A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
[SEMINÁRIO] NHS - Sistema de Saúde da Inglaterra

Pré-visualização | Página 1 de 2

Sistema de saúde da Inglaterra 
Ailton Moreira Resplandes, Alice Morschbacher, Ana Luiza Rocha Faria, Eduardo Yakel de Carli, Gustavo Conde Moura, João Zanon Gomes, Karolaine Galvani Delpupo, Letícia Alves Pereira Coelho, Rebeca Pessanha Paes Rangel
Introdução
1948: Criação do National Health Service (NHS).
Contexto pós-guerra propiciou um modelo mais solidário.
Ato de 46: coletivismo, integralidade, universalidade, equidade e gratuidade.
Modelo referência: inspiração para o SUS. 
Cobertura universal de saúde do NHS
Atenção universal em saúde para todos os que residam no 
Reino Unido → Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales.
cidadãos de outros países europeus com os quais o Reino Unido tem 
acordos de reciprocidade nessa área.
residentes legais e seus dependentes.
estudantes em cursos com duração superior a seis meses.
Como é organizado o sistema e como os provedores são pagos? 
Sobre a disponibilidade de profissionais temos que: 
Há uma crescente escassez de médicos, para tentar solucionar o problema, são disponibilizados incentivos financeiros para atraí-los para essas áreas. 
Nas universidades, o governo regula o número de vagas dos cursos de graduação de medicina e odontologia, sendo que há a promessa de expandir o número de vagas. 
Atenção primária: 
Prestada principalmente por clínicos gerais
Os consultórios são, normalmente, o 1° ponto de contato dos pacientes
As pessoas devem se registrar em um consultório local de sua escolha, porém há limitação em algumas clínicas com lotação. em algumas áreas, há serviços de atenção primária, para os quais o registro não é obrigatório.
Hospitais:
Os pacientes podem escolher qual hospital visitar, e o governo introduziu o direito de escolher um especialista específico dentro de um hospital. A maioria das consultas ambulatoriais com especialistas é realizada em hospitais, embora uma pequena proporção das consultas ocorra em clínicas gerais. 
Os hospitais privados: 
Eles oferecem uma variedade de serviços, incluindo tratamentos indisponíveis no NHS ou sujeitos a longos tempos de espera, como cirurgia bariátrica e tratamento de fertilidade, mas geralmente não possuem unidades de emergência, trauma ou terapia intensiva. 
Não há subsídios público.
Cuidados de longo prazo e apoios sociais: 
O NHS paga por cuidados de longo prazo (em casa ou em instalações residenciais) para pessoas com necessidades de cuidados decorrentes de doença, deficiência ou acidente, incluindo no fim da vida. 
Outros serviços e apoios de longo prazo são pagos diretamente ou pelas autoridades locais, havendo a avaliação de cada caso.
A assistência social financiada localmente não é normalmente gratuita no ponto de uso, exceto para certos serviços (como serviços de reabilitação por tempo limitado para pessoas se recuperando de doenças ou ferimentos, o fornecimento de alguns equipamentos e modificações na casa).
Sobre o financeiro:
A maioria dos clínicos gerais são autônomos (empreiteiros privados)
Os consultórios, em sua maioria, operam sobre contratos de Serviços Médicos Gerais, negociados entre a British Medical Association (representando os médicos) e o governo. 
Os médicos recebem bônus de desempenho, principalmente em intervenções clínicas baseadas em evidências e coordenação de cuidados para doenças crônicas. 
Atendimento ambulatorial especializado: Quase todos os especialistas são funcionários assalariados de hospitais do NHS. Os salários são acordados como parte de um contrato nacional entre o Departamento de Saúde e a Associação Médica Britânica. Os especialistas são livres para exercer a prática privada em enfermarias especialmente designadas no NHS ou em hospitais privados. Em 2006, cerca de 55 % dos médicos realizavam trabalhos privados, uma proporção que está diminuindo à medida que a diferença de rendimentos entre a prática pública e privada diminui.
