Apostila 20122
84 pág.

Apostila 20122

Disciplina:Psicologia Aplicada Ao Direito1.813 materiais32.916 seguidores
Pré-visualização21 páginas
ser um instrumento contra potenciais

processos de alienação parental, quando das dissoluções conjugais? Justifique:

FIXAÇÃO - Caderno de Psicologia – Introdução à Psicologia – p. 19 a 20 e,

Psicologia Social – p. 200, 205, 281 e 282)

53

A QUESTÃO DE GÊNERO

CONCEITOS

1º) SEXO - refere-se às características biológicas de homens e

mulheres, ou seja, às características específicas dos aparelhos

reprodutores femininos e masculinos, ao seu funcionamento e aos

caracteres sexuais secundários decorrentes dos hormônios.

2º) GÊNERO - refere-se às relações sociais desiguais de poder entre

homens e mulheres que são o resultado de uma construção social do

papel do homem e da mulher a partir das diferenças sexuais.

3º) IDENTIFICAÇÃO SEXUAL – a partir do referencial psicanalítico
tal conceito se referiria à constituição do desejo sexual de um indivíduo.

Ou seja, ao gênero sexual objeto do gozo sexual. Neste sentido, um

indivíduo pode desejar o seu mesmo gênero (homo), o gênero oposto

(hetero) ou ambos os gêneros (bi).

REFLEXÃO

O papel do homem e da mulher é constituído

histórica e culturalmente; portanto, muda

conforme a sociedade e o tempo.

54

O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DOS PAPÉIS DE GÊNERO

Mulheres

Desde meninas as mulheres são incentivadas a serem

passivas, sensíveis, frágeis, dependentes e todos os

brinquedos e jogos infantis reforçam o seu papel de mãe,

dona de casa, e consequentemente responsável por todas as

tarefas relacionadas ao cuidado dos filhos e da casa. Ou

seja, as meninas brincam de boneca, de casinha, de fazer

comida, de limpar a casa, tudo isto dentro do lar.

Homens

Os meninos brincam em espaços abertos, na rua. Eles jogam

bola, brincam de carrinho, de guerra etc. Ou seja, desde

pequenos eles se dão conta que

pertencem ao grupo que tem poder. Até

nos jogos os meninos comandam.

Ninguém os manda arrumar a cama, ou

lavar a louça, eles são incentivados a

serem fortes, independentes, valentes.

INFORMAÇÃO

As relações de gênero são, portanto, produto de um processo pedagógico que se inicia

no nascimento e continua ao longo de toda a vida, reforçando a desigualdade

existente entre homens e mulheres, principalmente em torno de quatro eixos:

1º) Sexualidade

Mulheres

A sexualidade na mulher tem sido relacionada com a

reprodução, ou seja, para a mulher o centro da sexualidade é a

reprodução e não o prazer. A sexualidade reduzida à

genitalidade se apresenta para as mulheres como algo

vergonhoso, proibido.

De um modo geral podemos dizer

que as mulheres desde que nascem

são educadas para serem mães, para

cuidar dos outros, para “dar prazer ao outro”. A sua
sexualidade é negada, reprimida e temida.

55

VOCÊ SABIA?

A mutilação sexual consiste na extração do clitóris. É uma

prática comum em certas comunidades, geralmente para inibir o

prazer sexual. A mutilação pode ser permanente ou temporária.

Homens

Os homens, ao contrário das mulheres, recebem mensagens e

são preparados para viver o prazer da sexualidade através do seu

corpo, já que socialmente o exercício da sexualidade no homem

é sinal de masculinidade.

2º) Reprodução

A mulher pode gerar um filho, e isto que em si é uma fonte de

poder tem sido controlado e tem determinado outros papéis

diminuindo as possibilidades e limitando a vida das mulheres em

outros âmbitos, como por exemplo, no campo do trabalho.

3º) Divisão sexual do trabalho

Provavelmente pelo fato biológico que a mulher é

quem engravida e dá de mamar, tem sido atribuído

a ela a totalidade do trabalho reprodutivo. Às

mulheres, portanto, se atribui o ficar em casa,

cuidar dos filhos e realizar o trabalho doméstico,

desvalorizado pela sociedade e que deixava as

mulheres “donas de casas” limitadas ao mundo do
lar; com menos possibilidade de educação, menos acesso à informação, menos acesso

à formação profissional etc.

