A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Avaliação 1 - Direito Coletivo do Trabalho e Tutelas Coletivas

Pré-visualização | Página 1 de 1

Avaliação - Direito Coletivo do Trabalho e Tutelas Coletivas 
 
 
 
Sérgio Pinto Martins que, na França, a Lei francesa Le Chapellier, de 17.07.1791, proibia 
que “os cidadãos de um mesmo Estado ou profissão tomassem decisões ou deliberações 
a respeito de seus pretensos interesses comuns”. O Código de Napoleão, de 1810, 
também punia a associação de trabalhadores. Só se observa a liberdade de associação 
dos trabalhadores a partir de 1884, quando foi reconhecida 
O direito assegurado a cada trabalhador ou empresário de filiar-se ao sindicato de sua 
preferência, representativo do grupo a que pertence, e dele desligar-se é: 
Escolha uma: 
a. 
Em Relação ao Estado 
b. 
Liberdade Sindical Coletiva 
c. 
Liberdade Sindical Individual 
d. 
Nenhuma das alternativas 
e. 
Autonomia Sindical 
Não há definição legal acerca da negociação coletiva, o que exige o recurso às lições 
doutrinárias para formular o seu conceito. Daí a pluralidade de conceitos. Para uns, é fonte 
normativa típica do direito do trabalho. Leciona Amauri Mascaro Nascimento que a 
“negociação coletiva da qual resultam convenções coletivas de diferentes tipos, graus de 
obrigatoriedade e âmbitos de aceitações, é uma fonte de produção normativa típica do 
direito do trabalho”. No mesmo sentido é a posição de Maurício Godinho Delgado, para 
quem a “negociação coletiva é um dos importantes métodos de solução de conflitos 
existentes na sociedade contemporânea. Sem dúvida, é o mais destacado no tocante a 
conflitos trabalhistas de natureza coletiva”. Para outros, a negociação é um processo, 
como expõe José Cláudio Monteiro de Brito Filho: negociação coletiva é “o processo de 
entendimento entre empregados e empregadores visando à harmonização de interesses 
antagônicos com a finalidade de estabelecer normas e condições de trabalho”. 
A negociação coletiva compreende todas as negociações que tenham lugar entre, de uma 
parte, um empregador, um grupo de empregadores ou uma organização ou várias 
organizações de empregadores e, de outra parte, uma ou várias organizações de 
trabalhadores, com o fim de: 
Escolha uma: 
a. 
regular somente as relações entre as organizações de trabalhadores. 
b. 
regular as relações entre os empregadores ou suas organizações e uma ou várias 
organizações de trabalhadores, ou alcançar todos estes objetivos de uma só vez. 
https://www.avaeduc.com.br/mod/pde/view.php?id=543656
https://www.avaeduc.com.br/mod/pde/view.php?id=543656
c. 
regular somente as relações entre os empregadores. 
d. 
regular as relações entre os empregadores e os fornecedores de produtos. 
e. 
regular as relações entre os empregadores e os trabalhadores individualmente. 
A Lei francesa Le Chapellier, de 17.07.1791, proibia que “os cidadãos de um mesmo 
Estado ou profissão tomassem decisões ou deliberações a respeito de seus pretensos 
interesses comuns”. O Código de Napoleão, de 1810, também punia a associação de 
trabalhadores. Só se observa a liberdade de associação dos trabalhadores a partir de 
1884, quando foi reconhecida. 
O direito coletivo do trabalho nasce com o reconhecimento do direito de associação dos 
trabalhadores, o que efetivamente só se deu após: 
Escolha uma: 
a. 
Constituição federal 
b. 
Revolução industrial 
c. 
Nenhuma das alternativas 
d. 
1ª guerra mundial 
e. 
2ª guerra mundial

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.