A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
SISTEMA DE PRODUÇÃ CENOURA

Pré-visualização | Página 1 de 1

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO- UFMA CENTRO DE 
CIÊNCIAS AGRÁRIAS E AMBIENTAIS- CCAA 
CAMPUS DE CHAPADINHA-MA 
 
BR. 222 - KM 04, s/n. Cep: 65.500-000 - Chapadinha, 
Maranhão - Brasil 
Fone: (98) 3471-1201 
 
 
Curso: Agronomia Disciplina: Sistema de produção de raízes e tubérculos (Ag) 
 
Docente: Profª Drª Maria Da Cruz Chaves Lima Moura 
 
 
 
SISTEMA DE PRODUÇÃ CENOURA 
 
1. De acordo com a ilustração abaixo, comente sobre o Centro de 
diversidade e domesticação da Cenoura e identifique o nome da 
espécie das Figuras A e B. 
Figura A. 
Nome da espécie botânica: Daucus carota var. atrorubens Alef.) 
Cenouras Orientais ou Asiáticas: Cenouras roxas ou púrpuras e 
amarelas 
Início da espécie por seleção de plantas com folhas e sementes 
aromáticas, depois no século X teve início ao consumo das raízes, 
sendo selecionadas as raízes menos amargas, mantendo as com 
sabor mais doce e menor grau de lenhosidade do xilema, registros 
históricos indicam surgimento da espécie no norte da África, 
Afeganistão, Irã e Índia. 
Figura B. 
Nome da espécie botânica: Daucus carota var. sativus (Hoffm.) 
Arcangeli. 
As cenouras Daucus carota var. sativus (Hoffm.) Arcangeli. Tem 
ciclo bienal, menor tendência ao florescimento prematuro em baixas 
temperaturas, é suscetível ao calor e a doença queima folhas 
(doença fúngica- alternaria dauci), cor raiz –laranja intensa, formato 
cilíndrico, ponta arredondada, sem pigmentação roxa/verde no 
“ombro” raiz, lisa, reta, crocante. 
Chegaram na Europa introduzidas pelos Mouros da Espanha, no 
século XVII foram introduzidas na Holanda por Guilherme Orange e 
no século XIX na França Grupo Nantes/Chantenay/seleção pelo 
agricultor Vilmorim. 
foi realizado um processo de seleção para melhoramento nós EUA 
para produção de híbridos. No Brasil foi introduzida pelos 
portugueses no RS a cenoura grupo Nantes, no século XVII
• De acordo com as ilustrações abaixo, descreva: 
a) Nome da doença: 
Queima das folhas 
b) Nome patógeno (agente causal): 
Alternaria dauci 
 
c) Sintomas: 
Apresenta lesões, pequenas manchas pretas nas folhas, na 
margem das folhas apresentam tom amarelo, tecido foliar 
necrosado e distorcido. 
d) Controle: 
O controle da queima das folhas é feito com o uso de variedades 
resistentes como as cultivares Brasília e Alvorada, adotar o 
controle químico proposto por agrofit, o uso de práticas culturais 
como rotação de culturas e redução da frequência de irrigação.
• Comente sobre os distúrbios fisiológicos da cenoura, causa e controle. 
 
 Os distúrbios fisiológicos são ligados a estresses ambientais doenças 
fisiológicas não parasitárias, podendo ocorrer por maioria causados por 
estresse ambiental, necessidade hídrica e nutricional em desequilíbrio 
no sistema, esses distúrbios fisiológicos não são transmissíveis de 
planta para planta, tendo como controle em situação de distúrbio 
fisiológico a eliminação da fonte de estresse, atendendo as 
necessidades nutricionais, hídricas e ambientais corretas para planta 
permanecer em um sistema de produção em equilíbrio. Algumas 
condições na cultura da cenoura aparecem como Florescimento 
precoce, apresentam raiz mais lignificada que ocorre quando a planta é 
exposta por um longo período com baixa temperatura seguido 
fotoperíodo crescente. 
Ombro verde e ombro roxo e ombro baixo, que acontece quando 
incide luz solar direto a raiz, podendo agir com o controle com 
prática cultural de amontoar e evitar colheita tardia. 
Rachaduras tem maior ocorrência próximo do período da colheita, 
com balanço hídrico, associado a deficiência Boro e Cálcio, 
Controle: Irrigações uniformes com solos ricos em Matéria 
orgânica, praticas que mantenham umidade solo 
Radicelas laterais- prejudica o processo lavagem raízes. Causa: 
Déficit hídrico. 
Raiz torta e bifurcada. Causa: - excesso água solo que 
apresenta problema drenagem solo, preparo solo. 
 
