A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
202 pág.
livro

Pré-visualização | Página 6 de 44

FIGURA 2 – ESTOQUES A GRANEL 
TÓPICO 1 | DIMENSIONAMENTO E ORGANIZAÇÃO DE UM ARMAZÉM DE CARGAS (TERMINAL DE CARGAS)
15
FONTE: Disponível em:< unitec-tm.blogspot.com>. Acesso em: 17 out. 2010.
FIGURA 3 – ARMAZÉNS DE ESTOQUES
•	 Armazéns de estoques a granel: alguns armazéns oferecem estocagem e 
manuseio de produtos a granel, tais como líquidos químicos, soja, milho, trigo, 
arroz, entre outros, petróleo e xaropes líquidos. Também misturam produtos e 
fracionam volumes como parte de seu serviço. Muitas empresas estocam sua 
matéria prima a “granel”, ou seja, em tanques ou recipientes maiores, ganhando 
assim na compra através do LEC – lote econômico de compras, desde que se 
tenha certeza de que o produto (matéria-prima) será utilizado.
Como exemplo, podemos citar uma empresa que fabrica embalagens 
plásticas ou tubos de plástico, onde sua matéria-prima é o polipropileno que pode 
ser comprado e entregue em sacos ou a granel. Sendo que neste caso devido ao 
alto consumo, a empresa compra e estoca a granel, ganhando consideravelmente 
no preço.
FONTE: Disponível em: <sysrastro.com. br >. Acesso em: 17 out. 2010. 
FIGURA 4 – ARMAZÉM COM TEMPERATURA CONTROLADA
UNIDADE 1 ORGANIZAÇÃO DO ARMAZÉM DE CARGA
16
•	 Armazéns com temperatura controlada: estes são armazéns que controlam 
o ambiente da estocagem. A temperatura e a umidade podem ser reguladas. 
Alimentos perecíveis como frutas, legumes e carnes congeladas, assim como 
alguns produtos químicos e medicamentos, requerem este tipo de estocagem.
Estes armazéns se fazem necessários a todos os produtos que já são 
recebidos a uma temperatura abaixo da normal, e que em estoque devem continuar 
na mesma temperatura até a entrega ao consumidor.
Como exemplo, podemos citar os frigoríficos, fábrica de sorvetes, entre 
outros.
Por medida de segurança, é importante que estes armazéns tenham um 
gerador caso tenha uma queda de energia, podendo estragar todos os produtos.
FONTE: Disponível em:< - forum.overbr.com.br>. Acesso em: 17 
out. 2010.
FIGURA 5 – PRODUTOS COM NECESSIDADE DE TEMPERATURA 
CONTROLADA 
TÓPICO 1 | DIMENSIONAMENTO E ORGANIZAÇÃO DE UM ARMAZÉM DE CARGAS (TERMINAL DE CARGAS)
17
FONTE: Disponível em: < eduluz.wordpress.com>. Acesso em: 17 out. 
2010.
•	 Armazéns de utensílios domésticos: a estocagem e o manuseio de utensílios 
domésticos e de móveis são as especialidades destes armazéns. Embora os 
fabricantes de móveis possam usar estes armazéns, os principais usuários são as 
empresas de mudanças. São armazéns também conhecidos como CD – Centro 
de Distribuição.
Sua armazenagem é feita dentro de uma logística, com uso de estantes para 
estocar de forma vertical. Uma boa ventilação e temperatura agradável em dias 
muito quentes.
Um bom sistema de iluminação e segurança em relação a incêndio e roubo.
Um bom espaço para a circulação de pessoas e empilhadeiras.
FONTE: Disponível em: <marko.com.br >. Acesso em: 17 out. 2010. 
FIGURA 6 – TERMÔMETRO
FIGURA 7 – CD – CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO
UNIDADE 1 ORGANIZAÇÃO DO ARMAZÉM DE CARGA
18
•	 Armazéns de mercadorias gerais: estes armazéns, que são o tipo mais comum, 
manuseiam uma larga faixa de mercadoria. Em geral, a mercadoria não requer 
instalações especiais nem manuseio especial. Este armazém trabalha com 
diversos tipos de mercadorias, podendo o local estar equipado para cada tipo 
de produto, onde terá um local refrigerado para mercadorias congeladas, um 
local mais aberto e ventilado para produtos químicos e locais para armazenar 
produtos a granel.
FONTE: Disponível em:<logisticaetransporte.blogspot.com>. Acesso 
em: 17 out. 2010.
•	 Miniarmazéns: são armazéns pequenos que têm o espaço da unidade de 20 a 
200 pés quadrados e são agrupados frequentemente em conglomerados. São 
vistos como um espaço extra e poucos serviços são fornecidos. A localização 
conveniente para os locatários é um atrativo, mas a segurança pode ser um 
problema. Este tipo de armazenagem deve ser compatível com a necessidade de 
