A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Execução coisa certa e incerta

Pré-visualização | Página 1 de 1

DPC- Execução 
 Execução para a entrega de coisa certa 
Introdução 
• Artigos 806 a 810 
• Coisa certa é a individualizada, determinada, no 
momento da propositura da execução, 
distingue-se da “coisa incerta”, que não está 
determinada, mas é determinável pelo gênero 
e quantidade 
• A execução para entrega de coisa promove a 
realização de atos executivos destinados ao 
cumprimento das obrigações de dar em geral, 
que se encontram disciplinadas nos arts. 233 a 
242 do CC 
• O que fundamenta execução de entrega de 
coisa é a obrigação consignada no título 
executivo extrajudicial, que tanto pode ser real 
como pessoal 
• O devedor de obrigação de entrega de coisa 
certa, constante de título executivo 
extrajudicial 
 
Petição Inicial 
• Deve ser instruída com o título e dirigida ao 
juiz competente 
• Não constando do título o valor da coisa e 
sendo impossível sua avaliação, o exequente 
apresentará estimativa, sujeitando-a ao 
arbitramento judicial. Serão apurados em 
liquidação o valor da coisa e os prejuízos 
 
Despacho da Inicial 
• Art. 806. O devedor de obrigação de entrega 
de coisa certa, constante de título executivo 
extrajudicial, será citado para, em 15 (quinze) 
dias, satisfazer a obrigação. 
§ 1º Ao despachar a inicial, o juiz poderá fixar 
multa por dia de atraso no cumprimento da 
obrigação, ficando o respectivo valor sujeito a 
alteração, caso se revele insuficiente ou 
excessivo. 
§ 2º Do mandado de citação constará ordem 
para imissão na posse ou busca e apreensão, 
conforme se tratar de bem imóvel ou móvel, 
cujo cumprimento se dará de imediato, se o 
executado não satisfizer a obrigação no prazo 
que lhe foi designado. 
Comportamento do Executado 
1. Entregar a coisa, para satisfazer a execução 
• Será lavrado um termo e, com o pagamento 
dos honorários advocatícios, extinta a 
execução 
• Poderá haver necessidade de ressarcimentos 
de eventuais frutos ou prejuízo, caso em que 
a execução seguira por quantia certa 
2. Não entregar a coisa 
• Caso em que se cumprirá, de imediato, a 
ordem de imissão de posse, se o bem for 
imóvel, ou de busca e apreensão, se móvel, 
que já constava no mandado de citação 
• O juiz poderá valer-se de multa como meio de 
coerção 
• Caso a entrega torne-se impossível haverá 
conversão em perdas e danos, com liquidação 
incidente, para a apuração do quantum 
debeatur 
• Se alienada a coisa litigiosa, será expedido o 
mandado contra terceiro adquirente 
3. Defesa 
• Não há necessidade de se garantir o juízo 
para a oposição dos embargos 
• Prazo de 15 dias da juntada do mandado 
• Para a obtenção do efeito suspensivo, deverá 
ser mostrado a relevância da fundamentação 
dos embargos e que o prosseguimento pode 
manifestadamente causar grave dano de difícil 
ou incerta reparação 
• Deferido o efeito suspensivo e houver 
ocorrido a imissão ou a apreensão, essas se 
tornaram provisórias 
• A solução definitiva da execução fica sob 
decidam do incidente. São julgados acolhido, a 
posse do credor passará a definitiva, caso 
contrário devolver-se-á a coisa ao executado 
4. Deposito 
• Já no depósito da cosia dentro do prazo da 
juntada do mandado citatório, o devedor no 
lugar de entregar, deposita a coisa devida em 
juízo, ficando habilitado a pleitear efeito 
suspensivo para os embargos, se atendidas as 
exigências da demonstração do dano 
irreparável ou de difícil reparação 
• Impede que o exequente seja imediatamente 
imitido da posse do bem, colocando-o sob a 
custódia judicial até que se julguem os 
embargos opostos 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Execução de Coisa Incerta 
Introdução 
• Coisa incerta é aquela determinada pelo 
gênero e pela quantidade (art. 243) 
 
Procedimento 
• Art. 244, CC Nas coisas determinadas pelo 
gênero e pela quantidade, a escolha pertence 
ao devedor, se o contrário não resultar do 
título da obrigação; mas não poderá dar a 
coisa pior, nem será obrigado a prestar a 
melhor 
• Art. 811. Quando a execução recair sobre coisa 
determinada pelo gênero e pela quantidade, o 
executado será citado para entregá-la 
individualizada, se lhe couber a escolha. 
Parágrafo único. Se a escolha couber ao 
exequente, esse deverá indicá-la na petição 
inicial. 
• Art. 812. Qualquer das partes poderá, no prazo 
de 15 (quinze) dias, impugnar a escolha feita 
pela outra, e o juiz decidirá de plano ou, se 
necessário, ouvindo perito de sua nomeação. 
• Art. 813. Aplicar-se-ão à execução para 
entrega de coisa incerta, no que couber, as 
disposições da Seção I deste Capítulo.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.