A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
202 pág.
livro

Pré-visualização | Página 40 de 44

e formaliza a abertura do mercado à participação de capital externo, obviamente 
sob as mesmas regras que vigoram para o funcionamento das empresas de capital 
100% nacional. 
TÓPICO 2 | FRETES – SEGUROS – CUSTOS – COMPOSIÇÃO
175
Veto – A lei foi sancionada com um único veto, ao seu Artigo 20, que 
reduzia a base de cálculo do imposto de renda do transportador autônomo, de 
40% para 11,71% do valor bruto recebido pelo mesmo a título de frete, de modo a 
unificar o conceito de remuneração de mão de obra do autônomo, para fins fiscais 
e previdenciários, uma vez que 11,71% é o percentual já utilizado para cálculo da 
contribuição devida ao INSS por aqueles profissionais. Sendo matéria tributária 
ou pela qual se estabelece redução da receita pública, a iniciativa da lei estaria 
restrita ao Executivo, pelo que o veto se afigura plenamente cabível e justificado, 
sem prejuízo dos demais argumentos utilizados pelo Ministério da Fazenda como 
razões do veto. 
FONTE: Disponível em: <http://www.ntcelogistica.org.br/noticias/materia_ completa.
asp?CodNoti=15682>. Acesso em: 28 mar. 20008.
176
 Neste tópico você viu:
l	O processo da logística prevê carga, transporte e descarga no destino, inclusos os 
serviços de terceiros na distribuição final ou destino do material transportado. 
Os agentes envolvidos nas atividades da logística possuem diferente grau 
de especialização: parte utiliza tecnologia avançada; outros, pouca ou quase 
nenhuma tecnologia.
l	No modal rodoviário, vigora a livre concorrência que permite a cada empresa 
praticar seu preço, que por sua vez tem uma margem de negociação mais elevada 
com o cliente.
l	As perdas ou prejuízos ocorridos durante o transporte são cobertos pelo seguro 
do material transportado. A finalidade do seguro é ressarcir as perdas que 
ocorrem durante o trajeto da carga da origem ao destino. O princípio básico do 
seguro é garantir a reposição do material danificado, ao mesmo tempo em que 
não permite que algum participante receba uma indenização superior a que tem 
direito.
l	Os altos custos de transportes estimulam as empresas que se dedicam à 
produção e à distribuição de produtos a implantar novas filiais próximas das 
fontes de matérias-primas para reduzir o custo com transporte. Contudo, os 
custos de transportes nem sempre aumentam na proporção direta da distância, 
o que significa que as tarifas de transportes não são constantes.
l	O custo de transporte é classificado em custo fixo e variável. O custo fixo 
representa o custo que não depende da atividade, ele ocorre sem que a empresa 
transporte algum material. O custo variável é representado pelo custo que 
aumenta conforme o volume de carga transportada. Para uma empresa de 
transporte, a classificação de custos é determinada em relação à distância 
percorrida.
RESUMO DO TÓPICO 2
177
AUTOATIVIDADE
1 Complete as lacunas: 
Uma prática comum que os _______________ adotam é negociar o preço 
do _______________, considerando a _______________ percorrida. Este 
critério implica preços _______________ para rotas_______________ e preços 
_______________ para rotas mais longas. As rotas curtas consomem mais 
_______________ e desta forma elas serão pouco lucrativas para as empresas 
especializadas.
2 Analise a tabela a seguir, relacione as colunas e assinale a alternativa 
CORRETA:
a) ( ) B – C – A.
b) ( ) A – B – C.
c) ( ) C – B – A.
d) ( ) B – A – C.
3 Assinale V, se a sentença for verdadeira, ou F, se for falsa.
( ) Durante o deslocamento de uma carga o material transportado corre risco 
de incêndio, roubo, responsabilidade ambiental e outros tipo de acidente.
( ) O princípio básico do seguro é garantir a reposição do material danificado, 
ao mesmo tempo permitir que algum participante receba uma indenização 
inferior à que tem direito.
( ) O Conselho Nacional de Seguros Privados - CNSP tem a responsabilidade 
de regulamentar e fiscalizar o funcionamento das entidades envolvidas na 
atividade de seguro.
