Apostila 20122
84 pág.

Apostila 20122

Disciplina:Psicologia Aplicada Ao Direito1.812 materiais32.913 seguidores
Pré-visualização21 páginas
1

CIÊNCIAS JURÍDICAS

PSICOLOGIA APLICADA AO DIREITO (CCJ 0004)

PROFESSOR: ADELMO SENRA GOMES

(adelmoprof@bol.com.br)

TÓPICOS A SEREM ABORDADOS EM SALA DE AULA
(edireito2012@bol.com.br – senha: psidir12)

2012.2

2

Plano de Ensino - Temas a serem abordados

Noções de epistemologia: o que é conhecimento; o que é ciência; a  científica – objetos de estudo

e pesquisa e métodos de pesquisa; a pluralidade da pesquisa psicológica.

Hans Kelsen – Direito e Ciências Jurídicas; as relações inter e multidisciplinares entre a , as

ciências jurídicas e o direito.

As práticas psicológicas e suas aplicações no contexto jurídico; principais atividades do  no

judiciário (assessoria, orientação e acompanhamento dos jurisdicionados, pesquisador, perito

psicológico); as principais áreas de atuação da  no campo jurídico (Penal, Civil, Família, Sistema

Penitenciário, Justiça da Infância e da Juventude, Trabalho e Idoso).

Ética e Moral; a ética profissional do profissional de .

Personalidade. Principais conceitos (traços, estados, temperamento e caráter);  e genética. A teoria

do desenvolvimento psicossocial, de Erik Erikson – Teoria epigenética. Comportamento antissocial,

agressividade e violência; tipos de violência (física,  ou moral, sexual, privação ou negligência,

estrutural); comportamento agressivo e a lei (estado de necessidade e legítima defesa). Violência e

aprendizagem social (a teoria de Albert Bandura); a teoria da FrustruaçãoAgressão (de John

Dollard a Leonard Berkowitz). O desenvolvimento do comportamento antissocial; maldade na

infância e na adolescência: “bullying” e “cyberbullying”.

Lei Jurídica & Lei Simbólica; o gozo pela violação da lei: o traço perverso.

Personalidade e doutrina jurídica; o dano psicológico.

O processo de avaliação psicológica no judiciário; testes psicológicos; perícia psicológica;

documentos exarados pelos  jurídicos (atestados, relatórios – ou laudos -, parecer, declarações).

A família. Família e sociedade;  e família; a família no ocidente (o surgimento da família

nuclear); as famílias pós-modernas (monoparental e homoafetiva); critérios para o estabelecimento

da paternidade no direito brasileiro (legal, biológico e o socioafetivo). Alienação parental e

síndrome de alienação parental (SAP); guarda compartilhada.

A questão de gênero. Diferença entre sexo, gênero e identificação sexual. O processo de construção

dos papéis de gênero (sexualidade, reprodução, divisão sexual do trabalho, espaço público e

reconhecimento da cidadania); violência contra mulher como uma questão de gênero; a lei e a

questão de gênero.

Sociedade, grupos, organizações e instituições sociais; grupos sociais; principais características dos

grupos sociais; tipos de grupos sociais (primários e secundários); posição social, papel social e

desempenho de papel. Instituições sociais; tipos de instituições sociais (leis, normas e pautas); o

indivíduo e os processos de institucionalização e de desinstitucionalização. Organizações sociais;

relações entre as instituições e as organizações sociais. Análise do poder das instituições sociais -

Michel Foucault e o poder disciplinar.

Exclusão social. Principais teorias: O individualismo e o liberalismo; o darwinismo social de

Herbert Spencer; o pensamento da Karl Marx. Exclusão social – articulações possíveis (econômica,

social, cultural, patológica, comportamentos autodestrutivos). O conformismo como estratégia de

dominação.

Aspectos  das relações humanas. Pressão social e mudança de julgamentos; conformismo social.

O que são atitudes? Mudança de atitude. Atitude negativa: preconceito; discriminação; estereótipos;

“pessoas invisíveis”.

Justiça restaurativa e mediação de conflitos; justiça restaurativa e legislação brasileira. O que é

conflito? Métodos tradicionais e alternativos de solução de conflitos: julgamento, arbitragem,

conciliação, mediação. O método da negociação.

