A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
202 pág.
livro

Pré-visualização | Página 43 de 44

da cadeia logística. Esta preocupação esta relacionada ao crescente uso de 
serviços dos operadores logísticos e à utilização de tecnologias de informação 
aplicadas à logística.
l	Consolidar cargas é a tarefa de reunir pequenas cargas em uma única carga de 
grande porte. Este agrupamento tem a finalidade alcançar economia de escala 
baseado de volume maior transportado para uma mesma rota de distribuição. 
A consolidação de carga permite a redução do custo de transporte em função do 
melhor uso da frota transportadora. 
l	A consolidação de carga é o processo de agrupar pedidos, considerando as 
características do produto, rota e prazo de entrega. A consolidação pode ser 
executa por cliente, produto ou frete.
l	Trabalhar com grandes volumes e utilizar veículos de alta capacidade de carga 
é uma prática que os operadores utilizam para reduzir os custos de transporte. 
Uma das medidas para consolidar a carga é aguardar que os embarques para 
uma determinada área se acumulem até que o volume de carga seja adequado 
aos veículos de grande capacidade de transporte.
l	Desconsolidar uma carga é o ato de separar, ou seja, desdobrar uma carga 
principal em lotes. Para algumas empresas, a desconsolidação difere da 
despaletização ou desunitização, porque existe a separação física da carga.
l	A unitização pode ser realizada em qualquer unidade de carga. No entanto, a 
mais versátil, e de larga utilização, é o contêiner.
l	Carga consolidada é aquela transportada ao amparo de conhecimento 
internacional de carga emitido por empresa autorizada a consolidar carga.
RESUMO DO TÓPICO 3
190
a) ( ) B – A – C.
b) ( ) A – B – C.
c) ( ) C – B – A.
d) ( ) B – C – A.
2 Assinale V se a sentença for verdadeira ou F se for falsa:
( ) Consolidar uma carga significa aumentar o volume de mercadoria a ser 
transportado em quantidades adequadas aos veículos que transportam 
grandes cargas.
( ) Consolidar estoque é criar um estoque dos produtos a partir do qual a 
transportadora é atendida. Isto permite embarques maiores e até cargas 
completas de veículos.
( ) A razão fundamental para armazenar é permitir o transporte de tamanhos 
grandes de embarque sobre distâncias longas e o transporte de tamanhos 
pequenos de embarque sobre distâncias curtas.
( ) A consolidação temporal ocorre quando os pedidos dos clientes são 
atrasados de modo que embarques maiores possam ser feitos, em vez de 
vários embarques pequenos.
AUTOATIVIDADE
1 Analise a tabela a seguir e relacione as colunas. Depois, complete as lacunas:
Agrupar _____________ com características de _____________ e rota de entrega 
é o desafio que os _____________ enfrentam para atender o mercado. Agrupar 
vários _____________ de variados embarcadores para um mesmo _____________ 
final ou redistribuição, com a finalidade de reduzir _____________ ,é o motivo 
para que as empresas de transporte revitalizem seus negócios.
 Analise a tabela a seguir e relacione as colunas:
Assinale a alternativa CORRETA:
191
3 Complete as lacunas e assinale a alternativa CORRETA:
_______________ uma carga é o ato de _______________, ou seja, desdobrar 
uma carga principal em _______________ . Para algumas empresas a 
_______________ difere da despaletização ou desunitização, porque existe a 
_______________ física da carga.
a) ( ) Desconsolidar – separar – lotes – desconsolidação – separação.
b) ( ) Consolidar – separar – lotes – consolidação – separação.
c) ( ) Desconsolidar – juntar – pedidos – desconsolidação – preparação.
d) ( ) Consolidar – juntar – entregas – desconsolidar – amarração.
4 Hoje, a consolidação de cargas tem componentes que alteraram a estrutura 
dos custos de transportes estabelecidos, que definem a tarifa de frete. Analise 
a definição acima e assinale a alternativa que representa os componentes que 
alteram a estrutura de custos.
a) ( ) Custo por quilômetro do veículo transportador; custo da mão de obra 
para carga e descarga; custo da operação dos terminais de embarque.
