A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
26 pág.
Práticas educativas em saúde

Pré-visualização | Página 6 de 7

educativas estruturadas, reportando ou repetindo as conclusões e outros aspectos identificados no diagnóstico situacional e educativo.
· É importante explicitar que as ações de saúde nem sempre alcançam o objetivo pretendido sem essa intervenção.
· A proposta pedagógica é a de desenvolver nas pessoas, grupos e/ou população, a consciência das causas e consequências dos problemas de saúde e, ao mesmo tempo, criar condições para atuar no sentido da mudança.
Justificativa
· A justificativa da ação educativa pauta‐se no diagnóstico realizado
· Na essência das justificativas contempla‐se que a proposta pedagógica tem como finalidade desenvolver nas pessoas, grupos ou populações a consciência das causas e consequências dos problemas de saúde e, ao mesmo tempo, criar condições para atuar no sentido da mudança.
Exemplo:
· Devido a este bairro da cidade de São Paulo apresentar problemas com lixo diariamente e devido ao aumento do número de animais nessa região, após reuniões com a população, verificou-se a necessidade de educar a população quanto aos cuidados com o depósito e coleta de lixo a fim de reduzir doenças relacionadas a essa prática.
Objetivos
· Temos dois tipos de objetivos: o geral e os específicos.
· O objetivo geral expressa a decisão, ação pretendida com a intervenção educativa, envolvendo equipe de saúde, usuários, grupos comunitários e/ou população em geral.
· Os objetivos específicos são passos para alcançarmos o objetivo geral. Eles indicam o que precisamos fazer para alcançá-lo.
Exemplo: Em uma unidade básica de saúde foram atendidos, em um espaço de tempo relativamente pequeno, vários casos de queimadura em crianças. Os profissionais de saúde, em conjunto com a comunidade, planejaram um programa educativo com os seguintes objetivos:
Objetivo geral
· As mães e/ou responsáveis por crianças deverão adotar práticas para eliminar as situações que oferecem risco de queimaduras no ambiente domiciliar.
Objetivos específicos
As mães e/ou responsáveis por crianças deverão:
· Identificar os diversos tipos de acidentes.
· Identificar o número de casos e a gravidade dos acidentes por fogo e chama
· Relacionar formas para prevenir, no domicílio, situações favoráveis aos acidentes por fogo e chama.
· Observar o ambiente doméstico, descobrindo locais, situações e hábitos familiares que possam ser causa de acidentes por fogo e chama, tomando as medidas necessárias para mudá‐los e/ou eliminá‐los.
· A redação de objetivos de maneira operacional pode ser facilitada seguindo alguns critérios. 
· Devem ser redigidos em termos da população-alvo e não em termos de quem pretende intervir para mudar algo. Exemplo: As gestantes deverão enumerar...
· Em termos de quem pretende intervir. Exemplo: Levar as gestantes a enumerar...
· Deve incluir sempre uma ação, que é expressa por um verbo e se referir a algum objeto ou conteúdo. Exemplo: citar, ingerir, mencionar, identificar (o quê?).
· Os dois elementos básicos da redação de objetivos de maneira operacional são, portanto, ação e conteúdo. Exemplo: As gestantes deverão enumerar (ação) cinco causas de anemia (conteúdo).
Conteúdo programático
· Prevê para cada objetivo específico o que deverá ser desenvolvido para seu alcance
· Exemplo: Os pais ou responsáveis pelas crianças matriculadas na UBS deverão identificar as vacinas que compõem o esquema básico de vacinação.
Conteúdo programático:
· O que é vacina?
· Vacina BCG.
· Vacina Sabin.
· Vacina tríplice.
· Vacina antissarampo.
· Vias de administração, idade, doenças que previnem.
Metodologia
· Esse “como, com quem, de que forma” refere‐se à metodologia a ser utilizada, envolvendo todos os recursos e estratégias necessárias.
· População-alvo; recursos humanos, materiais e financeiros; cronograma/quadro de atividades.
· Explicitar a opção pedagógica que deverá direcionar a intervenção educativa, justificando-a. O importante é que ela seja identificada com clareza, bem como a escolha das técnicas pedagógicas e ludopedagógicas previstas em todas as ações de intervenção. A opção é única; as técnicas poderão ser diversificadas.
