A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
86 pág.
aula 4

Pré-visualização | Página 6 de 9

não comprometendo o orçamento do ano seguinte, de 2021.
DESPESAS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES
Conforme o MCASP, Despesas de Exercícios Anteriores (DEA) são despesas cujos fatos geradores
ocorreram em exercícios anteriores àquele em que se deve ocorrer o pagamento.
O art. 37 da Lei nº 4.320/1964 dispõe que as despesas de exercícios encerrados poderão ser pagos à
conta de dotação específica consignada no orçamento, discriminada por elementos, obedecida,
sempre que possível, a ordem cronológica:
As despesas que não se tenham processado na época própria, para as quais o orçamento
respectivo consignava crédito próprio, com saldo suficiente para atendê-las.
Os Restos a Pagar com prescrição interrompida.
Os compromissos reconhecidos após o encerramento do exercício correspondente.
O Decreto Federal nº 93.872/1986 especifica cada hipótese de DEA, com base na referida lei:
Despesas que não se tenham processado na época própria
Aquelas cujo empenho tenha sido considerado insubsistente e anulado no encerramento do exercício
correspondente, mas que, dentro do prazo estabelecido, o credor tenha cumprido sua obrigação.
Restos a Pagar com prescrição interrompida
A despesa cuja inscrição como Restos a Pagar tenha sido cancelada, mas estando ainda vigente o
direito do credor.
Compromissos reconhecidos após o encerramento do exercício
A obrigação de pagamento criada em virtude de lei, mas sendo reconhecido o direito do reclamante
somente após o encerramento do exercício correspondente.
Analisaremos a seguir a definição de cada hipótese de DEA.
DESPESAS QUE NÃO SE TENHAM PROCESSADO
NA ÉPOCA PRÓPRIA
Nesta primeira hipótese, poderia haver um erro do administrador no ano X1, tendo sido cancelado um
empenho. No ano seguinte, X2, o credor demonstra que cumpriu com sua obrigação, tendo direito.
Nesse caso, é utilizada, para pagamento, a dotação orçamentária destinada às DEA, em X2. Logo,
haverá o empenho, a liquidação e o pagamento na dotação DEA no ano de X2.
RESTOS A PAGAR COM PRESCRIÇÃO
INTERROMPIDA
Já nesta hipótese, poderia ocorrer outra situação de erro do administrador, no ano X1, cancelando um
RPP. No ano seguinte, X2, o credor demonstra que cumpriu com sua obrigação, tendo direito. Nesse
caso, a prescrição dos RP é interrompida e é utilizada, para pagamento, a dotação orçamentária
destinada às DEA, em X2. Então, haverá o empenho, a liquidação e o pagamento na dotação DEA no
ano de X2.
Compromissos reconhecidos após o encerramento do exercício
Na última hipótese, poderia ocorrer uma situação em que o servidor, tendo direito ao auxílio-
alimentação, não recebeu de julho a dezembro do ano X1. Esse servidor fez uma requisição, em
janeiro de X2, solicitando o pagamento retroativo, tendo em vista que ele tem esse direito. Logo, ele
está requerendo os auxílios dos meses de julho a dezembro de X1. Como o orçamento anterior já foi
executado, ele poderá receber na dotação orçamentária destinada às DEA em X2, pois são despesas
cujos fatos geradores ocorreram em exercícios anteriores àquele em que deve ocorrer o pagamento.
Nesse caso, haverá o empenho, a liquidação e o pagamento na dotação DEA no ano de X2.
As Despesas de Exercícios Anteriores são despesas cujas obrigações se referem a exercícios
anteriores àquele em que deve ocorrer o pagamento, que não foram sequer empenhadas ou tiveram
seus empenhos cancelados.
As Despesas com DEA são reconhecidas no exercício, com dotação consignada no orçamento para
atendê-las, ocorrendo os três estágios da execução da despesa nesse mesmo exercício em que for
reconhecida.
Para efetuar o pagamento usando DEA, deve-se empenhar, liquidar e pagar, pois DEA é uma dotação
orçamentária, prevista na LOA. Portanto, DEA possui dotação própria e saldo financeiro para suportar
a referida despesa no exercício em que for empenhada. Por fim, utiliza-se a arrecadação do
orçamento vigente para pagar DEA.
SUPRIMENTO DE FUNDOS
O art. 68, da Lei nº 4.320/64 menciona:
“O regime de adiantamento é aplicável aos casos de despesas expressamente definidos em lei e
