A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
analise_swot

Pré-visualização | Página 1 de 2

Técnico em Admistração 1Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOT
PASSO A PASSO 
DA ANÁLISE SWOT
PLANEJAMENTO 
ESTRATÉGICO: 
Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOT2 Técnico em Admistração 3Técnico em Administração Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOTEstrutura de dados: Listas, filas, pilhas e grafos 2 Técnico em Programação de Jogos Digitais
PASSO 1:
Análise do 
ambiente 
externo
Roteiro de etapas para 
análise do ambiente externo
1
a)
Ressalta-se que O NEGÓCIO ATUA COMO 
UMA MOLDURA QUE DELIMITA O AMBIENTE 
A SER ANALISADO, ENQUANTO A MISSÃO 
ORIENTA A CONCENTRAÇÃO DA ANÁLISE. Em 
outras palavras, imagine-se olhando pelo visor 
de uma filmadora. O negócio é o campo de visão 
formado pelo visor, ao passo que a missão é o 
que permite focar a imagem, isto é, concentrar a 
análise no essencial.
Na definição do escopo, é preciso definir o 
limite temporal para orientar o alcance que você 
pretende dar à sua análise do ambiente. Isto é, 
quanto é necessário olhar à frente para direcionar 
a atuação de hoje. O horizonte de análise pode 
ser de curto prazo (um ano), médio prazo (cinco 
anos) ou de longo prazo (10, 20, 30 anos). Tudo 
vai depender da dinâmica do ambiente no qual a 
empresa atua. 
INÍCIO
a) Considerar como referências o 
negócio, a missão e os princípios
Definir o escopo do ambiente a ser analisado
Selecionar as informações relevantes
Escolher o cenário de referência
Identificar e selecionar as oportunidades e as 
ameaças no cenário de referência
Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOT2 Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOT 3Técnico em Administração Técnico em Administração
Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOT4 Técnico em Admistração 5Técnico em Administração Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOT
OPORTUNIDADES – A criação 
do Mercado Comum do Cone Sul 
(Mercosul) gera oportunidades 
para as empresas brasileiras 
que tenham competitividade 
internacional para atuar 
nos mercados dos países 
participantes.
AMEAÇAS – O mesmo Mercosul 
pode gerar ameaças para as 
empresas brasileiras que não se 
prepararem para a entrada dos 
concorrentes.
b) c)
d)b) Selecionar as informações relevantes
c) Escolher o cenário de referência
d) Identificar e 
selecionar as 
oportunidades e 
ameaças relevantes
para a empresa
Vejamos os exemplos a seguir.
A avaliação do ambiente externo também pode ser dividida em duas partes.
Os princípios orientam a seleção das oportunidades.
Deve-se avaliar, por exemplo, inflação, taxa de juros, 
concorrência, PIB, demanda, tecnologia, dívida externa, oferta etc.
Para facilitar o trabalho de seleção das informações 
relevantes, sugere-se utilizar o conceito de públicos relevantes. 
Isto é, pessoas e organizações com as quais uma empresa 
mantém relacionamentos para cumprir sua missão.
PERGUNTA: O QUE DEVE SER ANALISADO NO AMBIENTE 
DE UMA EMPRESA QUE ATUA NO NEGÓCIO X, COM UMA 
MISSÃO Y, COM PRINCÍPIOS Z, DENTRO DO HORIZONTE W?
FATORES 
MACROAMBIENTAIS : 
Entre os quais 
podemos citar 
questões demográficas, 
econômicas, 
tecnológicas, políticas, 
legais etc.
FATORES
 MICROAMBIENTAIS : 
Entre os quais podemos 
citar os beneficiários, suas 
famílias, as organizações 
congêneres, os principais 
parceiros, os potenciais 
parceiros etc.
Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOT4 Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOT 5Técnico em Administração Técnico em Administração
Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOT6 Técnico em Admistração 7Técnico em Administração Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOT
2PASSO 2: 
Análise 
do ambiente 
interno
A tarefa agora é listar as forças 
e as fraquezas que afetam a empresa 
no cumprimento da sua missão diante das 
oportunidades e das ameaças relevantes.
