A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Semiologia Pediátrica - Beatriz Almeida

Pré-visualização | Página 1 de 2

1 Beatriz Almeida – Medicina UFCG Turma 78 
Semiologia da infância: 
o Etapas da infância: 
1. Recém-nascido: 0-28 dias de vida 
2. Lactente: 29 dias de vida a 2 anos de idade 
3. Pré-escolar: 2- 7 anos de idade 
4. Escolar: 7- 10 anos de idade 
5. Adolescente: 10-20 anos de idade 
o Avaliar preferencialmente antes que a criança venha 
a chorar: frequência cardíaca e respiratória, ausculta 
cardíaca, tensão das fontanelas, e tensão abdominal 
e pressão arterial 
Avaliação clínica do recém-nascido: 
o Anamnese do recém-nascido (RN) inclui as etapas 
anteriores ao seu nascimento: fatores gestacionais e 
as condições periparto 
o Interrogatório sintomatológico: 
1. Geral: informar-se sobre o sono do RN, se dorme 
bem (especificar quantas horas ao dia - as horas de 
sono diárias diminuem de aproximadamente 16,5h 
de sono/dia na 1ª semana de vida para cerca de 
15,5h de sono/dia ao final do 1º mês de vida), 
questionar se há irritabilidade, prostração ou 
dificuldade para amamentar. 
2. Sistema tegumentar: pápulas, manchas, placas, 
descamações, alterações da cor da pele. 
3. Sistema cardiovascular: dispneia ao amamentar, 
edema, cianose 
4. Sistema respiratório: congestão nasal, coriza, tosse, 
cianose, esforço respiratório, roncos, sibilos. 
5. Sistema gastrintestinal: vômitos, ritmo intestinal, 
características das fezes 
6. Sistema geniturinário: número de micções 
(estimular cuidador a observar quantas fraldas o RN 
molha por dia), características da urina (cor, odor, 
quantidade). 
 No sexo masculino, questionar se o jato urinário 
é forte e se ocorre projeção a longa distância ou 
se é fraco e curto (possibilidade de válvula de 
uretra posterior). 
o Antecedentes do RN e familiares: 
 Gestação: duração da gestação (se o RN foi pré-
termo - < 37 semanas, termo - de 37-42 semanas, 
ou pós-termo - > 42 semanas), se houve 
intercorrências (DM gestacional, infecções) via do 
parto, exames complementares realizados pela 
mãe (sorologias maternas gestacionais para 
toxoplasmose, hepatites B e C, HTLV, HIV I e II, 
citomegalovírus, sífilis, rubéola, doença de Chagas, 
se foi constatada alguma alteração do feto no 
ultrassom gestacional), tipo sanguíneo materno 
ABO-Rh. 
 Recém-nascido: se ocorreu alguma intercorrência 
no parto (aspiração de mecônio, trabalho de parto 
prolongado), qual a condição do RN ao nascimento 
(verificar boletim de Apgar na caderneta de saúde 
da criança, se houve choro logo após o nascimento 
e cianose prolongada), se foram necessárias 
manobras de reanimação neonatal, se foi 
necessário oxigênio, passagem por UTI neonatal. 
 Caso tenha sido necessária, pedir relatório 
detalhado de alta hospitalar da UTI neonatal. 
 Verificar uso de antibióticos, hemoderivados, 
necessidade de VM e por quantos dias. 
 Verificar se houve intercorrências, comorbidades, 
procedimentos médicos. 
 Questionar grupo sanguíneo ABO-Rh do RN, se 
houve icterícia, edema. 
 Questionar peso e estatura e idade gestacional 
ao nascimento. 
 Doenças diagnosticadas até o momento e sobre 
os medicamentos em uso 
 Família: identificar doenças familiares nos parentes 
de 1º e 2º graus (pais, irmãos, avós, tios, primos). 
Questionar sobre casos de síndromes clínicas na 
família e doenças raras ou que sejam frequentes 
entre os familiares 
 Imunizações/vacinação: verificar caderneta de 
saúde da criança. O recém-nascido deve ter 
recebido BCG e 1ª dose da vacina anti-hepatite B 
no 1º dia de vida. 
o Alimentação: 
 Verificar se o RN está em aleitamento materno 
exclusivo (AME), estimulando-o e parabenizando a 
mãe por tal conduta. 
 Enfatizar a importância do AME para o melhor 
desenvolvimento do RN. 
 Caso tenha ocorrido o desmame, questionar o 
motivo. 
 Caso a mãe ainda tenha leite, propor um plano para 
retornar à lactação materna exclusiva. 
 Caso não seja possível, identificar o leite em uso, 
modo de preparação (diluição, cuidados de higiene) 
e oferecimento. 
o Desenvolvimento neuropsicomotor: 
 Até a 4ª semana de vida é esperado que em 
posição prona mantenha atitude fletida, gire a 
cabeça de um lado para o outro. 
 
