a apresentar, sob a forma 
de sistema coerente, as consequências de conceitos 
diversos”. Pensador francês do século XVIII, Montesquieu 
situa-se entre o racionalismo cartesiano e o empirismo 
de origem baconiana, não abandonando o rigor das 
certezas matemáticas em suas certezas morais. Porém, 
refugindo às especulações metafísicas que, no plano da 
idealidade, serviram aos filósofos do pacto social para a 
explicação dos fundamentos do Estado ou da sociedade 
civil, ele procurou ingressar no terreno dos fatos. 
Fernanda Leão de Almeida. A garantia institucional do 
Ministério Público em função da proteção dos direitos 
humanos. Tese de doutorado. São Paulo: USP, 2010, p. 
18-9. Internet: www.teses.usp.br (com adaptações).
A flexão plural em “eram identificadas” decorre da 
concordância com o sujeito dessa forma verbal: “as 
esferas de abrangência dos poderes políticos”.
( ) CERTO ( ) ERRADO
Resposta: Certo
(...) Até Montesquieu, não eram identificadas com 
clareza as esferas de abrangência dos poderes 
políticos = passando o período para a ordem direta 
(sujeito + verbo), temos: Até Montesquieu, as esferas 
de abrangência dos poderes políticos não eram 
identificadas com clareza. 
6. (PC-RS – ESCRIVÃO e Inspetor de Polícia – 
Fundatec-2018 - adaptada) Sobre a frase “Esses alunos 
que são usuários constantes de redes sociais têm um risco 
27% maior de desenvolver depressão”, avalie as assertivas 
que seguem, assinalando V, se verdadeiras, ou F, se falsas.
( ) Caso os termos ‘Esses alunos’ fosse passado para o 
singular, outras quatro palavras deveriam sofrer ajustes 
para fins de concordância.
( ) Mais da metade dos alunos que usam redes sociais 
podem ficar deprimidos.
( ) O risco de alunos usuários de redes sociais 
desenvolverem depressão constante extrapola o índice 
dos 27%.
A ordem correta de preenchimento dos parênteses, de 
cima para baixo, é:
a) V – V – V. b) F – V – F.
c) V – F – F. d) F – F – V.
e) F – F – F.
Resposta: Letra C
Esses alunos que são usuários constantes de redes sociais 
têm um risco 27% maior de desenvolver depressão
Em: ( ) Caso os termos ‘Esses alunos’ fosse passado 
para o singular, outras quatro palavras deveriam sofrer 
ajustes para fins de concordância.
Esse aluno que é usuário constante de redes sociais 
tem um risco 27% maior de desenvolver depressão 
= (verdadeira = haveria quatro alterações)
Em: ( ) Mais da metade dos alunos que usam redes 
sociais podem ficar deprimidos. 
= falsa (o período em análise não nos transmite tal 
informação, apenas afirma que usuários constantes 
têm um risco 27% maior que os demais)
Em: ( ) O risco de alunos usuários de redes sociais 
desenvolverem depressão constante extrapola o 
índice dos 27%.
= Falsa (“depressão constante” altera o sentido do 
período)
REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL
REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL
Dá-se o nome de regência à relação de subordinação 
que ocorre entre um verbo (regência verbal) ou um nome 
(regência nominal) e seus complementos. 
Regência Verbal = Termo Regente: VERBO
A regência verbal estuda a relação que se estabelece 
entre os verbos e os termos que os complementam 
(objetos diretos e objetos indiretos) ou caracterizam 
(adjuntos adverbiais). Há verbos que admitem mais 
de uma regência, o que corresponde à diversidade 
de significados que estes verbos podem adquirir 
dependendo do contexto em que forem empregados.
A mãe agrada o filho = agradar significa acariciar, 
contentar.
A mãe agrada ao filho = agradar significa “causar 
agrado ou prazer”, satisfazer.
Conclui-se que “agradar alguém” é diferente de 
“agradar a alguém”.
O conhecimento do uso adequado das preposições 
é um dos aspectos fundamentais do estudo da regência 
verbal (e também nominal). As preposições são capazes 
de modificar completamente o sentido daquilo que está 
sendo dito. 
Cheguei ao metrô.
Cheguei no metrô.
No primeiro caso, o metrô é o lugar a que vou; no 
segundo caso, é o meio de transporte por mim utilizado. 
A voluntária distribuía leite às crianças.
A voluntária distribuía leite com as crianças.
12
LÍ
N
G
UA
 P
O
RT
U
G
U
ES
A
Na primeira frase, o verbo “distribuir” foi empregado 
como transitivo direto (objeto direto: leite) e indireto 
(objeto indireto: às crianças); na segunda, como transitivo 
direto (objeto direto: crianças; com as crianças: adjunto 
adverbial).
Para estudar a regência verbal, agruparemos os 
verbos de acordo com sua transitividade. Esta, porém, 
não é um fato absoluto: um mesmo verbo pode atuar de 
diferentes formas em frases distintas.
A) Verbos Intransitivos
Os verbos intransitivos não possuem complemento. É 
importante, no entanto, destacar alguns detalhes relativos 
aos adjuntos adverbiais que costumam acompanhá-los.
Chegar, Ir
Normalmente vêm acompanhados de adjuntos 
adverbiais de lugar. Na língua culta, as preposições 
usadas para indicar destino ou direção são: a, para.
Fui ao teatro.
 Adjunto Adverbial de Lugar
Ricardo foi para a Espanha.
 Adjunto Adverbial de Lugar
Comparecer
O adjunto adverbial de lugar pode ser introduzido 
por em ou a.
Comparecemos ao estádio (ou no estádio) para ver o 
último jogo.
B) Verbos Transitivos Diretos
Os verbos transitivos diretos são complementados por 
objetos diretos. Isso significa que não exigem preposição 
para o estabelecimento da relação de regência. Ao 
empregar esses verbos, lembre-se de que os pronomes 
oblíquos o, a, os, as atuam como objetos diretos. Esses 
pronomes podem assumir as formas lo, los, la, las (após 
formas verbais terminadas em -r, -s ou -z) ou no, na, nos, 
nas (após formas verbais terminadas em sons nasais), 
enquanto lhe

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.