b) ( ) Custo de seguro; custo de impostos; custo de manuseio da carga.
c) ( ) Custo de remuneração do agente; custo da mão de obra direta; custo de 
embarque.
d) ( ) Custo de controle e administração; Custo de comunicação; Custo de 
manuseio e preparação de embarque.
Assista ao vídeo de 
resolução da questão 4
192
REFERÊNCIAS
AZUA, D. E. R. Transportes e seguros marítimos para o exportador. 2. ed. São 
Paulo: Aduaneiras, 1987.
BALLOU, R. H. Logística empresarial, transporte, administração de materiais e 
distribuição. São Paulo: Atlas, 2005. 
______. Gerenciamento da cadeia de suprimento: planejamento, organização e 
logística empresarial. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.
______. Logística empresarial. São Paulo: Atlas, 1993.
BANZATO, Eduardo et al. Atualidades na armazenagem. São Paulo: IMAM, 
2003.
BANZATO, Eduardo. Warehouse management system WMS: sistema de 
gerenciamento 
da armazenagem. São Paulo: Imam, 1998.
BERTAGLIA, Paulo R. Logística e gerenciamento da cadeia de abastecimento. 
São Paulo: Saraiva, 2005.
DIAS, Marco Aurélio P. Administração de materiais: princípios, conceitos e 
gestão. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2006. 
DIAS, Marco Aurélio P. Administração de materiais: uma abordagem logística. 
4. ed. São Paulo: Atlas, 1993.
DORNIER, L. et al. Logística e operações globais. Rio de Janeiro: Prentice Hall, 
2000.
ERDEI, Guillermo E. Código de barras: desenvolvimento, impressão e controle 
da qualidade. São Paulo: Makron Books, 1994.
GEIPOT. Modelos dos elementos indicativos de risco. Disponível em: <http://
www.geipot.gov.br/LegislacaodeTransportes/Produtos%20Perigosos/
documentos_Mer/74Modelos.htm>. Acesso em: 24 abr. 2008. 
GOMES, S. M. Tráfego: teorias e aplicações. São Paulo: Ed. Makron Books, 2003.
GURGEL, Floriano de Amaral. Administração dos fluxos de materiais e de 
produtos. São Paulo: Atlas, 1996.
GURGEL, Floriano do Amaral. Logística industrial. São Paulo: Atlas, 2000.
193
KEEDI, Samir. Transportes, unitização e seguros internacionais de carga: 
práticas e exercícios. São Paulo: Aduaneiras, 2002.
KEEDI, Samir; MENDONÇA, Paulo C. C. Transportes e seguros no comércio 
exterior. São Paulo: Aduaneiras, 2003.
LIMA, Rachel F. C.. Benchmarking de tarifas e práticas do transporte rodoviário. 
Disponível em: www.centrodelogistica.com.br/new/art_rachel_benchmarking.
pdf. 
MOURA, G. B. Direito de navegação em comércio exterior. São Paulo: 
Aduaneiras, 1991.
MOURA, Reinaldo A. Sistemas e técnicas de movimentação e armazenagem de 
materiais. 4. ed. São Paulo: IMAM, 1998.
MOURA, Reinaldo A.; BANZATO, José Maurício. Embalagem, unitização e 
conteinerização. 2. ed. São Paulo: IMAM, 1997.
MOURA, Reinaldo Aparecido. Embalagem, unitização e conteinerização. 4. ed. 
São Paulo: IMAM, 2003.
______. Equipamentos de movimentação e armazenagem. 5. ed. São Paulo: 
IMAM, 2000.
______. Sistemas e técnicas de movimentação e armazenagem de materiais. São 
Paulo: IMAM, 1998. 
______. Armazenagem: do recebimento à expedição. 3. ed. São Paulo: Iman, 2003.
RODRIGUES, Paulo R. A. Introdução aos sistemas de transportes no Brasil e à 
logística internacional. São Paulo: Aduaneiras, 2007.
SANTOS, Gerson dos. Gestão de almoxarifados. Florianópolis: Pallotti, 2001.
VIANA, João José. Administração de materiais: um enfoque prático. São Paulo: 
Atlas, 2000.
194
ANOTAÇÕES
_ _______________________________________________________________
________________________________________________________________
________________________________________________________________
________________________________________________________________
__ ______________________________________________________________
________________________________________________________________
________________________________________________________________
________________________________________________________________
___ _____________________________________________________________
________________________________________________________________
________________________________________________________________

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.