A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
biomecanica

Pré-visualização | Página 1 de 1

Planejamento minimizar esses movimentos neutralizar forças; 
A PPR deve respeitar: Retenção, suporte, estabilidade. 
 É a resistência as forças que atuam sobre a prótese no 
sentido cervico-oclusal, durante a mastigação de alimentos pegajosos. 
Fisiológica, física (adaptação do acrílico), mecânica (direta, indireta, 
friccional) 
 É a resistência das forças que atuam sobre uma prótese no 
sentido ocluso-cervical, durante a mastigação de alimentos duros. Os 
apoios, encaixes de precisão e semi-precisão, superfície basal da sela, 
conectores maiores para a maxila. 
 é uma alavanca correspondente ao ponto de apoio. 
Na PPR é uma linha imaginária que une os elementos de suporte de 
uma PPR, ou seja, um eixo em torno do qual a prótese pode rotacionar 
quando em função ficando estável. 
 é a resistência as forças que atuam sobre uma prótese 
no sentido horizontal, decorrentes de contatos oclusais em planos 
inclinados. 
Depende da distância e mobilidade dos dentes, quantidade e tipo de 
reabsorção, grau de resiliência fribromucosa, relação interoclual 
A estabilidade é obtida: porção rígida dos grampos flancos, rebordos, 
oclusão equilibrada. 
Uma vez que as próteses parciais removíveis não são ligadas 
rigidamente aos dentes, o controle do movimento potencial sob cargas 
funcionais é crítico para se promover a melhor chance de estabilidade 
e conforto ao paciente. A consequência do movimento das próteses 
sob as cargas funcionais é a aplicação de tensão ao dente e aos tecidos 
que estão em contato com a prótese. É importante que esta tensão 
não exceda o nível de tolerância fisiológica, que é o alcance máximo de 
estímulos mecânicos que o sistema pode resistir sem rompimento ou 
consequências traumáticas. 
As estruturas de suporte das próteses parciais removíveis (dentes 
pilares e rebordos residuais) são coisas vivas que es tão sujeitas a 
forças. A capacidade das estruturas de suporte de resistirem às 
forças depende de (1) que força típica necessita de resistência, (2) 
qual a duração e a intensidade dessas forças, (3) qual a capacidade que 
o dente e/ou a mucosa tem de resistir a essas forças, (4) como a 
utilização do material influencia esta resistência dente-tecido e (5) se 
a resistência se altera com o tempo. A consideração das forças 
inerentes à cavidade bucal é crítica. Isto inclui direção, duração, 
frequência e magnitude da força. Em uma análise final, é o osso que 
oferece o suporte para a prótese removível (p. ex., o osso alveolar 
por meio do ligamento periodontal e o rebordo residual através do 
tecido mole de cobertura). Se as forças potencialmente destrutivas 
puderem ser minimizadas, então as tolerâncias fisiológicas das 
estruturas de suporte não são excedidas e não vão ocorrer alterações 
patológicas. 
Fatores que influenciam os movimentos da PPR: 
1. Suporte dentário Valor quantitativo: 
 Número de dentes suporte 
 Distribuição ao longo do arco 
Números de dentes remanescente: O prognóstico de uma 
PPR será mais favorável quanto maior for o número de 
dentes presentes no arco parcialmente desdentado. - 
Distribuição ao longo do arco: Puntiforme / Linear ou 
Superfície 
2. Tipo de rebordo residual 
3. Adaptação da base da prótese ao rebordo 
4. Extensão da base da prótese 
5. Desenho da estrutura metálica 
6. Total de força aplicada 
Número de dentes presentes - Largura da superfície oclusal 
- Ajuste oclusal - Eficiência mastigatória 
 
(Protese parcial removivel) 
Layara Aquino 
A PPR deve respeitar alguns critérios 
básicos; planejamento, orientação 
adequada ao paciente. 
MOVIMENTOS DA PPR: Rotação – ao 
redor do seu eixo; Translação - 
deslizamento