Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Órgãos e células do sistema imune

Pré-visualização | Página 2 de 2

é referido como citotoxicidade mediada por células dependente de anticorpos (CDA). Nesse processo:
· A célula-alvo deve primeiramente ser revestida com anticorpos deixando suas regiões Fc livres.
· Além das células NK, uma serie de células incluindo os macrófagos, neutrófilos e eosinófilos que possuem receptores para as regiões Fc fixam ao parasita. 
· Elas então secretam enzimas líticas e outros fatores que destroem o parasita.
IMUNIDADE HUMORAL
é o processo que envolve as células B. Possui etapas de desenvolvimento clonal que são: 
· células pluripotentes: células precursoras de linhagem B.
· células pré-pré B: apresenta cadeias M não funcionais
· células pré-B: apresenta IgM no citoplasma monomérica (rearranjo dos genes e sua expressão)
· linfócito B imaturo: expressa IgM na superfície; já o maduro apresenta o IgD, na superfície, além de IgM. 
Os linfócitos B interagem com T auxiliares de maneira semelhante a interação macrófago-linfócito T; 
O antígeno é captado pelas células B através das imunoglobulinas de superfície, seus receptores específicos e, no contexto das moléculas de classe II do CHP é apresentado aos linfócitos T auxiliares. Assim, as células T ativadas interagem com os linfócitos B via ponte antigênica, na qual uma porção de antígeno está ligada a imunoglobulina de superfície das células B e outra porção ao receptor dos linfócitos T que ao mesmo tempo se liga com a molécula de classe II.
Os linfócitos Th2 liberam fatores do meio envolvidos na estimulação dos linfócitos B. são eles: BCGF ou IL-4 (B cell grow fator), e BCDF ou IL5 (B cell differentiation fator). Esses fatores causam a progressão das células B1para formar B2 e B3, as quais diferenciam-se em células plasmáticas ou plasmócitos produtores de anticorpos.
Os plasmócitos são células terminais, não se diferenciam mais, secretam apenas uma classe de imunoglobulina idêntica ao linfócito precursor. Cada plasmócito vive apenas alguns dias, mas pode produzir cerca de 2,000 moléculas de anticorpo por segundo.
Muitas células B em proliferação diferenciam-se em plasmócitos, porem algumas retornam a morfologia de pequeno linfócito e tornam-se células de memória, essas células ficam adormecidas por longo tempo, mas são capazes de ser ativadas rapidamente quando expostas ao antígeno. A maioria expressa IgG como imunoglobulina de superfície, e isso faz com que numa segunda exposição ao antígeno, sejam originados plasmócitos secretores de IgG; as células B de memória produzem linfocinas que aumentam a produção de anticorpos pelas células B de memória.
Antígenos que podem estimular as células B diretamente sem ajuda das células T são chamados de timo independentes, que são eles: moléculas grandes e poliméricas. Que são constituídas por determinantes antigênicos idênticos dispostos em sequência linear repetitiva, ex: polissacarídeos de capsulas bacterianas. A memória a esses antígenos é pouco desenvolvida ou ausente.
Cinética de produção de anticorpos
-Resposta primaria de produção de anticorpos:
FASE LAG: fase entre a inoculação de antígeno e o aparecimento de níveis detectáveis de anticorpos séricos. Esse período é variável entre 3 dias a várias semanas dependendo do tipo e dose do antígeno, da via de inoculação e das características do indivíduo que recebeu o antígeno como também da sensibilidade do método utilizado. É a fase em que a concentração de anticorpo aumenta exponencialmente;
FASE PLATÔ OU REPOUSO: fase em que não há aumento, nem diminuição do nível sérico de anticorpo.
FASE DE DECLINIO: fase em que a degradação de anticorpo é maior que a síntese.
-Resposta secundária ou anamnéstica:
Difere da primária porque necessita de menor dose de antígeno, a LAG é menor, LOG é mais acentuada, pois há produção mais rápida de anticorpo, o PLATÔ é alcançado mais rápido e mais longo, o DECLINIO é mais lento e persistente;
Página12