A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Avaliação Nutricional

Pré-visualização | Página 1 de 1

Avaliaçāo Nutricional 
A avaliação da história clínica permite indentificar as condições gerais de saúde dos pacientes 
contribuindo com a conclusão diagnóstica mais confiável. A história clínica inclui informações sobre a 
história médica, uso de medicamentos, características sociais e perfil dietético e nutricional. Dentre as 
alternativas a seguir, assinale aquela que enumera as principais alterações observadas na avaliação do 
perfil dietético focado na ingestão e, portanto, relacionadas com a alteração do estado nutricional. 
Ú Ageusia, digeusia e anosmia. 
Ú Desidratação, hepatotoxicidade e anasarca. 
Ú Constipação, distenção e alergia. 
Ú Disfagia, artralgia e parestesia. 
Ú Icterícia, cefaleia e hiperfagia. 
 
O risco nutricional pode ser avaliado a partir da coleta de dados sobre os múltiplos fatores determinantes 
do estado nutricional alterado. A respeito da avaliação do risco nutricional, não é correto afirmar que: 
Ú A meta deve ser focada em identificar indivíduos em maior risco em curto prazo e o mais 
precocemente possível. 
Ú Deve ser realizada tardiamente nos indivíduos portadores de enfermidades agudas. 
Ú Permite identenficar se há ou não a necessidade de se seguir com uma avaliação mais minuciosa 
do estado nutricional. 
Ú Possibilita a imediata tomada de decisão e para início dos cuidados nutricionais terapêuticos. 
Ú É uma abordagem de triagem de risco nutricional. 
 
O IMC considera o corpo como um todo, expressando a massa corporal total, e quando é muito elevada, 
em geral, indica obesidade. Diante de situações em que a aferição adequada da medida de peso corporal 
está comprometida ou que a mesma não pode ser aferida, a alternativa para inferir sobre a gordura 
corporal total é calcular: 
Ú índice de adiposidade corporal utilizando as medidas de circunferência do quadril e altura. 
Ú A massa muscular utilizando as medidas de circunferência do braço. 
Ú A razão entre as medidas de circunferência da cintura e do quadril. 
Ú A razão entre as medidas de circunferência da cintura e altura. 
Ú A gordura periférica utilizando a medida da circunferência muscular do braço e dobra cutânea da 
panturrilha. 
 
A obtenção da medida da altura deve ser feita utilizando equipamento apropriado e técnica padronizada. 
De acordo com a recomendação da norma técnica padrão, a precisão da medida da altura é melhor 
alcançada quando: 
Ú indivíduo avaliado cruza os braços sobre o peito tocando os ombros contralaterais. 
Ú indivíduo avaliado é posicionado em pé, ereto, com os calcanhares juntos e o peso distribuído 
uniformemente em ambos os pés. 
Ú As roupas usadas pelo indivíduo avaliado são leves e os sapatos são sem salto e confortáveis.Se 
utiliza uma fita métrica flexível e inelástica fixada à parede, passando bem presa e rente ao rodapé, 
na indisponibilidade do estadiomêtro. 
Ú Os pés mesmo separados não impedem a sobreposição dos joelhos, em caso de genu valgo. 
 
A facilidade de medição da albumina na rotina laboratorial fazem desta uma das primeiras medidas 
bioquímicas utilizadas na avaliação nutricional em clínica. A aplicabilidade da albumina é mais específica 
nas condições de lesão corporal aguda. Porém, a confiabilidade da albumina como indicador de déficit 
proteico corporal é limitada devido à presença de: 
Ú Úlcera gástrica 
Avaliaçāo Nutricional 
Ú Traumatismo grave 
Ú Infecção pulmonar 
Ú Insuficiência cardíaca 
Ú Hepatite aguda 
 
A transferrina é uma proteína sérica que reflete o estado energético proteico corporal. O valor 
prognóstico da tranferrina tem maior sensibilidade quando ajustado de acordo com: 
Ú Concentração de folato 
Ú Redistribuição intravascular de aminoácidos 
Ú Saturação de oxigênio 
Ú Pressão oncótica intravascular 
Ú Capacidade de ligação total de ferro 
 
Na avaliação nutricional para gestante, de acordo com os valores de ganho de peso recomendados 
durante a gestação, a alternativa que representa o valor correto de ganho de peso total para uma 
gestante com sobrepeso é: 
Ú 5-9kg 
Ú 2-4kg 
Ú 4-6kg 
Ú 7-11kg 
Ú 7-12kg 
 
O envelhecimento populacional está transcorrendo de maneira exponencial, principalmente nos países 
em desenvolvimento. Dessa forma, é necessário acompanhar o estado nutricional dos idosos, utilizando 
alguns métodos de avaliação, dentre eles, cabe destacar uma medida antropométrica muito sensível à 
perca de massa muscular em idosos (Concurso para IAPEN, 2020): 
Ú Circunferência da panturrilha 
Ú Circunferência da cintura e quadril 
Ú IMC (Índice de Massa Corporal) 
Ú Altura do joelho 
Ú Circunferência do braço 
 
Paciente sexo feminino, 8 anos, altura de 1,27 m, peso seco de 15 kg. Avaliado os dados realize o 
diagnostico nutricional da criança para o indicador IMC/idade 
Ú Baixo peso 
Ú Sobrepeso 
Ú Eutrófico 
Ú Obesidade 
Ú Nenhuma das alternativas 
 
O Ministério da Saúde adota as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) quanto ao uso 
de curvas de referência para avaliação do estado nutricional das crianças e adolescentes (OMS,2007). 
(ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (Orgs). World health statistics, 1. ed. Avenue Appia, Geneva, 2007) 
Quando avaliamos o estado nutricional de crianças de 0 a 10 anos pelo ponto de corte de peso-para-
idade e o diagnóstico for de baixo peso para idade, teremos um valor crítico em Escore-z. Nesse 
contexto, marque a alternativa correta. 
Ú ≥Escore-z -2 e ≤Escore-z +2 
Ú Escore-z +2 
Avaliaçāo Nutricional 
Ú < Escore-z -1 
Ú ≥Escore-z -3 
Ú < Escore-z -3

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.