A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
A variação linguística em materiais didáticos de língua portuguesa-ultrapassando as barreiras do erro

Pré-visualização | Página 1 de 5

475
A variação 
linguística 
em materiais 
didáticos de língua 
portuguesa: 
ultrapassando as 
barreiras do erro
Linguistic variation in 
didactic materials of 
portuguese: overcoming 
mistake restraints
eleonora.lucas@aluno.uece.br
fernanda.posla@gmail.com
aluizazinha@hotmail.com
nukacia.araujo@uece.br
Resumo: Este trabalho tem como objetivo 
analisar materiais didáticos destinados 
ao ensino de Língua Portuguesa em 
relação à presença de conteúdos de 
Sociolinguística e à forma como esses 
conteúdos são abordados. Foram 
analisados dois materiais didáticos 
do tipo livro impressos e um objeto de 
aprendizagem (OA) do tipo vídeo. Este 
trabalho se baseia, principalmente, 
nos pressupostos da Sociolinguística 
Educacional, em que podemos destacar 
os trabalhos de Roncarati (2013) e de 
Cyranka (2009). Em relação à análise dos 
materiais didáticos, baseamo-nos em 
Soares (2002) e nos PCN (BRASIL, 1998). 
As principais conclusões a que chegamos 
a partir da análise dos materiais didáticos 
impressos é que, embora a presença 
do ensino de temas relacionados à 
Sociolinguística, especialmente no que 
se refere à oralidade, tenha evoluído 
muito, ainda carece de sistematização 
nos materiais didáticos impressos. Em 
relação ao vídeo analisado, percebe-
se que a concepção de língua(gem) e, 
consequentemente, de ensino não está de 
acordo com as perspectivas mais atuais 
sobre o ensino de variação linguística. 
Palavras-chave: Ensino de Língua 
Portuguesa. Variação linguística. Material 
didático.
MORAIS, Eleonora Figueiredo Correia 
Lucas de; FREITAS, Fernanda 
Rodrigues Ribeiro; ARAÚJO, Aluiza 
Alves de; ARAÚJO, Nukácia Meyre 
Silva. A variação linguística em 
materiais didáticos de língua 
portuguesa: ultrapassando as 
barreiras do erro. Entrepalavras, 
Fortaleza, v. 7, p. 475-489, ago./dez. 
2017.
Eleonora Figueiredo Correia Lucas de MORAIS (UECE)
Fernanda Rodrigues Ribeiro FREITAS (UECE)
Aluiza Alves de ARAÚJO (UECE)
Nukácia Meyre Silva ARAÚJO (UECE)
http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321.7.7.2.475-489
476
v. 7 (2)
475-489
ago/dez
2017
A variação linguística em materiais didáticos...
Abstract: This work aims to analyze didactic material destined to the teaching of 
Portuguese Language in what concerns to the presence of contents of Sociolinguistics 
and how these contents are approached. Two printed book type materials and one video 
learning object (OA) were analyzed. This work is based mainly on the assumptions of 
Educational Sociolinguistics, in which we can highlight the works of Roncarati (2013) 
and Cyranka (2009). Regarding the analysis of didactic materials, we are based on 
Soares (2002) and on PCN (BRASIL, 1998). The main conclusions we draw from the 
analysis of printed didactic materials is that, although the presence of the teaching of 
subjects related to sociolinguistics, especially according to orality, has evolved a lot, 
it still lacks systematization in printed didactic materials. In relation to the analyzed 
video, it is perceived that the conception of language and, consequently, of teaching 
is not in agreement with the most current perspectives on the teaching of linguistic 
variation.
Keywords: Teaching of Portuguese Language. Linguistic variation. Didactic material.
Introdução
O ensino de Língua Portuguesa é, há muito, objeto de discussão 
por parte dos teóricos da Linguística e da Educação. Parece haver um 
consenso no que diz respeito à necessidade de que o ensino da língua 
materna deve ser voltado para as práticas sociais, efetivadas por meio 
da linguagem, na qual os falantes da língua estão inseridos. 
As discussões sobre as novas necessidades teórico-metodológicas 
em relação ao ensino de língua materna trouxeram avanços importantes 
em relação aos documentos oficiais que têm como função orientar a 
prática pedagógica na educação básica. Um dos temas mais importantes 
para a compreensão da língua em toda a sua complexidade é o da 
variação linguística, a respeito da qual os Parâmetros Curriculares 
Nacionais (PCN) e os Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino 
Médio (PCNEM), por exemplo, trazem reflexões importantes. 
