A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
APOL 01- FILOSOFIA LATINO-AMERICANA E BRASILEIRA

Pré-visualização | Página 1 de 4

Questão 1/10 - Filosofia Latino-Americana e Brasileira 
Considere a citação: 
 
“As pregações que anunciavam o retorno ao tempo e às tradições perdidas não raro se combinaram, nesses 
movimentos, com atitudes de resistência armada. Assim foi no Peru com a resistência neo-inca de 
Vilcabamba e Vitcos, isto é, com a reorganização de um novo império inca por parte de membros da dinastia 
cuzquenha inconformados com a vitória pizarrista e.com a entronização de soberanos [...]”. 
 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: VAINFAS, Ronaldo. Idolatrias e Milenarismos: a resistência indígena nas Américas. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 5, n. 9, p. 29-43,1992, p. 
32 < http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/viewFile/2329/1468>. Acesso em 26 Mar. 2019. 
 
Conforme a citação e os conteúdos do livro-base Filosofia Latino-Americana e Brasileira sobre o processo 
de dominação dos povos europeus na América Latina, é correto afirmar que: 
Nota: 10.0 
 
A os europeus tiveram como objetivo principal na América a extração de riquezas o que não levou a conflitos violentos uma vez que 
ocorreu a prática do escambo de maneira pacífica do século XVI ao XIX. 
 
B os povos ameríndios bem como posteriormente os africanos tiveram suas identidades étnicas negadas pelos europeus, entretanto 
tais povos resistiram da maneira que era possível ao processo colonizador. 
Você acertou! 
Comentário: A tese que reafirmaremos ao longo desta obra é a de que a América já existia, já era; não com esse nome, que é mais uma 
imposição de uma totalidade totalizante, mas já tinha sua história. Ao imporem nomes cristãos tanto aos africanos quanto aos nativos do 
continente americano (ao qual se impôs também o nome América) para assumirem outras identidades pelo ato do batismo de sua religião, os 
europeus seguiram a mesma lógica: era preciso negar o que aqueles povos eram para passarem a ser o que o dominador queria que fossem. A 
América não passou a existir a partir da chegada dos europeus; já era e tinha consciência de sua existência. E em nome dessa existência e 
consciência, mesmo que em alguns momentos tenha havido colaboração com o dominador por parte de alguns, houve, por outro lado, muita 
resistência”. (livro-base, p.60) 
 
C a dominação dos povos europeus caracterizou-se por uma imposição religiosa sem efeitos políticos e/ou econômicos, considerando 
que as famílias e as terras ameríndias foram respeitadas 
 
D o processo de escravidão africana durante a colonização latino-americana teve caráter absolutamente profissional, respeitando-se 
os escravizados, que não foram privados dos seus costumes. 
 
E a dominação europeia na América Latina teve um saldo positivo, uma vez que trouxe o progresso material e econômico na mesma 
medida que a justiça social entre os povos ameríndios, africanos e europeus. 
 
Questão 2/10 - Filosofia Latino-Americana e Brasileira 
Analise a citação: 
 
“Basicamente, a característica essencial ao positivismo, tal qual o concebeu Comte, é a devoção à ciência, 
vista como único guia da vida individual e social, única moral e única religião possível. Desse modo, em 
última análise, o positivismo é compreendido como a ‘religião da humanidade’". 
 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: OLIVIERI, Antônio Carlos. Positivismo – Ordem, progresso e a ciência como religião da 
humanidade. <https://educacao.uol.com.br/disciplinas/filosofia/positivismo-ordem-progresso-e-a-ciencia-como-religiao-da-humanidade.htm> Acesso em: 27 mar. 2019. 
 
Conforme a citação e os conteúdos do livro-base Filosofia Latino-Americana e Brasileira sobre a corrente 
filosófica denominada Positivismo, leia as afirmativas a seguir. 
 
I. Para o positivismo a evolução da humanidade possui três estágios, a saber: teológico, metafísico 
(filosófico) e positivo (científico). 
II. O estágio cientifico ou positivo é aquele em que o ser humano compreende as coisas pelo conhecimento 
que pode ser verificado e comprovado. 
III. O estágio teológico na perspectiva dos positivistas é aquele na qual a explicação dos fatos ocorre de 
maneira racional. 
 
