A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
ATLAS DE CITOPATOLOGIA ONCÓTICA

Pré-visualização | Página 1 de 2

1 
ECTOCÉRVICE NORMAL 
 
CÉLULAS ESCAMOSAS SUPERFICIAIS 
 
➢ Células escamosas superficiais com citoplasma eosinofílico ou basofílico. 
Um polimorfonuclear (seta). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
➢ A: células escamosas superficiais, com citoplasma plano basofílico ou 
eosinofílico. B: Aspecto atrófico 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 2 
 
CÉLULAS ESCAMOSAS INTERMEDIARIAS 
 
 
➢ Células escamosas intermediarias basofilicas e células com citoplasma 
basofilico ou eosinofilico 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CÉLULAS ESCAMOSAS PARABASAIS 
 
 
➢ Células redondas com núcleo vesicular 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 3 
CÉLULAS ESCAMOSAS METAPLÁSICAS 
 
➢ Apresentam-se em placas, com presença de pontes intercelulares e tem 
citoplasma homogêneo, às vezes eosinofílico 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ENDOCÉRVICE NORMAL 
 
➢ As células endocervicais são originárias do epitélio cilíndrico simples da 
mucosa endocervical. O seu citoplasma é basófilo e finamente vacuolizado. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 4 
 
 
CÉLULAS GLANDULARES ENDOCERVICAIS NORMAIS 
 
 
Diferentes tipos de células glandulares endocervicais – A e B: células secretoras; C: 
células ciliadas; D: núcleos nus de células glandulares endocervicais 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CÉLULAS ENDOCERVICAIS NORMAIS :COLUNARES 
 
 
➢ Citologia em meio líquido: detalhes morfológicos de um grupamento de 
células colunares endocervicais. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 5 
 
CELULAS GLANDULARES ENDOCERVICAIS: SECRETORAS 
 
➢ Grupamento de células glandulares secretoras normais com padrão típico 
em favo de mel. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
➢ Células glandulares endocérvicais normais algumas com aspecto secretor, e 
disposição em paliçada. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 6 
 
CÉLULAS ENDOCERVICAIS NORMAIS: CILIADAS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CÉLULAS NÃO EPITELIAIS 
 
CÉLULAS ENDOMETRIAIS 
 
➢ Além das células epiteliais descritas, são encontrados elementos não 
epiteliais em quantidades variáveis nos esfregaços cérvico-vaginais, 
correspondendo a leucócitos, hemácias, histiócitos, muco e flora 
microbiológica 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 7 
➢ Histiócitos, leucócitos e hemácias 
 Hemácias podem estar presentes em esfregaços normais colhidos até o décimo 
dia do ciclo menstrual. Fora desses períodos, sua presença representa lesão genital 
traumática, às vezes da própria colheita ou doença genital. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
MICROORGANISMOS 
 
 
Actinomyces sp 
 
➢ Presença de massa amorfas e filamentares de organismos com ramificações 
em ângulos agudos e que se coram intensamente pela hematoxilina. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 8 
 
➢ Aglomerados típicos de material pseudofilamentoso. Esfregaço de uma 
mulher em uso de DIU. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Trichomonas vaginalis 
 
➢ Ectocérvice inflamatória: fundo sujo, infecção por Trichomonas vaginalis 
(setas: parasitas visíveis). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
http://screening.iarc.fr/atlasglossdef.php?lang=4&key=DIU&img
http://screening.iarc.fr/atlasglossdef.php?lang=4&key=Trichomonas%20vaginalis&img
 9 
➢ Ectocérvice inflamatória: em grande aumento, presença de Trichomonas 
vaginalis (seta). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Micose: Cândida 
 
 
➢ Micose cérvico-vaginal: detalhes das hifas (setas) e esporos. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
http://screening.iarc.fr/atlasglossdef.php?lang=4&key=Trichomonas%20vaginalis&img
http://screening.iarc.fr/atlasglossdef.php?lang=4&key=Trichomonas%20vaginalis&img
http://screening.iarc.fr/atlasglossdef.php?lang=4&key=Micose&img
 10 
➢ (Cândida albicans): hifas e esporos em fundo inflamatório. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
➢ Ectocérvice: flora normal com bacilos filamentosos, deve ser diferenciada 
da flora patogênica ou dos filamentos de fungos 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 11 
Gardnerella vaginalis 
 
 
 
➢ As bactérias são visualizadas no fundo, principalmente sobre as células 
escamosas resultando em células indicadoras (clue cells). Os 
polimorfonucleares são ausentes ou raros. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
➢ As bactérias são visualizadas no fundo, principalmente encobrindo as 
células escamosas resultando em células indicadoras (clue cells) (setas). Não 
há citólise. Os polimorfonucleares são ausentes ou raros. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 12 
Herpes 
 
 
➢ Infecção herpética: célula multinucleada (seta) com inclusão viral 
intranuclear. Grande aumento. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
➢ Infecção herpética: células mononucleares e multinucleadas com inclusões 
intranucleares com aspecto de vidro fosco e cromatina marginal. 
Amoldamento nuclear (seta) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 13 
➢ Infecção herpética: células multinucleadas com núcleos borrados e aspecto 
de vidro fosco. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Células de reparo 
 
 
 
Inflamação e reparo 
 
 
➢ Ectocérvice: fundo inflamatório, aglomerado de células metaplásicas/tipo 
reparação. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 14 
➢ Células de reparação (cromatina clara e nucléolos)? Metaplasia imatura ou 
transicional (alguns sulcos nucleares)? 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
➢ Esfregaço ectocervical inflamatório e hemorrágico: aglomerado de células 
de reparação com cromatina nuclear clara e nucléolos visíveis 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
http://screening.iarc.fr/atlasglossdef.php?lang=4&key=Metaplasia&img
 15 
Alterações celulares benignas 
 
 
 
 
Atrofias 
 
 
➢ Atrofia menopausal com grandes aglomerados de células basais ou 
parabasais e alguns núcleos nus 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
➢ Atrofia ectocervical (menopausa): grande aglomerado de epitélio escamoso 
com contornos irregulares. Orangeofilia e anormalidades nucleares devem 
ser reavaliadas após o tratamento com estrogênio. Detalhes celulares. 
Artefatos da preparação (dessecamento ao ar) e demora na fixação. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
http://screening.iarc.fr/atlasglossdef.php?lang=4&key=Atrofia&img
http://screening.iarc.fr/atlasglossdef.php?lang=4&key=Atrofia&img
 16 
Alterações associadas ao DIU 
 
➢ DIU: células endometriais reacionais. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
➢ Esfregaço da zona de transição: inflamatório. Alterações morfológicas 
freqüentemente visualizadas, afetando as células colunares e parabasais 
metaplásicas, em mulher em uso de DIU. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
http://screening.iarc.fr/atlasglossdef.php?lang=4&key=DIU&img
http://screening.iarc.fr/atlasglossdef.php?lang=4&key=DIU&img
 17 
Alterações induzidas por radiação 
 
➢ Esfregaço de uma paciente tratada com radioterapia devido a um câncer do 
canal anal: macrocitose, macronucleose e vacúolos citoplasmáticos.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.