 
2. Comente sobre as seguintes variedades de cenoura, 
destacando o ciclo, resistência a patógenos, valor 
nutricional, espaçamento, comprimento, 
diâmetro. Qual dessas variedades abaixo relacionadas, 
você recomendaria para plantio no seu município? 
 
A) BRASÍLIA 
Cultivo no verão, melhoramento genético-EMBRAPA-Hortaliças e Escola 
Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" – ESALQ. 
 
➢ As plantas têm porte médio de 25 a 35 cm, com folhagem 
vigorosa e coloração verde escura; 
➢ Formato das raízes: cilíndricas 
➢ Coloração alaranjada clara 
➢ Baixa incidência de ombro verde ou roxo; 
➢ Comprimento raiz: varia de 15 a 22 cm e o diâmetro de 3 a 4 cm; 
➢ Resistente ao calor, apresentando baixos níveis de 
florescimento prematuro sob condições de dias longos; 
➢ Alta resistência de campo à doença fúngica queima-das-
folhas produtividade média 30-35 t/ha nas condições de verão; 
➢ Colheita pode ser efetuada de 85 a 100 dias após a semeadura. 
B) ALVORADA 
➢ As cenouras da variedade alvorada possuem teor de 
carotenoides totais em: 12 mg/100 gramas: 
➢ A planta tem porte médio 30 a 35 cm, com folhagem 
vigorosa e coloração verde escura; 
➢ As raízes são cilíndricas, com coloração alaranjada 
intensa, muito baixa incidência de ombro verde ou roxo; 
➢ O comprimento raiz varia de 15-18 cm com diâmetro de 3 a 4 cm; 
➢ As raízes apresentam uniformidade de coloração entre o 
xilema e o floema resistente ao calor 
➢ Tem alta resistência de campo à queima-das-folhas e aos 
nematóides formadores de galhas, produzindo em média 
30-35 t/ha nas condições de verão; 
➢ A colheita pode ser efetuada de 100 a 105 dias após a 
semeadura. 
 
a) Cultivar BRS Planalto 
A Cultivar BRS Planalto EMBRAPA HORTALIÇAS-2009 apresenta raízes 
uniformes 
e lisas, com ponta arredondada, formato cilíndrico, com pouco ombro verde 
e roxo, com o comprimento da raiz variando de 16 a 20 cm e diâmetro 
médio de 2,5 cm de comprimento de coloração da raiz alaranjada intensa e 
apresentam habito de crescimento semi-ereto, indicadas para o verão em 
cultivo orgânico, resistente a queima-das-folhas e namatóides, tendo ciclo 
médio de 100 a 110 dias, apresenta níveis de produtividade de 60.000kg/há, 
a cultivar é rustica e com excelente qualidade de raízes produzidas 
 
C) BRS ESPLANADA 
Em 2005 foi lançada a cenoura ‘ BRS Esplanada’ desenvolvida para produção 
industrial de mini-cenouras. Adaptada as todas as regiões brasileiras, com alto teor 
de carotenóides (35%) a ‘BRS Esplanada’ possibilita a produção de mini-cenouras 
durante o ano inteiro, com qualidade similar a baby carrot importada. A oferta regular 
de mini-cenoura processada de alta qualidade, além de beneficiar os produtores 
com incremento de renda por agregação de valor, a nova tecnologia favorece a 
balança comercial brasileira pela substituição de importações que antes era feita em 
grandes volumes. A cultivar Esplanada foi avaliada em sistema orgânico de 
produção, alcançando a produtividade média de 28 t ha-1, portanto com excelente 
desempenho. 
D) BRS PLANALTINA 
A cultivar BRS PLANALTINA – EMBRAPA HORTALIÇAS-2016 tem como origem a 
cultivar de cenoura Brasília, é uma cultivar de verão desenvolvidas para 
processamento de mini-cenouras ( “baby carrots”). Possuem raízes finas de 2cm, 
compridas de 22 a 26cm, lisas e retas, com essas características proporcionam 
maior rendimento industrial, se comparado com as cenouras convencionais. 
Possuem alta resistência a queima-das- folhas e tolerância a nematoides-das-
galhas. Possui coloração alaranjada intensa. É indicada para plantios de outubro a 
março. O início da colheita inicia-se aos 80 dias apos semeadura e estendem-se até 
os 110 dias. Pode ser cultivada em sistema orgânico, recomenda-se utilizar 
população de plantas acima de 800.000/há para favorecer o diâmetro adequado 
para o processamento.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.