A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
SISTEMA DE COBRANÇA DA TAXA DA ÁGUA

Pré-visualização | Página 1 de 1

Sistema de cobrança da taxa da água 
 
 
A cobrança pelo fornecimento da água, além de permitir que o Estado cubra parte das 
despesas com a manutenção do sistema, deve ser um instrumento de administração do 
consumo. As principais modalidades de cobrança são: 
 
• Torneira livre – Taxa única, estipulada arbitrariamente. Este sistema é o que propicia 
maior desperdício de consumo. É geralmente utilizado em condomínios, em que o valor 
da conta d’água é rateado pelos moradores, proporcionalmente à taxa de condomínio; 
 
• Pena D’água – O valor da taxa é estipulado proporcionalmente ao número de habitantes 
ou à área construída ou ainda ao número de pontos de consumo; 
 
• Água medida – O consumo é medido por um hidrômetro e o consumidor paga pela 
quantidade consumida acima de um mínimo estipulado. Embora seja o que melhor evita 
o desperdício, tem um alto custo inicial, podendo chegar a até 50 % do custo de 
implantação. Seu uso deve, portanto, ser criteriosamente estudado. 
 
Calcula-se que numa cidade grande como o Rio de Janeiro, onde a maior parte da rede de 
abastecimento é muito antiga, as perdas ao longo do caminho entre a Estação de Tratamento e o 
domicílio podem chegar a 30 % do total de água tratada. Nos domicílios, o desperdício continua, 
seja pela utilização inadequada e descuidada, seja por instalações defeituosas: uma torneira mal 
ajustada que pingue lentamente desperdiça, em um mês, cerca de 4 a 6 metros cúbicos de água (1 
metro cúbico é igual a 1 000 L). Se a torneira deixa correr um fino filete contínuo, o desperdício vai 
de 20 a 30 metros cúbicos ou mais.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.