Está correto apenas o que se afirma em: 
Nota: 10.0 
 
A I 
 
B II 
 
C III 
 
D I e II 
Você acertou! 
Comentário: Esta é a resposta correta porque: “Na segunda metade do século XIX, começou a circular no pensamento latino-americano, 
convivendo com outras ideias, o positivismo, que foi hegemônico até 1910, servindo aos interesses imperialistas em suas críticas às oligarquias 
conservadoras. Auguste Comte explica a evolução da humanidade com sua teoria dos três estados ou estágios: o primeiro, teológico, em que 
os seres humanos explicam as coisas baseando-se em suas crenças, num primeiro momento fetichistas, depois politeístas e, por fim, monoteístas; 
o segundo, metafísico ou filosófico, substitui as explicações baseadas nas crenças por outras, racionais, do tipo metafísicas; por fim, o terceiro, 
positivo ou científico, em que o ser humano compreende as coisas por meio da ciência ou do conhecimento científico, o qual pode ser verificado 
e comprovado” (livro-base, p.111). 
 
E II e III 
 
Questão 3/10 - Filosofia Latino-Americana e Brasileira 
Atente para o fragmento de texto a seguir: 
 
“Com a morte de Stálin, em 1953, abriu-se um conflito institucional que visava fazer o partido retomar o 
controle do Estado submetido ao poder policial. A sedimentação de interesses sociais setoriais obrigou a 
um rearranjo do poder burocrático a fim de estabelecer prioridades socioeconômicas e relegitimar o papel 
dirigente do partido, ampliando o consenso social. A denúncia da obra de Stálin no XX Congresso do PCUS 
(1956) consolidou o poder a burocracia gerada na esteira do extermínio do velho partido bolchevique [...]”. 
 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: PINHEIRO, Jair (org). Marx: crise e transição. Contribuições para o debate hoje. Marília, SP: Oficina Universitária; São Paulo: Cultura Acadêmica, 
2014. 
 
O contexto sociopolítico e econômico mundial partir da segunda metade do século XX trouxe mudanças e 
consequência para o pensamento marxista em todo o mundo. Considerando o fragmento de texto e os 
conteúdos do livro-base Filosofia Latino-Americana e Brasileira sobre o pensamento marxista no contexto 
global da segunda metade do século XX, é correto afirmar que: 
Nota: 10.0 
 
A a partir do contexto mencionado verificou-se um crescimento do marxismo de viés stalinista. 
 
B o culto a Stálin e as violências denunciadas levaram à revisão do marxismo, além deste deixar de ser monopólio do partido 
comunista. 
Você acertou! 
COMENTÁRIO: Esta é a resposta correta porque: “No final da década de 1950, o XX Congresso do Partido Comunista da União Soviética e 
a Revolução Cubana provocaram um terremoto político no marxismo global. As denúncias de violências e o culto à personalidade praticada 
por Stalin levaram a uma onda de revisionismos e/ou reformismos tanto dos intelectuais quanto dos partidos políticos comunistas. Estes últimos, 
aliás, deixaram de ser os legítimos e únicos guardiões do pensamento marxista, abrindo espaço para a produção teórica de intelectuais da 
academia e autodidatas fora dos cânones ortodoxos marxistas. Segundo Netto (2012, p. 12, grifo do original) ‘Em poucas palavras: os partidos 
comunistas deixaram efetivamente de ter uma espécie de monopólio do marxismo, seja na sua divulgação, seja na sua utilização. Outras 
agências (movimentos sociais, universidades, institutos de pesquisa etc.) passaram a intervir de modo novo na elaboração marxísta. O resultado 
imediato desse processo foi uma notável renovação do marxismo no subcontinente’” (livro-base, p.195). 
 
C a segunda metade do século XX representou a consolidação do monopólio do pensamento marxista para uso específico dos partidos 
comunistas em todo o mundo. 
 
D na América Latina não ocorreu uma a