2 Beatriz Almeida – Medicina UFCG Turma 78 
 Quando suspenso ventralmente, espera-se que a 
cabeça fique pendida → na posição supina, fica 
geralmente fletido, um pouco rígido → pode fixar 
o olhar em faces ou na luz na linha de visão → 
quando vira o corpo, apresenta "olhos de boneca” 
→ tem preferência visual pela face humana. 
 Avaliação do desenvolvimento psicológico: é 
importante observar o estabelecimento da relação 
mãe-filho, que nessa fase pode ser avaliado pela 
maneira de a mãe relacionar-se com o bebê, tal 
como: a mãe fala com a criança em um estilo 
particularmente dirigido (manhês), propondo algo à 
criança e aguarda a sua reação. 
o Exame físico do recém-nascido: 
 O primeiro exame físico do recém-nascido deve 
ser minucioso e é de fundamental importância na 
identificação de malformações e problemas de 
saúde inerentes a esta faixa etária. 
 Podem-se identificar sinais de doenças que 
necessitem de acompanhamento a longo prazo ou 
que determinem intervenções imediatas. 
 Faz parte do exame físico do RN a aferição das 
medidas corporais: comprimento, peso, perímetros 
cefálico e torácico. 
1. Ectoscopia: avaliar a cor da pele (clara, ictérica, 
cianótica), seu turgor, ocorrência de descamação, 
manchas (mongólicas, eritema tóxico), equimoses, 
hematomas e lesões cortocontusas, que podem 
ocorrer no momento do parto. 
 É importante procurar dismorfologias de 
síndromes genéticas: fronte proeminente, micro 
ou macrocrania, alterações no dorso nasal, pregas 
epicânticas, hipertelorismo, orelhas de baixa 
implantação, micrognatia, protrusão da língua, 
pescoço alado. 
 Boca: avaliar os lábios e a conformação do palato 
(em ogiva, fenda palatina, fissura labiopalatal, 
pesquisar se há dentes neonatais (mais comuns 
nas meninas - a maioria dos casos é familiar e 
sem implicações patológicas, mas podem estar 
associados a síndromes genéticas) 
 Anatomia da língua e freio lingual (anquiloglossia 
parcial ou "língua presa”), verificar gengivas. 
 Posição dos mamilos (podem estar afastados na 
linha média) e a posição de inserção do coto 
umbilical no abdome, verificando se este tem 
duas artérias e uma veia. 
 Avaliar genitália 
 Região sacral: fóveas, fossetas, tufos capilares, 
proeminências (mielomeningocele), manchas 
(mongólicas). 
 Avaliar membros, com especial atenção aos 
dedos das mãos e dos pés em busca de 
polidactilias, sindactilias, dedos mais curtos ou mais 
longos que o habitual. 
 Observar palma das mãos em busca de linha 
palmar transversa contínua e formato da planta 
do pé (pé plano). 
 Avaliar posição dos pés em relação aos 
tornozelos (pés tortos congênitos). 
 É também importante verificar se as narinas e a 
região anal estão pérvias, por meio de uma sonda 
fina introduzida delicadamente nestes orifícios em 
busca de atresia de cóanas e imperfuração anal 
 
2. Aparelho cardiovascular: ausculta atenciosa de todo 
o tórax. 
 Observar visualmente o ictus cordis e palpá-lo 
para identificação de frêmitos de origem cardíaca. 
Sua posição varia de acordo com a faixa etária, 
localizando-se lateralmente à linha hemiclavicular 
esquerda no 3º espaço intercostal esquerdo no 
recém-nascido. 
 Contar a frequência cardíaca e avaliar o ritmo. 
 Lembrar que a arritmia sinusal ou respiratória é 
normal na infância e que nesta situação, a 
frequência cardíaca aumenta com a inspiração 
e diminui na expiração. 
 Palpar os pulsos femorais: observar se ocorrem 
sopros cardíacos e avaliar sua intensidade. 
 No exame físico do aparelho cardiovascular, é 
importante estar atento também a cianoses, 
edemas, tamanho do fígado e reflexos 
hepatojugulares. 
 
3 Beatriz Almeida – Medicina UFCG Turma 78 
 
3. Aparelho respiratório: durante a inspeção, procurar 
sinais de esforço respiratório (tiragem subcostal, 
intercostal e fúrcula, cianose, batimento

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.