( ) No Brasil, a primeira seguradora surgiu em 1808, com a chegada da família 
real ao país, e que tinha o sugestivo nome “Boa-Fé”.
4 Complete as lacunas e assinale a alternativa CORRETA:
Além dos acidentes envolvendo a ______________, outra grande preocupação 
do ______________ Rodoviário é o risco de roubo. Para esta situação, ele poderá 
contratar o seguro de RCF-DC, garantindo a cobertura dos ______________ 
178
causados na carga transportada pelo roubo mediante a grave ameaça 
ou violência ou pelo desaparecimento por consequência de apropriação 
______________, estelionato, furto simples ou qualificado, extorsão simples ou 
mediante sequestro.
a) ( ) Carga; Agente; lucros; indébita.
b) ( ) Empresa; Policial; prejuízos; à força.
c) ( ) Mercadoria; Transportador; prejuízos; indébita.
d) ( ) Mercadoria; Agente; lucros; indébita.
5 Analise a tabela a seguir e relacione as colunas. Assinale a alternativa 
CORRETA:
a) ( ) B – A – C.
b) ( ) B – C – A.
c) ( ) A – B – C.
d) ( ) C – A – B.
Assista ao vídeo de 
resolução da questão 3
179
TÓPICO 3
CONSOLIDAÇÃO E DESCONSOLIDAÇÃO 
DE CARGAS
UNIDADE 3
1 INTRODUÇÃO
Uma das preocupações dos gestores de empresas na atualidade é o 
gerenciamento da cadeia logística. Esta preocupação está relacionada com o 
crescente uso de serviços dos operadores logísticos e a utilização de tecnologias 
de informação aplicadas à logística. Desta forma, as operações logísticas reduzem 
o ciclo de distribuição dos produtos para manter o nível de serviço oferecido ao 
cliente. 
Agrupar pedidos com características de produto e rota de entrega é o 
desafio que os transportadores enfrentam para atender o mercado. Agrupar 
vários embarques de variados embarcadores para um mesmo destino final ou 
redistribuição, com a finalidade de reduzir a tarifa, é o motivo para que as empresas 
de transporte revitalizem seus negócios.
2 CONSOLIDAÇÃO DE CARGA 
Consolidar cargas é a tarefa de reunir pequenas cargas em uma única carga 
de grande porte. Este agrupamento tem a finalidade alcançar economia de escala 
baseado de volume maior transportado para uma mesma rota de distribuição. A 
consolidação de carga permite a redução do custo de transporte em função do 
melhor uso da frota transportadora. A consolidação de carga, conforme destaca 
Bertaglia (2005), é o processo de agrupar pedidos, considerando as características 
do produto, rota e prazo de entrega.
QUADRO 11 – TIPO DE CONSOLIDAÇÃO
UNIDADE 3 | ARMAZENAGEM E MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS
180
FONTE: Adaptado de: Bertaglia. (2005, p. 197)
Consolidar uma carga significa reduzir o volume de mercadoria a ser 
transportado em quantidades adequadas aos contêineres e pallets. A nova unidade 
de transporte é distinta em formatos e tamanhos como na concepção de utilização. 
De acordo com Ballou (2005), a consolidação de cargas pode ser alcançada de 
quatro maneiras: consolidação do estoque, do veículo, do armazém e temporal.
FONTE: Ballou, 2005, p. 212
Trabalhar com grandes volumes e utilizar veículos de alta capacidade 
de carga é uma prática que os operadores utilizam para reduzir os custos de 
transporte. Uma das medidas para consolidar a carga é aguardar que o embarque 
para uma determinada área se acumule até que o volume de carga seja adequado 
aos veículos de grande capacidade de transporte. Contudo, esta estratégia pode 
afetar negativamente a empresa, pois a espera para formar grandes cargas a serem 
transportadas implica o aumento do prazo de entrega dos produtos.
Hoje, a consolidação de cargas tem componentes que alteraram a estrutura 
dos custos de transportes estabelecidos. Estabelecer uma tarifa de frete implica na 
definição de custos, como: 
l	custo de pessoal habilitado para venda, aceitação e emissão de documentos de 
carga; 
l	custo de controle e administração; 
l	custo de comunicação; 
QUADRO 12 – CONSOLIDAÇÃO DE CARGA
TÓPICO 3 | CONSOLIDAÇÃO E DESCONSOLIDAÇÃO DE CARGAS
181
l	custo de manuseio e preparação de embarque; 
l	custo de taxas e tarifas aeroportuárias; 
l	custo de

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.