A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
SAD_Sistemas_Apoio

Pré-visualização | Página 2 de 3

até que o gerente estivesse satisfeito com o que 
os resultados revelassem sobre os efeitos de várias decisões possíveis. 
Análise de Sensibilidade 
A análise de sensibilidade é um caso especial de análise do tipo what if. 
Normalmente, o valor de uma única variável é alterado repetidas vezes e as 
mudanças resultantes sobre as outras variáveis são observadas. Por isso, a análise 
de sensibilidade é, na verdade, um caso de análise do tipo what if envolvendo 
mudanças repetidas em apenas uma variável de cada vez. Alguns pacotes SAD 
fazem automaticamente pequenas mudanças repetidas em uma variável quando 
solicitados a realizar a análise de sensibilidade. Normalmente a análise de 
sensibilidade é utilizada quando os tomadores de decisão estão em dúvida quanto 
às premissas assumidas na estimativa do valor de certas variáveis-chaves. Em 
nosso exemplo anterior da planilha, o valor da receita poderia ser alterado repetidas 
vezes em pequenos incrementos e os efeitos sobre outras variáveis da planilha 
observados e avaliados. Isto ajudaria o gerente a compreender o impacto de vários 
níveis de receita sobre outros fatores envolvidos nas decisões em pauta. 
Análise de Busca de Metas 
A análise de busca de metas inverte a direção da análise na análise do tipo 
what if e na análise de sensibilidade. Em lugar de observar como as mudanças em 
uma variável afetam outras variáveis, a análise de busca de metas (também 
chamada de análise how can, ou como se pode) fixa um valor-alvo (uma meta) para 
uma variável e, em seguida, altera repetidas vezes as outras variáveis até que o 
valor-alvo seja alcançado. Poderia ser especificado, por exemplo, um valor-alvo 
(meta) de 2 milhões de reais para o lucro líquido após os impostos para um 
empreendimento comercial. Em seguida, poderia ser alterado repetidamente o valor 
7 
da receita ou despesas em um modelo de planilha até obter o resultado de 2 milhões 
de reais. Dessa forma, é possível chegar à quantidade de receita ou nível de 
despesas que o empreendimento precisa alcançar a fim de atingir a meta de 2 
milhões de lucro após os impostos. Consequentemente, esta forma de modelagem 
analítica ajudaria a responder a pergunta "Como se podem alcançar dois milhões em 
lucro liquido após os impostos?" em lugar da pergunta "O que acontece se 
mudarmos a receita ou as despesas?". Assim, a análise de busca de metas é outro 
método importante de apoio à decisão. 
Análise de Otimização 
A análise de otimização é uma extensão mais complexa da análise de busca de 
metas. Em lugar de fixar para uma variável um valor específico, a meta é encontrar o 
valor ótimo para uma ou mais variáveis-alvo, dadas certas limitações. Em seguida, 
muda-se uma ou várias outras variáveis repetidas vezes, sujeitas às limitações 
especificadas, até que sejam descobertos os melhores valores para as variável-alvo. 
Pode-se tentar determinar, por exemplo, o maior nível possível de lucros que 
poderia ser obtido variando os valores para fontes escolhidas de receita e categorias 
de despesa. As mudanças nessas variáveis poderiam estar sujeitas a limitações 
como a capacidade restrita de um processo de produção ou os limites disponíveis de 
financiamento. Normalmente a otimização é alcançada por pacotes de software de 
finalidades especiais como a programação linear ou por geradores SAD avançados. 
8 
 
Quadro 2 Atividades e exemplos do principais tipos de modelagem analítica. 
Tipo de Modelagem Atividades e exemplos 
Análise do Tipo What If Observar como as mudanças de 
variáveis selecionadas afetam outras 
variáveis. 
Exemplo: E se reduzíssemos a 
propaganda em 10%? O que aconteceria 
com as vendas? 
Análise de Sensibilidade Observar como mudanças repetidas 
em uma única variável afetam outras 
variáveis. 
Exemplo: Vamos reduzir a 
propaganda em 1.000 reais 
repetidamente de forma que possamos 
entender sua relação com as vendas. 
Análise de Busca de Metas Fazer repetidas mudanças em 
variáveis selecionadas até que uma 
variável escolhida alcance um valor-alvo. 
Exemplo: Experimentemos 
aumentos na propaganda até que as 
vendas atinjam 1 milhão de reais. 
Análise de Otimização Encontrar um valor ótimo para 
variáveis selecionadas, dadas certas 
restrições. 
Exemplo: Qual o melhor montante 
de propaganda, considerando nosso 
orçamento e escolha de mídia? 
 