consiste na entrega de numerário a servidor, sempre precedida de empenho na dotação própria para
o fim de realizar despesas, que não possam subordinar-se ao processo normal de aplicação”.
O regimento de adiantamento também é conhecido como suprimento de fundos. É considerado um
regime especial para a execução de uma determinada despesa.
De acordo com a Lei nº 4.320/64, as despesas sempre serão precedidas de empenho na dotação
própria. Em outras palavras, haverá dotação específica consignada no orçamento (despesa fixada na
LOA) e, para realizar a despesa, deverá ocorrer prévio empenho.
Como é aplicável aos casos de despesas expressamente definidos em lei, é a lei que define quais
despesas podem ser realizadas por meio do suprimento de fundos.
Complementando a Lei nº 4.320/64, o MCASP menciona que o suprimento de fundos é um
adiantamento de valores a um servidor para futura prestação de contas. Assemelha-se à “caixinha” de
uma empresa, para pequenas despesas que devem ser realizadas imediatamente. Esse
adiantamento constitui despesa orçamentária, ou seja, para conceder o recurso ao suprido é
necessário percorrer os três estágios: empenho, liquidação e pagamento.
Ao final de um determinado período, previsto em regulamento próprio, o servidor prestará contas de
seus gastos.
A Lei nº 4.320/1964 veda a concessão do suprimento de fundos a servidor em alcance ou a
responsável por dois adiantamentos. Por servidor em alcance, entende-se aquele que não efetuou, no
prazo, a comprovação dos recursos recebidos ou que, caso tenha apresentado a prestação de contas
dos recursos, essa tenha sido impugnada total ou parcialmente. Responsável por dois adiantamentos
diz respeito ao servidor ter recebido, no máximo, dois adiantamentos. Nesse último caso, ele não
poderá receber o terceiro.
Neste vídeo o especialista conceitua despesa pública, mostrando suas classificações, etapas e seus
desdobramentos.
VERIFICANDO O APRENDIZADO
1) (FCC – 2016 / ADAPTADA) EM UMA SITUAÇÃO HIPOTÉTICA, O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE
COQUEIROS DOS MENDES AUTORIZOU, NO MÊS DE JULHO DE 2016, A CONTRATAÇÃO DE
EMPRESA PARA A EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSERVAÇÃO E MANUTENÇÃO DO
HOSPITAL PÚBLICO MUNICIPAL, PELO VALOR ESTIMADO DE R$ 98.500,00. CONSIDERANDO-
SE A CLASSIFICAÇÃO ORÇAMENTÁRIA, SEGUNDO A LEI FEDERAL Nº 4.320/1964, ESSA
DESPESA É CLASSIFICADA NO GRUPO DE NATUREZA DE DESPESA E, RESPECTIVAMENTE,
NA CATEGORIA ECONÔMICA:
A) Outras despesas correntes e despesas de capital
B) Investimento e despesas de capital
C) Inversão financeira e despesas correntes
D) Outras despesas correntes e despesas correntes
E) Despesa com manutenção e despesas de capital
2) (FGV – 2017) APÓS VENCER UMA LICITAÇÃO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE
MANUTENÇÃO EM EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA (COMPUTADORES E EMPRESAS), UMA
EMPRESA APRESENTOU À ENTIDADE PÚBLICA UMA NOTA FISCAL DOS SERVIÇOS
PRESTADOS NOS PRIMEIROS DOIS MESES DE CONTRATO. APÓS CONFIRMAÇÃO DO FISCAL
DO CONTRATO, O DOCUMENTO FOI ENVIADO AO SETOR DE PROCESSAMENTO DE
DESPESA PARA CONFERÊNCIA, ETAPA ASSOCIADA AO ESTÁGIO DO(A):
A) Adjudicação
B) Empenho
C) Lançamento
D) Liquidação
E) Pagamento
GABARITO
1) (FCC – 2016 / Adaptada) Em uma situação hipotética, o Prefeito do Município de Coqueiros
dos Mendes autorizou, no mês de julho de 2016, a contratação de empresa para a execução de
serviços de conservação e manutenção do Hospital Público Municipal, pelo valor estimado de
R$ 98.500,00. Considerando-se a classificação orçamentária, segundo a Lei Federal nº
4.320/1964, essa despesa é classificada no grupo de natureza de despesa e, respectivamente,
na categoria econômica:
A alternativa "D " está correta.
A situação apresentada, contratação de empresa para a execução de serviços de conservação e
manutenção do Hospital Público Municipal, refere-se a uma despesa com serviços de terceiros, sendo
classificada na categoria econômica despesas correntes, no GND outras

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.