A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Anatomia e Fisiologia dos Olhos

Pré-visualização | Página 2 de 2

as glândulas de gordura estão entupidas, obstruídas; causas: pessoas que produzem gordura mais espessa (mais comum), por produtos ou por inflamação nas glândulas
 
Cílios
- Teia de proteção para que partículas não entrem em contatos com os olhos
- Ideal ter seu direcionamento para fora
Pálpebras
- Músculos que fecham os olhos (orbiculares) e músculos que abrem (elevadores da pálpebra)
- Ato do piscar deve ser completo, quando ele é incompleto não conseguimos distribuir lagrima por toda superfície da córnea
- Tem pessoas que o piscar vai só até metade, não é completo e gera o ressecamento inferior maior. Pessoas que quando dormem não fecham o olho de forma adequada e isso gera uma falta de lubrificação na córnea inferior
Córnea x Esclera
- A esclera e a córnea se continuam, a única diferença entre as duas é que as fibras de colágeno que compõem a córnea estão numa disposição em que permite transparência e qualidade ótica
- Basicamente uma é continuação da outra, a transição, mudança acontece nessa disposição das fibras de colágeno
- Estrutura entre a esclera e a retina é a coroide, é a túnica vascular
Retina
- É a parte mais interna
- Composta por neurônios
Coroide 
- Vasos que penetram e formam o complexo vascular
- Túnica média – vascular
Túnicas
- Túnica externa: esclera – protetora
- Túnica média: coroide – vascular
- Túnica interna: retina – sensorial
Localização do Olho
- Está dentro de uma cavidade: cavidade orbitária
- Não fica solto, fica preso posteriormente ao nervo ótico e aos músculos
- Entre os olhos e a cavidade óssea: temos vasos, gordura extra-ocular (intra-orbitária), nervos, musculatura que compõem a cavidade para não deixar o olho solto
- Existe um septo que separa a gordura para que ela não venha para o meio externo e é muito comum ao longo da vida, com o excesso de pele que essas bolsas de gordura se desloquem para frente junto com a pele e começa a ficar com aparência externa; elas são fundamentais porque elas dão sustentação e proteção, então não se pode remover muito
Movimentação do Olho
Musculatura (6 músculos – 4 retos e 2 oblíquos)
- Oblíquo superior: inervado pelo n. troclear (4º par)
- Oblíquo inferior: inervado pelo n. oculomotor (3º par)
- Reto medial: inervado pelo n. oculomotor (3º par)
- Reto lateral: inervado pelo n. abducente (6º par)
- Reto inferior: inervado pelo n. oculomotor (3º par)
- Reto superior: inervado pelo n. oculomotor (3º par)
- Para olhar para cima: fazemos a contração do reto superior e relaxamento do reto inferior. Isso tem que ser feito de forma bilateral e de forma sinérgica
- Olhar para o lado: o reto lateral ipsilateral contrai e o medial relaxa, enquanto o reto medial contralateral contrai e o lateral relaxa
Estrabismo
- Quando não há sinergia bilateral dos músculos, ou seja, um olho olha num ponto e o outro focando num outro ponto diferente
- O sinal para definir que não é um paciente estrábico é o reflexo da luz na pupila: o eixo visual não está no centro da pupila, ele fica discretamente desviado no sentido nasal
- A hipoação pode ser por lesão ou doença
- Quando temos disfunção na resultante de força que envolve os músculos extraoculares, vai haver desvio ocular = estrabismo
- Sintoma no adulto: diplopia, a criança não tem esse sintoma
Esotropia
- O olho fixo está com reflexo da luz no local correto, e o outro está desviado
- Causa para o desenvolvimento: hipoação/paralisia do reto lateral ou hiperfunção do reto medial
- Desvio para dentro
Exotropia
- Causa: hipofunção do reto medial ou hiperfunção do reto lateral
- Desvio para fora
Correção do Estrabismo
- O estímulo da visão tem um grande valor na correção. Porque se precisa tratar a ambliopia antes de qualquer coisa
- Tem chance de fazer a correção pela musculatura, mas se não tem estímulo o olho desviar novamente
1. Oclusão do olho não estrábico
- Feito em crianças até 8 anos
- A partir do momento que a criança tem o olho desviado ela não consegue ter binocularidade (juntar as imagens dos dois olhos em uma só). A parte do cérebro do olho que não está focado sofre supressão, e apaga a imagem que recebe e se apaga o que o olho está captando, essa região do cérebro não trabalha, e isso só se desenvolve se é estimulada, o que acontece até uns 8-10 anos
- Tem a função única de estimular as regiões cerebrais da visão, para que haja maturação da região para que ela possa “saber” a enxergar, apenas para a fisiologia da visão
- Tampa o olho não estrábico, para que haja estímulo, mas não há correção do desvio do olho, não tem função nenhuma na musculatura
- Ambioplia: uma região da visão não ser estimulada, não ser desenvolvida
2. Botóx
- Funciona em uma situação de paralisia/paresia de um músculo, injeta no músculo contralateral para que ele relaxa e tente fazer um tônus no músculo sem força
3. Cirurgia no músculo
- A decisão da cirurgia depende da intensidade do desvio
- Esotropia: ressecção do reto lateral ou recuo do reto medial
	- Hiperfunção do reto medial: tem que diminuir a força, pode recuar, reinserir mais posteriormente
- Hipofunção do reto lateral: tem que aumentar a força, corta um pedaço do músculo reto lateral e o deixa mais curto, para que haja mais força e pode reinserir no mesmo ponto ou 
- Exotropia: ressecção do reto medial ou recuo do reto lateral
- Pode ter estrabismo reflexo?

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.