Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
CANCER DE PULMAO

Pré-visualização | Página 2 de 2

opacidade em lobo inferior direito(LID), e foi encaminhado ao HUSM para esclarecimento e manejo de tal lesão. Paciente parou de fumar há cerca de 1 mês. Nega febre, perda ponderal, dor torácica, anorexia, astenia, dispnéia paroxística noturna, edema de membros inferiores, bem como quaisquer alterações intestinais ou urinárias. Nega medicações de uso contínuo.
*
*
Caso Clínico
HSocial: Paciente ex-tabagista , parou de fumar há mais ou menos 1 mês, fumava cerca de 15 palheiros por dia desde os 16 anos até os 53 anos (138 maços/ano). Também esteve exposto em casa ao fumo passivo quando criança, pai era tabagista pesado. Nega etilismo.
HPP: Nega HAS, DM , realizações de cirurgias ou internações hospitalares prévias. Nega medicação de uso contínuo.
HF: Paciente perdeu contato com a família, não sabe relatar sobre história dos pais e irmãos. Filhos saudáveis
H Fisiológica: Desenvolvimento neuropsicomotor adequado, nega infeccções importantes na infância, não soube relatar quanto a vacinação na ionfância.
Exame Físico
BEG, LOC, MUCAA. Sem linfonodomegalia palpável em cadeias cervicais anteriores e posteriores, submandibular, supra e infra-clavicular, axilar e inguinal. Afebril.
Ap. Cv.: BNF, ritmo regular, sem sopros FC:72 bpm
Ap. Rs: MV abolido em 1/3 inferior do hemitórax direiro e macicez à percussão, sem ruídos adventícios. Eupnéico
Abdome: globoso, sem OMG, RHA positivos.
MMII: pulso amplos e simétricos,sem edema.
*
*
Caso Clínico
Há 4 meses realizou :
TC de tórax evidenciando lesão expansiva em LID com impregnação heterogênea pelo contraste, medindo 4,8X4,0 cm, que determina oclusão brônquica e atelectasia de pirâmide basal direita, linfonodomegalias em hilopulmonar direito, sem lenfonodomegalia mediastinal. Além exame sugestivo de enfisema pulmonar do tipo centroacinar.
FIBROBRONCOSCOPIA que demonstrou lesão vegetante, friável e sangrante em brônquio intermediário obstruindo 50% da luz brônquica. Biópsia da lesão demonstrou Ca do tipo não pequenas células, provável Ca escamoso.
Cintilografia óssea normal.
Ecocardiograma sem particularidades.
Espirometria evidenciou capacidade vital forçada no limite e distúrbio ventilatório obstrutivo leve.
TC de crânio normal.
TC de abdome superior, lesão hepática hipodensa de 0,7 cm de diâmetro de provável natureza cística.
*
*
Caso Clínico
Paciente foi internado há cerca de 10 dias , e há 1 semana realizou mediastinoscopia. 
Raio-X de toráx realizado durante a internação evidenciava: 
	- Derrame pleural D;
	- Atelectasia de LID; 
	- Opacidade hilar à D. 
*
*
Bibliografia
Síndrome paraneoplasica representa um conjunto de disturbios ocasionados pelo tumor, não tendo relação com sua presença fisica nem com suas metastases. Estas manifest mtas vzs ocorrem antes da detecção clinica e lab do carc broncog. O Ca de peq cels é o subtipo mais f relacionado com as diversas síndromes.
Página12