 
 
 
 
9 
Sistemas de Informação Executiva (EIS) 
Os sistemas de informação executiva (EIS) são sistemas de informação que 
combinam muitas características dos sistemas de informação gerencial e dos 
sistemas de apoio à decisão. Entretanto, quando foram inicialmente desenvolvidos, 
seu objetivo era atender as necessidades de informações estratégicas da alta 
administração. Dessa forma, a primeira meta dos sistemas de informação executiva 
era fornecer aos altos executivos acesso fácil e imediato a informações sobre os 
fatores críticos ao sucesso, de uma empresa, ou seja, os fatores-chaves decisivos 
para a consecução dos objetivos estratégicos de uma organização. Os executivos 
de uma cadeia de lojas de departamentos, por exemplo, provavelmente 
considerariam fatores como suas campanhas de promoção de vendas e sua com-
posição da linha de produtos como decisivos para sua sobrevivência e sucesso. 
Em um sistema de informação executiva, a informação é apresentada segundo 
as preferências dos executivos usuários do sistema. A maioria dos sistemas de 
informação executiva, por exemplo, enfatiza o uso de uma interface gráfica com o 
usuário e exibições gráficas que possam ser personalizadas de acordo com as 
preferências de informação dos executivos que o utilizam. Outros métodos de 
apresentação da informação utilizados por um sistema de informação executiva 
incluem os relatórios de exceção e a análise de tendências. A capacidade para 
desagregar, que permite aos executivos rapidamente recuperarem demonstrativos 
de informações afins em níveis mais baixos de detalhe, é outra capacidade 
importante. Além disso, é claro que o crescimento das tecnologias de Internet e 
intranet adicionou a navegação de rede à lista das capacidades desse sistema. 
Justificativa para os sistemas de Informação Executiva 
Os estudos têm evidenciado que os altos executivos obtêm de muitas fontes a 
informação de que precisam. Essas fontes incluem cartas, memorandos, periódicos 
e relatórios produzidos manualmente ou por sistemas de computador. Outras fontes 
importantes de informação executiva são as reuniões, telefonemas e atividades 
sociais. Dessa forma grande parte das informações de um alto executivo deriva de 
fontes extra computador. As informações geradas por computador não têm 
desempenhado um papel importante atendimento de muitas necessidades de 
informação dos altos executivos. 
10 
Por isso, os sistemas de informação executiva computadorizados foram 
desenvolvidos para satisfazer as necessidades de informação da alta administração 
que não estavam sendo atendidas por outras formas de SIG. Os especialistas em SI 
aproveitaram os avanços na tecnologia dos computadores para desenvolverem 
maneiras atraentes e de fácil utilização para dotar os executivos das informações de 
que necessitam. Os sistemas de informação executiva ainda enfrentam a resistência 
de certos executivos, são assolados por custos elevados e possuem muitas falhas 
conhecidas e divulgadas. Entretanto, seu uso está crescendo rapidamente. Eles têm 
se disseminado entre as fileiras da administração média à medida que mais 
executivos passam a reconhecer sua viabilidade e benefícios e que sistemas 
baratos para redes cliente/servidor e intranets se tomam disponíveis. 
Segundo uma pesquisa, por exemplo, 25% dos executivos das empresas no 
mundo inteiro tendem a usar um sistema de informação executiva. Um fabricante de 
um pacote popular de software de sistemas de informação executiva informa que 
apenas 3% de seus usuários são altos executivos. Outro exemplo é o sistema

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.