atendimento ao meu cliente que trabalha com estoque muito baixo, dependendo 
da reposição imediata do meu estoque.Temos visto que muitas empresas adotam 
o processo “just in time”, onde o seu estoque de matéria-prima é baixo ou até 
zero, sendo que o atendimento (reposição) é feita diariamente ou algumas vezes 
por semana.
FONTE: Disponível em: < correiodabeiraserra.com>. Acesso em: 17 out. 
2010.
FIGURA 8 – MERCADORIA EM ARMAZÉM
FIGURA 9 – MINIARMAZÉM
TÓPICO 1 | DIMENSIONAMENTO E ORGANIZAÇÃO DE UM ARMAZÉM DE CARGAS (TERMINAL DE CARGAS)
19
A realização de uma operação eficiente e efetiva de armazenagem depende 
muito da existência de um bom layout, que determina o grau de acesso ao material, 
os modelos de fluxo de material, os locais de áreas obstruídas, a eficiência da mão 
de obra e a segurança do pessoal e do armazém.
Os tipos de armazéns devem ser projetados e o seu layout deve ser projetado 
conforme o tipo de material que será armazenado e movimentado, o que terá como 
benefício a agilidade dos processos, segurança na movimentação e bom aproveitamento 
de espaço. 
O arranjo físico é a disposição física dos equipamentos, pessoas e materiais, da 
maneira mais adequada ao processo produtivo. 
Assim, o arranjo físico significa a colocação racional dos diversos elementos 
combinados para proporcionar a comercialização dos produtos. Quando se fala 
em arranjo físico, se entende como o planejamento do espaço físico a ser ocupado 
e utilizado.
No armazém, os principais aspectos do layout a serem verificados são os 
seguintes:
QUADRO 1 – ASPECTOS DO LAYOUT
Itens de 
estoque
As mercadorias de maior movimentação (entrada e saída) do 
depósito devem ser sempre armazenadas nas imediações da saída 
ou expedição, a fim de facilitar o manuseio, como entrega para a 
produção ou venda, diminuindo assim a distância percorrida na 
busca do material. O mesmo deve ser feito com os itens de grande 
peso e volume.
Alguns itens podem e devem ser estocados em local externo 
(aberto), por não sofrer nenhum dano em relação à sua qualidade 
ficando expostos ao sol, chuva ou vento. Como por exemplo: aço, 
alumínio, tubos plásticos, pisos e azulejos cerâmicos, entre outros. 
NOTA
NOTA
UNIDADE 1 ORGANIZAÇÃO DO ARMAZÉM DE CARGA
20
Corredores
Os corredores dentro do depósito deverão facilitar o acesso 
às mercadorias em estoque. Quanto maior a quantidade de 
corredores, maior será a facilidade de acesso e tanto menor o 
espaço disponível para o armazenamento. Armazenamento com 
prateleiras requer um corredor para cada duas filas de prateleiras. 
A largura dos corredores é determinada pelo equipamento 
de manuseio e movimentação dos materiais. A localização dos 
corredores é determinada em função das portas de acesso e da 
arrumação das mercadorias. Os corredores devem ser projetados 
dentro de um layout compatível ao tipo de empilhadeiras 
utilizadas, facilitando assim a circulação/movimentação, bem 
como a segurança tanto dos materiais como das pessoas que 
trabalham no armazém.
 Entre as mercadorias e as paredes do edifício, devem existir 
passagens mínimas de 60 cm, para acesso às instalações de 
combate a incêndio.
Prateleiras 
e estruturas
Quando houver prateleiras e estruturas no depósito, a altura 
máxima deverá considerar o peso dos materiais. O topo das pilhas 
de mercadorias deve se distanciar um metro das luminárias do 
teto ou dos sprinklers (equipamentos fixos de combate a incêndio) 
de teto.
As mercadorias leves devem permanecer na parte superior 
das estruturas. Já as mercadorias mais pesadas devem ser 
armazenadas nas barras inferiores da estrutura. O piso deve ser 
suficientemente resistente para suportar o peso das mercadorias 
estocadas e o trânsito dos equipamentos de movimentação.
Na parte de prateleiras e estruturas para armazenagem, tivemos 
uma grande revolução da logística, fazendo com que possamos 
estocar qualquer tipo de material na vertical, aproveitando melhor 
o espaço do armazém (espaço aéreo), desde

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.