4º) Espaço público e reconhecimento da cidadania

Embora nos dias de hoje, uma grande proporção de

mulheres trabalhe e muitas delas sejam a principal fonte

para o sustento da família, isto não tem significado um

maior desenvolvimento e reconhecimento de sua cidadania.

Em todos os países da América Latina, incluindo o Brasil,

os dados mostram que existe uma grande diferença entre

homens e mulheres e que a falta de equidade prejudica as mulheres. É muito difícil

56

ter mulheres em altos cargos, como diretoras de empresas, de hospitais, reitoras de

universidades etc. Em geral, é muito difícil ter mulheres nos lugares de tomada de

decisões. Isto se explica pelo processo de socialização que ao determinar o trabalho

reprodutivo (casa e filhos) para a mulher, cria condições que a marginalizam do

espaço público, e pelo contrário, o homem é quem assume o trabalho produtivo e as

decisões da sociedade.

REFLEXÃO

As várias jornadas de trabalho da mulher

OS “NOVOS” MALES DAS MULHERES

 O tabagismo e drogas O estresse O infarto

57

FATOS E FOTOS

“Em muitas regiões muçulmanas, onde prevalece a Sharia (lei
islâmica), as mulheres acusadas de adúlteras são apedrejadas

até a morte. Um dos exemplos mais comentados em 2002, e

que foi motivo de campanhas internacionais, é o caso de Amina

Lawal (foto), de 31 anos, que no norte da Nigéria foi

condenada à pena máxima porque engravidou de outro homem,

após a separação do marido.

Em 2003, um tribunal de apelações na mesma região considerou

procedente a apelação, considerando que o outro tribunal havia se

equivocado. Na realidade, a pressão internacional, que transformou

Amina Lawal em um símbolo da luta pelos direitos humanos, com

diversos governos se manifestando contra a sua condenação e

intercedendo junto ao presidente nigeriano, é que fizeram com que

houvesse mudança na sua situação.” (DIAS, 2005, p. 192)

Violência contra mulher como uma questão de gênero

A Lei nº 11.340/06 – Lei Maria da Penha
Acesse: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm

Sra. Maria da Penha Maia

Ficou paraplégica por causa de um tiro dado pelo seu ex-

companheiro, que não satisfeito, ainda tentou matá-la,

posteriormente, eletrocutando-a.

58

CRIMES DE ESTUPRO – ESTADO DO RJ

De 2007 até Maio de 2012

Estupros por regiões do Estado do RJ - De 2007 até Maio de 2012

 Fonte: ISP/SSP/RJ

Os municípios do Estado do RJ onde ocorreram, em 2010, as maiores incidências de

estupro são: Belford Roxo, Nova Iguaçu e São João de Meriti, nesta ordem. Logo em

seguida, os municípios de Itaboraí e Tanguá. Para maiores detalhes faça o download

do Dossiê Mulher, 2011, ISP:
Acesse: http://urutau.proderj.rj.gov.br/isp_imagens/Uploads/DossieMulher2011.pdf

0

1000

2000

3000

4000

5000

6000

0

1000

2000

3000

4000

5000

6000

Capital Baixada Grande Niterói Interior

2007 2008 2009 2010 2011 Até Mai/2012

1376 1461

2338

4529

4871

2432

Total = 17007

59

REFLEXÕES

O homossexualismo como um possível “terceiro gênero” em nossa
sociedade!

Projeto de Lei Complementar nº 122/2006 – “Altera a Lei nº 7.716 de 5 de janeiro de
1989, que define os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor, dá nova

redação ao § 3º do art. 140 do Decreto-Lei nº 2,848, de 7 de dezembro de 1940 –
Código Penal, e ao art. 5º da CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio

de 1943, e dá outras providências.”

Para conhecer esse PLC acesse:
(http://www.naohomofobia.com.br/lei/PROJETO%20DE%20LEI%20plc122-06.pdf)

A lei e a questão de gênero

Código Civil de 1916, revogado em 2002

Art. 36. Os incapazes têm por domicílio o dos seus representantes.

Parágrafo