Rede de Computadores 06

@redes-de-computadores ESTÁCIO EAD

Pré-visualização

todos os outros segmentos.

Diferentemente dos repetidores, e conforme já estudado na aula3,  uma bridge manipula quadros completos.  Ela “escuta” o tráfego em cada segmento, usando o modo promíscuo. Quando recebe um quadro de um segmento, verifica se o quadro chegou intacto e então encaminha uma cópia do quadro para o outro segmento, se necessário. Com a utilização de uma bridge dois segmentos de LAN se comportam como se fosse uma LAN única. 
  Tipo de configuração de recepção na qual todos os pacotes que trafegam pelo segmento de rede ao qual o receptor está conectado são recebidos pelo mesmo, não recebendo apenas os pacotes endereçados ao próprio. (fonte: Wikipedia)



No exemplo acima, seis computadores estão conectados a um par de segmentos de LAN unidos por uma bridge. As bridges se tornaram mais populares que os repetidores, porque ajudam a isolar problemas. Como já falamos anteriormente, se dois segmentos são conectados por um repertidor e ocorrer um problema de interferência elétrica em um deles, o repetidor propagará a interferência para o outro segmento, diferentemente das bridges que, ao  receber um quadro incorretamente formado, descarta-o, evitando, deste modo, que eventuais problemas em um segmento afete o outro segmento.


Endereçamento Na Camada De Enlace

É um agrupamento de vários domínios de colisão. Os dispositivos da camada 02 (enlace) encaminham para todas as interfaces um pacote de broadcast. Desta forma ,vários segmentos interligados através de dispositivos da camada de enlace fazem parte do mesmo domínio de broadcast. Para segmentar um domínio de broadcast, é necessário um dispositivo da camada 03 (rede), ou seja, um roteador.

No desenho abaixo, temos uma rede interligada com 7 switches e 1 roteador. Pelo que acabamos de estudar, em domínio de colisão e domínio de broadcast, diga quantos domínios de colisão e quantos domínios de broadcast existem neste exemplo?


Resposta: Existem 7 domínios de colisão e 2 domínios de broadcast.

Como os protocolos da camada de enlace têm uma atuação muito ampla, muitas vezes encontra-se o termo “tecnologia“ para se referenciar a tais protocolos.  Existe uma gama relativamente grande de tecnologias (protocolos) e,  nesta aula,as seguintes tecnologias serão abordadas:

Token Ring  Também conhecido como o padrão IEE802.5. Segundo Kurose, em uma rede local com tecnologia token ring, os N nós da LAN estão conectados em um anel por enlaces diretos. A topologia do anel define a ordem de passagem de permissão. Este tipo de rede utilizam um quadro ou “token” (um pequeno pacote com informações específicas) para identificar um determinado computador que temporariamente estará controlando o meio de transmissão, podendo, neste momento transmitir seus dados, enquanto os demais computadores aguardam a liberação do “token”. Quando um nó obtém a permissão e envia um quadro ou “token”, este se propaga ao redor do anel inteiro, criando desta maneira, um canal virtual de transmissão broadcast.
À medida que o quadro se propaga, o nó destino lê esse quadro no meio da transmissão da camada de enlace. O nó que envia o quadro tem a responsabilidade de remover o quadro ou “token” do anel.


Token Bus  Em uma rede local, que utiliza o padrão token bus ou IEEE 802.4, o token bus é um cabo em forma de árvore ou linear, no qual todas as estações estão fisicamente conectadas. Logicamente as estações são organizadas em anel, com cada estação conehecendo o endereço da estação da esquerda e da direita. Quando o anel lógico é inicializado, a estação de maior número pode transmitir o primeiro quadro. Depois disso, ela passa a permissão para o seu vizinho imediato, enviando a ele um quadro de controle especial chamado token. O token se propaga em torno do anel lógico e apenas o protador do token tem a permissão para transmitir quadros. [Vom[????? apenas uma estação por vez detém o token, não há colisões.