Apesar disso, observam-se, nas salas de aula, ainda práticas 
pedagógicas voltadas para um ensino prescritivo da língua, não deixando de 
lado o ensino da variação linguística propriamente dita, mas não promovendo 
reflexões efetivas sobre o assunto. Característica semelhante é observada, 
também, nos materiais didáticos para o ensino de língua materna. 
Nesse sentido, o principal objetivo deste trabalho é mostrar as 
relações não só importantes, mas necessárias, entre o ensino de Língua 
Portuguesa enquanto língua materna e a Sociolinguística. Com isso, 
pretendemos mostrar como o ensino da variação linguística, que, a 
nosso ver, é um dos principais conceitos da Sociolinguística que deve 
ser aplicado ao ensino, tem sido trabalhado não só na sala de aula, mas 
também nos próprios materiais didáticos. 
477
Eleonora F.C.L. de MORAIS; Fernanda R.R. FREITAS; Aluiza A. de ARAÚJO; Nukácia M.S. ARAÚJO
ISS
N
 2237-6321
A principal inovação deste trabalho se dá em relação à consideração 
dos materiais didáticos digitais e da abordagem da Sociolinguística 
nesse tipo de material, o que, como foi observado em nossa pesquisa 
bibliográfica, não é um assunto muito abordado por pesquisadores da 
área. Analisamos dois livros impressos destinados ao 9º ano do ensino 
fundamental e um objeto de aprendizagem (OA) em forma de vídeo 
disponível no Banco Internacional de Objetos Educacionais (BIOE). 
Os livros impressos são “Para viver juntos: português 9º ano”, 
de Greta Marchetti, Heidi Strecker e Mirella L. Cleto e “Português: 
uma proposta para o letramento – 9º ano”, de Magda Soares. O vídeo 
é intitulado “Nossa Língua Portuguesa” do qual participam alguns 
professores de Língua Portuguesa cujo objetivo é discutir o uso da 
Língua Portuguesa em alguns contextos de interação.
Por questões metodológicas, optamos por analisar, de ambas as 
obras, a versão destinada ao professor, a fim de verificarmos a existência 
e a pertinência de orientações relativas ao trabalho com a oralidade e 
com a variação linguística e de que forma os autores se posicionam 
em relação à concepção de linguagem e o tipo de ensino adotados no 
material. 
Este trabalho, que se insere no campo pressupostos da 
Sociolinguística Educacional, se inicia com uma breve explanação acerca 
da relação, a nosso ver, necessária entre os preceitos da Sociolinguística e 
o ensino de Língua Portuguesa como língua materna. Para isso, trazemos 
algumas pesquisas, como a de Roncarati (2008) e a de Cyranka (2009), 
que versam sobre esse assunto. Nesse contexto, outras pesquisas são, 
também, evocadas a fim de dar um maior suporte ao nosso estudo. Em 
seguida, procedemos à análise dos materiais didáticos analisados por 
nós e, por fim, tecemos algumas considerações finais acerca do tema.
A sociolinguística e os materiais didáticos para o ensino de língua 
portuguesa
Há muito se considera que os preceitos da Sociolinguística são 
importantes para o ensino de línguas, em especial para o ensino de língua 
materna no que se refere à oralidade, e muito se tem avançado nesse 
sentido. Há alguns anos, por exemplo, o ensino da oralidade na escola 
era omitido ou, quando não, era deturpado. Os próprios documentos 
oficiais trazem orientações metodológicas importantes nesse sentido, 
como se observa nos PCN de Língua Portuguesa, que destacam que
478
v. 7 (2)
475-489
ago/dez
2017
A variação linguística em materiais didáticos...
Cabe à escola ensinar o aluno a utilizar a linguagem oral 
nas diversas situações comunicativas, especialmente nas 
mais formais [...]. Trata-se de propor situações didáticas 
nas quais essas atividades façam sentido de fato, pois seria 
descabido treinar o uso mais formal da fala. A aprendizagem de 
procedimentos mais eficazes tanto de fala como de escrita, em 
contextos mais formais, dificilmente ocorrerá se a escola não 
tomar para si a tarefa de