3

CALENDÁRIO ACADÊMICO 2012.2 (1º PERÍODO)

 DIAS DA SEMANA
2ª FEIRA 3ª FEIRA 4ª FEIRA 5ª FEIRA 6ª FEIRA

AGO

06 (Início) 07 08 09 10

13 14 15 16 17

20 21 22 23 24

27 28 29 30 31

SET

03 04 05 06 07 (Indep.)

10 11 12 13 14

17 18 19 20 21

24 25 26 27 28

OUT

01 02 03 (AV1) 04 (AV1) 05 (AV1)

08(AV1) 09 (AV1) 10 11 12 (Nª Srª)

15 (Mestre) 16 17 18 19

22 23 24 25 26

29 30 31

NOV

 01 02 (Finad)

05 06 07 08 09

12 13 14 15 (Repúb.) 16

19 20 (Zumbi) 21 22 23

26 27 28 (AV2) 29 (AV2) 30 (AV2)

DEZ

03 (AV2) 04 (AV2) 05 (Vista) 06 (Vista) 07 (Vista)

10 (Vista) 11(Vista) 12 (AV3) 13 (AV3) 14 (AV3)

17 (AV3) 18 (AV3) 19 (Fim)

Humor...

Think about...

4

NOÇÕES DE EPISTEMOLOGIA
1

O QUE É O CONHECIMENTO?

Em sentido amplo um conhecimento caracteriza um sistema
2

de informações. Por seu turno, uma informação refere-se a

uma representação ideativa (mental) de algo real ou de algo

racional. O conhecimento, portanto, é uma tentativa humana,

racional e estruturada, de apreensão, de apropriação, pelo

pensamento (sujeito) de algum objeto (real ou racional).

“Atualmente recebemos uma enxurrada de “informações” que não
nos propiciam construir conhecimentos...” Por quê?

REFLEXÃO

“VENDE-SE CONHECIMENTO”

Vivemos atualmente num mundo em que quase tudo (pessoas,

relações interpessoais, a natureza etc) é transformado em

“coisa”, reificado; transformado em mercadoria cobiçável,
comprável. Somos alienados pelas diversas

mídias de massa a valores mercantilistas, a

um “ethos” estúpido e egoísta do tipo: “o
dinheiro compra tudo”; “não existem limites para quem pode pagar”; “o sentido
da vida é ter ou parecer que tem, e não ser”; “o prazer, seja ele qual for, deve ser
imediato e ilimitado”; “o certo é pensar e agir de forma individualista e não

coletivamente”; “liberdade absoluta: sem responsabilidade e
sem limites”; “se desejo tenho direito e posso” etc. Neste sentido, então, é
imprescindível perceber que o conhecimento não é uma coisa, não é uma

mercadoria que se compra, que se possa adquirir em “suaves prestações
mensais”... O conhecimento é fruto de um esforço pessoal, de uma atitude
honesta, dedicada e disciplinada de construção, de busca e

de crescimento. Lembre-se: vivemos a era do

conhecimento e esse mesmo mercado que nos aliena de tal forma a nos

transformar/deformar em “adoradores(as) ávidos(as) de coisas, de fetiches
compráveis irá também, sinicamente, cobrar-nos conhecimentos (e não apenas

diplomas - coisas) quando de nossas tentativas de nele nos inserir. Pense nisso...

“Se Deus criou as pessoas para amar, e as coisas para cuidar, por que amamos as coisas e
usamos as pessoas?” (Bob Marley - 1945-1981)

1
 Epistemologia, Teoria do Conhecimento ou Filosofia da Ciência: Conjunto de conhecimentos que têm por objeto o

conhecimento científico, visando a explicar os seus condicionamentos (sejam eles técnicos, históricos, ou sociais, sejam

lógicos, matemáticos, ou linguísticos), sistematizar as suas relações, esclarecer os seus vínculos, e avaliar os seus

resultados e aplicações. (AURÉLIO)
2 Um sistema é um “conjunto de elementos, materiais ou ideais, entre os quais se possa encontrar ou definir alguma
relação; disposição das partes ou dos elementos de um todo, coordenados entre si, e que funcionam como estrutura

organizada.”(AURÉLIO)

5

O QUE É CIÊNCIA?

“Em sentido lato, ciência (do latim “scientia”, traduzido por
"conhecimento") refere-se a qualquer conhecimento ou prática

sistemáticos. Em sentido stricto, ciência refere-se a um sistema de

adquirir conhecimentos baseado no método científico
3
, assim

como ao corpo organizado de conhecimentos conseguido através

desse método. [...] A ciência é o esforço para descobrir e

aumentar o conhecimento humano de como