Da mesma maneira que ocorre em relação 
ao ambiente externo, o ambiente interno deve ser 
monitorado permanentemente. Porém, uma coisa 
é perceber que o ambiente externo está mudando, 
outra é ter competência para se adaptar a essas 
mudanças (aproveitando as oportunidades e/ou 
enfrentando as ameaças).
Em primeiro lugar, é importante fazer 
uma relação de quais são as variáveis que devem 
ser monitoradas. Por exemplo: capacidade de 
atendimento, demanda pelos serviços prestados, 
satisfação do público-alvo com o atendimento, 
crescimento do número de contribuintes etc.
Pode ser interessante avaliar também 
os seus principais concorrentes em relação aos 
mesmos tópicos. Isso pode trazer a clareza de quais 
são os diferenciais competitivos que cada organização 
tem em relação às outras com as quais compete por 
recursos e/ou no atendimento ao público-alvo.
Quando temos clareza 
de quais são as áreas de 
maior importância e quais 
áreas são consideradas 
fraquezas de nossa 
organização, fica mais 
fácil decidirmos onde 
devem ser alocados os 
esforços para melhoria, 
já que não seria possível 
investir em todas as áreas 
ao mesmo tempo.
Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOT6 Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOT 7Técnico em Administração Técnico em Administração
Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOT8 Técnico em Admistração 9Técnico em Administração Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOT
A figura, traz os pontos fortes internos potenciais: competências essenciais em 
áreas-chave, recursos financeiros adequados, boa imagem junto aos compra-
dores, um líder de mercado reconhecido, estratégias das áreas funcionais bem 
concebidas, acesso a economias de escala, isolamento (pelos menos em parte) 
das fortes pressões competitivas, tecnologia patenteada, vantagens de custo, 
campanhas publicitárias melhores, habilidade de inovação de produtos, gestão 
comprovadamente eficaz, à frente na curva de aprendizado, melhor capacidade 
de produção, habilidade tecnológicas superiores. E os pontos fracos internos 
potenciais: sem uma direção estratégica clara, instalações obsoletas, lucrativi-
dade baixa porquê..., falta de experiência e de talento gerencial, ausência de 
algumas habilidades ou competências-chave, ineficiências no monitoramento de 
implementação de estratégias afetada por problemas operacionais internos, atra-
sada em P&D, linha de produtos pouco diversificada, imagem pobre no mercado, 
fraca rede de distribuição, habilidade de marketing abaixo de média, incapaz de 
financiar mudanças necessárias em estratégia, custo total unitário mais alto em 
relação a competidores importantes. 
3
PASSO 3:
Organização das
 informações na 
matriz SWOT
PONTOS FORTES INTERNOS POTENCIAIS PONTOS FRACOS INTERNOS POTENCIAIS
Competências essenciais em áreas-chave Sem uma direção estratégica clara
Recursos financeiros adequados Instalações obsoletas
Boa imagem junto aos compradores Lucratividade baixa porquê...
Líder de mercado reconhecido Falta de experiência e de talento gerencial
Estratégias das áreas funcionais bem concebidas
Ausência de algumas habilidades ou 
competências-chave
Acesso a economias de escala
Ineficiência no monitoramento de implementação 
de estratégias
Isolamento (pelo menos em parte) das fortes 
pressões competitivas
Afetada por problemas operacionais internos
Tecnologia patenteada Atrasada em P&D
Vantagens de custo Linha de produtos pouco diversificada
Campanhas publicitárias melhores Imagem pobre no mercado
Habilidade de inovação de produtos Fraca rede de distribuição
Gestão comprovadamente eficaz Habilidade de marketing abaixo da média
À frente na curva de aprendizado
Incapaz de financiar mudanças necessárias em 
estratégia
Melhor capacidade de produção
Custo total unitário mais alto em relação a 
competidores importantes
Habilidades tecnológicas superiores
Outros Outros
Figura 1 – Tabela de informações da matriz SWOT
Planejamento estratégico: passo a passo da análise SWOT8 Planejamento estratégico: passo