Cuidados após o expediente: Desde 2004, os clínicos gerais não são mais obrigados a fornecer pessoalmente atendimento após o expediente aos seus pacientes; no entanto, os eles devem garantir que os arranjos adequados para cuidados após o expediente sejam implementados. Assim, são contratados profissionais privados pagos por sessão.
Os residentes no Reino Unido, em linhas gerais, não pagam por serviços médicos, que são gratuitos no local de uso, havendo algumas exceções. 
Quais são as principais estratégias para garantir a qualidade do atendimento?
“Care Quality Commission” - regula todo o cuidado à saúde na Inglaterra
“National Institute for Health and Care Excellence” - desenvolvimento de padrões e protocolos de qualidade
“Quality and Outcomes Framework” - incentivo financeiro para estimular os profissionais médicos a praticar um serviço de qualidade
Todos os profissionais de saúde precisam ser registrados no Conselho de sua profissão para praticá-la, e essa licença tem período de validade e precisa ser renovada a cada 5 anos
“Healthwatch England” - controle de qualidade baseado nas opiniões emitidas pelos pacientes
O que tem sido feito para reduzir as disparidades?
criação legislativa do “Public Health England” (PHE), que tem como objetivo proteger e melhorar a saúde da nação e direcionar esforços para tratar das desigualdades em saúde 
Além desse órgão, o Sistema Nacional de Saúde (National Health Service) tem como estratégias principais, no que tange ao combate às desigualdades:
financiamento necessário aos grupos locais (CCGs)
incentivar financeiramente as reduções das desigualdades em cada área de atuação
adotar as melhores práticas para a obtenção de resultados (eficiência no serviço)
usar medidas de avaliação de risco para identificar as vulnerabilidades (populações em situação de rua, por exemplo)
ações de serviço social para adultos e crianças 
Vale destacar que o financiamento do modelo Inglês ocorre por meio da descentralização, de modo que, para execução dessas propostas de redução das iniquidades, os repasses para os CCG são feitos por meio de um planejamento financeiro focado nas necessidades de cada área 
o dinheiro advém dos impostos dos governos locais e concessões do governo central
O que está sendo feito para promover a integração do sistema de distribuição e a coordenação de cuidados?
Os GPs são responsáveis ​​pela coordenação dos cuidados como parte de seu contrato geral com o NHS
o 2018- 2019: Um GP para os pacientes com mais de 75 anos
o Incentivos financeiros para fornecer monitoramento contínuo de pacientes com as mais comuns condições crônicas
Práticas multi-parceiras para monitoramento de rotina de pacientes com doenças crônicas
o direcionam os pacientes e mantém registros de seu tratamento
A Lei de Saúde e Assistência Social de 2012 encarregou o NHS England e os CCGs de promover cuidados integrados
2016: Sistemas de Cuidados Integrados (ICSs), nos quais as autoridades locais, redes de GP e hospitais locais assumem a responsabilidade conjunta de compartilhar recursos entre sua população
Registro eletrônico
Cada paciente com um registro eletrônico exclusivo.
Possibilidade de marcar consultas online.
Pacientes com acesso online aos seus registros.
Tentativa de implantar nos setores de cuidados primário, urgência e emergência um serviço sem papel.
O site do Sistema Nacional de Saúde é uma referência para os pacientes, com informações, históricos de saúde e contato com seus médicos.
Quais inovações e reformas importantes foram introduzidas recentemente?
Publicação do Five Year Forward View;
Ampliação da Atenção Primária Multidisciplinar;
Assistência médica aprimorada em lares de longa permanência;
Redes para aprimorar os serviços de emergência;
Estratégias para melhorar os serviços voltados para o câncer e a saúde mental;
Prevenção do diabetes;
Plano de Longo Prazo do NHS
Qual origem do financiamento desse sistema?
Segundo levantamento feito pela BBC (2015) o NHS realiza cerca de 381 milhões