Você sabia? O padrão ANSI/IEEE 802.4 é o padrão para redes em barra, com sinalização em banda larga, utilizando a passagem de permissão como método de acesso. Quatro tipos de meios em barra foram especificados para este padrão e diferem, particularmente, pelas formas de sinalização para cada entidade do nível físico.

DQDB  Uma rede DQDB (Barramento Duplo de Fila Distribuída) é uma rede multiacesso distribuída que suporta comunicações bidirecionais, usando um barramento duplo e enfileiramento distribuído. Provê acesso para redes locais ou metropolitanas. Consiste em duas barras unidirecionais, interconectando , ponto a ponto, vários nós. As barras, denominadas A e B, conforme a figura abaixo, suportam a comunicação em direções opostas, oferecendo um caminho full-duplex entre qualquer par de estações. Para transmissão, a barra DQDB é segmentada no tempo, em slots de tamanhos fixos. Cada transmissão deve deve ser feita dentro de um slot.


Atenção: Padrão IEEE 802.6 foi criado devido à necessidade da definição de um padrão para transporte de dados a alta velocidade dentro de uma região metropolitana (MAN) com o objetivo de prover serviços integrados, tais como: texto, voz e vídeo, em uma grande área geográfica.

100VGAnyLan  Também conhecida como IEEE 802.12. Neste tipo de tecnologia, cada estação é conectada a um hub por uma ligação ponto a ponto, segundo a topologia estrela.  Neste caso, o hub não é um simples centro de fiação com repetidores, mas um dispositivo capaz de executar comutação rápida de circuito.  O hub é um controlador central inteligente que gerencia o acesso a rede, através de uma rápida varredura "round robin" de suas requisição de portas de rede, checando requisições de serviços de seus nós. O hub recebe um pacote de dados e o direciona somente para a porta correspondente ao nó destinatário, provendo assim a segurança dos dados.   
Cada hub pode ser configurado para operar no modo normal ou no modo monitor. Portas configuradas para operar no modo normal recebem apenas os pacotes endereçados ao nó correspondente. Portas configuradas para operar no modo monitor recebem todos os pacotes enviados ao hub.  
Um nó pode ser um computador, estação, ou outro dispositivo de rede 100VG-AnyLAN tais como bridges, roteadores, switch, ou hub. Hosts conectados como nós são referenciados como de nível mais baixo, como nível 2 ou nível 3.  


FDDI  A tecnologia FDDI (Interface de Dados Distribuído por Fibra) utiliza o conceito de rede token-ring baseado em fibra óptica. Consistem de uma rede em duplo anel, usando fibra óptica como meio físico de transmissão de dados a uma taxa de  100 Mbps. Segundo Kurose, a rede FDDI  foi projetada para LANs de alcance geográfico maior incluindo as redes de área metropolitana (MAN). Para LANs de grande alcance geográfico (que se espalham por muitos quilômetros), é ineficiente permitir que um quadro se propague de volta ao nó remetente, tão logo tenha passado do nó destino. A rede FDDI faz com que o nó destino remova o quadro do círculo.


ATM  O ATM (Mode de Transferência Assíncrono) é uma tecnologia baseada na transmissão de pequenas unidades de informação de tamanho fixo e formato padronizado, denominadas “células”. As células são transmitidas através de conexões com circuitos virtuais, sendo seu encaminhamento baseado em informação de um cabeçalho, contido em cada uma delas. É capaz de suportar diferentes serviços, para satisfazer aos requisitos exigidos pelos diferentes tipos de tráfego em as altas velocidades de transmissão como, por exemplo: voz, vídeo e dados.

Família Ethernet  Devido à importância desta tecnologia nas redes atuais (a maioria das redes de computadores locais usam esse padrão), ela se tornou uma tecnologia “de facto”.
 
Desde a sua criação, vários padrões ethernet foram sendo desenvolvidos de forma a acompanhar as necessidades do mercado de transmissão de dados cada vez maiores. Hoje, é uma prática comum assistir a um vídeo em seu computador e essa prática só é possível graças a, entre outras coisas, evolução deste padrão de camada de enlace:


Ethernet

Definido pelo padrão IEEE 802.3 e, originalmente, com capacidade

Ainda não temos comentários aqui
Seja o primeiro!