A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
46 pág.
EDUCAÇÃO-AMBIENTAL-1

Pré-visualização | Página 9 de 9

O dispositivo de 
mais destaque, no entanto, é o artigo 225, que estabelece: 
Art. 225 – Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, 
bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao 
Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes 
e futuras gerações. 
§ 1º – Para assegurar a efetividade desse direito, incumbe ao Poder Público: 
I – preservar e restaurar os processos ecológicos essenciais e prover o manejo 
ecológico das espécies e ecossistemas; 
II – preservar a diversidade e a integridade do patrimônio genético do País e 
fiscalizar as entidades dedicadas à pesquisa e manipulação de material genético; 
III – definir, em todas as unidades da Federação, espaços territoriais e seus 
componentes a serem especialmente protegidos, sendo a alteração e a supressão 
permitidas somente através de lei, vedada qualquer utilização que comprometa a 
integridade dos atributos que justifiquem sua proteção; 
IV – exigir, na forma da lei, para instalação de obra ou atividade potencialmente 
causadora de significativa degradação do meio ambiente, estudo prévio de impacto 
ambiental, a que se dará publicidade; 
 
 
41 
 
V – controlar a produção, a comercialização e o emprego de técnicas, métodos 
e substâncias que comportem risco para a vida, a qualidade de vida e o meio 
ambiente; 
VI – promover a educação ambiental em todos os níveis de ensino e a 
conscientização pública para a preservação do meio ambiente; 
VII – proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que 
coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou 
submetam os animais a crueldade. 
§ 2º – Aquele que explorar recursos minerais fica obrigado a recuperar o meio 
ambiente degradado, de acordo com solução técnica exigida pelo órgão público 
competente, na forma da lei. 
§ 3º – As condutas e atividades consideradas lesivas ao meio ambiente 
sujeitarão os infratores, pessoas físicas ou jurídicas, a sanções penais e 
administrativas, independentemente da obrigação de reparar os danos causados. 
§ 4º – A Floresta Amazônica brasileira, a Mata Atlântica, a Serra do Mar, o 
Pantanal Mato-Grossense e a Zona Costeira são patrimônio nacional, e sua utilização 
far-se-á, na forma da lei, dentro de condições que assegurem a preservação do meio 
ambiente, inclusive quanto ao uso dos recursos naturais. 
§ 5º – São indisponíveis as terras devolutas ou arrecadadas pelos Estados, por 
ações discriminatórias, necessárias à proteção dos ecossistemas naturais. 
§ 6º – As usinas que operem com reator nuclear deverão ter sua localização 
definida em lei federal, sem o que não poderão ser instaladas. 
Dentre as importantes leis sobre proteção do meio ambiente, mencione-se 
ainda: 
 - Lei 4.717/1965: ação popular; 
- Lei 6.766/1979: parcelamento do solo urbano; 
- Lei 7.661/1988: Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro; 
- Lei 8.723/1993: emissão de poluentes por veículos automotores; 
- Lei 9.055/1995: utilização do asbesto/amianto; 
- Lei 9.433/1997: Política Nacional de Recursos Hídricos; 
- Lei 9.605/1998: crimes ambientais; 
- Lei 9.795/1999: Política Nacional de Educação Ambiental; 
- Lei 9.985/2000: institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação; 
 
 
42 
 
- Lei 10.257/2001: Estatuto da Cidade; 
- Lei 10.650/2003: acesso público aos dados e informações do SISNAMA; 
- Lei 11.105/2005: biossegurança; 
- Lei 11.284/2006: institui o Sistema Florestal Brasileiro e cria o Fundo Nacional 
de Desenvolvimento Florestal; 
- Lei 11.428/2006: utilização e proteção da vegetação nativa do Bioma Mata 
Atlântica; 
- Lei 11.445/2007: saneamento básico. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
43 
 
BIBLIOGRAFIA 
BRANDÃO, C.R. Comunidades Aprendentes. In: FERRARO-JÚNIOR, L.A. 
(org). Encontros e caminhos: formação de educadoras(es)ambientais e coletivos 
educadores. Brasília: MMA, Diretoria de Educação Ambiental, 2005. 
 
BRASIL. Lei no 9.795, de 27 de abril de 1999. Brasília: Congresso Nacional, 
1999. 
 
BRÜGGER, P. Educação ou adestramento ambiental? Florianópolis: Letras 
Contemporâneas, 1994. 
 
CARVALHO, I.C.M. Educação Ambiental: a formação do sujeito ecológico. São 
Paulo: Cortez, 2004. 
 
CHAUÍ, M. O que é ideologia? São Paulo: Brasiliense, 1981. (Coleção 
Primeiros Passos) 
 
ENGUITA, M. A face oculta da escola. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989. 
 
FORUM INTERNACIONAL DAS ONGs. Tratado de educação ambiental para 
sociedades sustentáveis e responsabilidade global. Rio de Janeiro: 1995. 
 
GADOTTI, M. O pensamento pedagógico brasileiro. 8 ed. São Paulo: Ática, 
2004. 
 
GRÜN, M. Ética e educação ambiental: a conexão necessária. Campinas: 
Papirus, 1996. 
 
GUIMARÃES, M. Educação ambiental crítica. In: LAYRARGUES, P.P.(org). 
Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília, MMA. Diretoria de Educação 
Ambiental, 2004. 
 
 
 
44 
 
JACOBI, P. Participação. In: FERRARO-JÚNIOR, L.A. (org). Encontros e 
caminhos: formação de educadoras(es)ambientais e coletivos educadores. Brasília: 
MMA, Diretoria de Educação Ambiental, 2005. 
 
LEFF, E. Saber Ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, 
poder. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2001. 
 
LIBÂNEO, J.C. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico social 
dos conteúdos. 4 ed. São Paulo: Loyola, 1986. 
 
LIBÂNEO, J.C. Pedagogia e Pedagogos: para quê? São Paulo: Cortez, 1998. 
 
LOUREIRO, C. F. B. Trajetórias e Fundamentos da Educação Ambiental. São 
Paulo: Cortez, 2004. 
 
LUCKESI, C.C. Filosofia da Educação. São Paulo: Cortez, 1994. 
 
MANACORDA. M.A. Marx e a pedagogia moderna. São Paulo: Cortez/autores 
Associados, 1991. 
 
MARX, K & ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Hucitec, 1979. 
 
MARX, K. Manuscritos económicos-filosóficos. Edições 70. 1993. 
 
MISUKAMI, M.G.N. Ensino: as abordagens no processo. São Paulo: EDUSP, 
1986. 
 
REIGOTA, M. Educação ambiental e representação social. São Paulo: Cortez, 
1995. (Coleção Questões da Nossa Época) 
 
SAVIANI, D. A pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 9 ed. 
Campinas: Autores Associados, 2005. 
 
 
 
45 
 
SAVIANI, D. Do senso comum à consciência filosófica. São Paulo: 
Cortez/Autores Associados, 1991. 
 
SAVIANI, D. Escola e Democracia. 19 ed. São Paulo: Cortez/Autores 
Associados, 1987. 
 
TOZONI-REIS, M.F.C. Educação Ambiental: natureza, razão e história. 
Campinas: Autores Associados, 2004.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.