População-alvo
· Devemos pensar com quem iremos desenvolver a ação, isso é fundamental para atingir o objetivo desejado.
· Caracterização do grupo que participará das atividades, em termos de idade, escolaridade, sexo e outros atributos considerados.
· Um mesmo conteúdo pode ser desenvolvido de formas distintas, conforme o público-alvo.
Exemplos:
· Mães e/ou responsáveis por crianças;
· Professores e alunos da escola de primeiro grau;
· Usuários da UBS.
Recursos humanos
· Citar os profissionais que estarão envolvidos na intervenção educativa.
Recursos didáticos
· Apostilas, manuais, normas técnicas etc.
Recursos materiais
· Listar todo o material necessário: pincel atômico, giz, cartolina, cola, tesoura, papel sulfite, fita crepe, papel pardo, pintura a dedo etc.
Recursos audiovisuais
· Fita de vídeo, transparências, slides, álbum seriado, pranchas e outros instrumentos didáticos artesanais.
Equipamentos
· Retroprojetor, videocassete, projetor de slides, cavalete para álbum seriado etc.
Recursos financeiros
· Caso seja necessária a compra de materiais, detalhar preço unitário e o total de material a ser adquirido, tanto de consumo como permanente.
Cronograma/quadro de atividades
O programa educativo será executado:
Diariamente?
Uma vez por semana?
Duas vezes por semana?
Qual a carga horária?
Em que local?
Avaliação
Resolvemos ou atenuamos o problema?
Níveis de avaliação
· A reação: nível de satisfação dos participantes frente à programação.
· A aprendizagem: compreende o grau de assimilação e retenção dos conteúdos abordados (testes/provas).
· Impacto do treinamento no trabalho, no comportamento ou no cargo: conceito de transferência que corresponde à aplicação correta, no ambiente de trabalho, de conhecimentos, habilidades ou atitudes adquiridas.
· Alguns estudos vêm desenvolvendo instrumentos de avaliação direcionados à área da saúde.
· Contudo, o fundamental é saber que a avaliação deve ocorrer em todas as etapas do plano de ação.
Plano de ação
· Título/tema do trabalho;
· Descrição do problema;
· Característica geral do município, instituição e da população-alvo;
· Diagnóstico educativo; apresentação e análise dos dados;
· Projeto educativo;
· Justificativa;
· Objetivos: geral; específicos;
· Conteúdo programático; 
· População-alvo;
· Metodologia;
· Avaliação;
· Recursos: humanos; materiais; financeiros;
· Cronograma/quadro de atividades.
Exemplo
Título/tema do trabalho
· Ações Educativas em Saúde para prevenção e controle de doenças diarreicas no Bairro Vila Itaim, zona leste do município de São Paulo.
Descrição do problema
· Nos últimos 3 meses ocorreram 135 casos de diarreia no bairro Vila Itaim, após um alagamento que durou semanas. De acordo com os dados da vigilância que avalia a qualidade da água e do alimento, verificou-se que a água estava contaminada e tinha pelo menos cinco bactérias que causavam doenças relacionadas à diarreia.
Justificativa
· De acordo com os dados epidemiológicos que afirmaram um aumento no número de casos de diarreia no bairro Vila Itaim e sabendo que as formas mais comuns de transmissão da diarreia ocorrem por meio de água e alimentos contaminados, há necessidade de realizar uma intervenção junto à população do bairro, a fim de educá-los quanto ao consumo de água potável, alimentos seguros e limpeza dos locais acometidos pelo alagamento.
Objetivo geral
· Orientar a população sobre os problemas relacionados à transmissão de diarreia e como preveni-los, evidenciando o consumo de água e alimentos com qualidade e higiene.
Objetivos específicos
· Orientar a população sobre as formas de transmissão das doenças diarreicas. 
· Informar a população sobre a qualidade da água e dos alimentos consumidos.
· Orientar a população sobre os cuidados que eles devem ter em casa para manter a água e alimentos com boa qualidade e manter limpos os lugares atingidos pelo alagamento, prevenindo as doenças diarréicas.
População-alvo

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.