Prát V_Aulas 1 a 3_Cautelares
14 pág.

Prát V_Aulas 1 a 3_Cautelares

Disciplina:Prática Simulada Iv (Cível)174 materiais854 seguidores
Pré-visualização6 páginas
PRÁTICA SIMULADA V

gustavo.bastos@estacio.br

EMENTA

AV1

Processo cautelar. Petição inicial. Competência. Fundamentação. Liminar. Fumus boni iuris e periculum in mora. Cautelar nominada e inominada. Cautelar preparatória e incidental. Direito Civil. Direito Empresarial. Embargos de terceiro. Ação monitória. Execução de obrigação de fazer. Embargos à execução.

* Estudar processo cautelar	

- A petição inicial cautelar segue a mesma estrutura da PI do art. 282?
 Ler art. 801 (traz a receita de bolo da PI cautelar).
- Competência: Será que vou aplicar novamente os arts. 94, 95, 100?
- Liminar: Existe liminar na cautelar, tendo em vista que a cautelar já é uma medida de urgência? Sim, existe e sua previsão legal é o art. 804. Usa-se muito na prática. O profº não se lembra de já ter feito uma cautelar sem que tivesse pedido uma liminar.
- Não posso falar em cautelar se não tiver a presença do FBI e PIN
- Cautelar nominada: Têm nome e são previstas no CPC, a partir do art. 813 e ss. Arresto, sequestro, arrolamento de bens, busca e apreensão.
- Cautelar inominada: Seria impossível que o legislador previsse todas as possibilidades de cautelares. Por isso é que existem as cautelar inominadas. Uma vez presentes os requisitos (FBI e PIN), não quer dizer que o jurisdicionado não tenha direito a propor uma ação cautelar. Poder geral de cautelar do juiz está para as cautelas inominadas
- Cautelar preparatória: É aquela que é proposta antes da ação principal. No Direito Português, chama-se cautelar antecedente.
- Cautelar incidental: É aquela que é proposta já no curso do processo principal
- Embargos de terceiro: 3º que não faz parte da rj processual e que pretende proteger interesse própria
- Ação monitória: Não tem mais eficácia de título executivo. Tem que ajuizar ação de cobrança? Não, porque existe uma ação intermediária, que é a ação monitória
Errado falar que o cheque está prescrito; diz-se que o cheque perdeu sua exigibilidade
- Embargos à execução:

AV2

Recursos. Juízo de admissibilidade e de mérito. Efeitos. Recursos em espécie. Apelação. Cabimento. Estrutura. Agravo de instrumento. Recurso inominado

- Só chego ao juízo de mérito se eu preencher todos os requisitos de admissibilidade
- Juízo de mérito: Análise da fundamentação do recurso
- Devolutivo e suspensivo: a princípio, todos os recursos têm efeito devolutivo (porque há uma discussão na doutrina em relação à .....). Agravo de instrumento é um recurso sem efeito suspensivo mas pode se pedir (fundamento: art. c/c 558)
- Recurso inominado: Cabível de uma sentença do JEC
- Apelação, AI, Recurso inominado: Todos compostos de 2 petições

- Há uma discussão sobre a possibilidade de complementação de custas no juizado especial.
O STJ entende que sim (foi decidido de forma liminar, o processo ainda está tramitando). Há possibilidade pois se a lei especial (Lei 9099) é silente, tenho que aplicar subsidiariamente o CPC (para a apelação, há essa possibilidade).

AULAS
- Entregar o caso com doutrina e jurisprudência

COLETÂNEA DE EXERCÍCIOS
2,0 pontos

AULA 1 – DIA 14/02/2012

PROCESSO CAUTELAR (art. 796 e ss, CPC)

1. INTRODUÇÃO
	O Estado presta a tutela jurisdicional através do processo de conhecimento e do processo de execução.
	Sendo que, da data da distribuição da petição inicial até o provimento final (sentença), existe um largo espaço de tempo, durante o qual variações podem ocorrer com as partes, as provas, etc. Por isso, não basta conceder o direito de ação ao jurisdicionado. É preciso proporcionar uma justa solução da lide (= paz social, na opinião de Humberto Theodoro Jr.).

 Processo cautelar: Visa a assegurar PESSOAS, BENS (coisas) e PROVAS
 Ex: Sujeito quer propor ação em face de uma empresa de ônibus, porém, a testemunha do Autor encontra-se muito doente Poderá ser requerida a produção antecipada de prova testemunhal = Esse é o mecanismo para ouvir antecipadamente a testemunha, guardar seu depoimento e, depois, apresentar no futuro processo indenizatório a ser movido.
 Outro exemplo: A entrou com ação em face de B Sentença de procedência do pedido autoral transita em julgado Início da fase do cumprimento de sentença Contudo, B diz a A que não irá pagá-lo e diz que venderá o único bem que ele possui Precisaremos entrar com uma medida no curso da ação indenizatória a fim de garantir que esse bem não seja vendido Cabe ação cautelar de arresto
 Via de regra, A AÇÃO CAUTELAR ESTÁ VINCULADA A UM PROCESSO PRINCIPAL (99% dos casos)
 Processo principal tem natureza SATISFATIVA, enquanto o processo cautelar tem natureza de PREVENÇÃO. Contudo, excepcionalmente, algumas cautelares têm natureza SATISFATIVA, pois o que se pretende com esta já se encerra nela mesma.

2. CLASSIFICAÇÃO DAS MEDIDAS CAUTELARES

I)
a) CAUTELAR NOMINADA ou TÍPICA
- Têm nome e estão expressamente previstas no CPC (a partir do art. 813 e ss). Arresto, sequestro, arrolamento de bens, busca e apreensão.

b) CAUTELAR INOMINADA
- Em algumas situações, o requerente precisa de um provimento cautelar mas nenhuma das medidas típicas serve para o seu caso. Isso não quer dizer que ele, jurisdicionado, ficará desamparado pelo simples fato de não existir previsão legal de uma cautelar que lhe sirva. Por outro lado, seria impossível que o legislador previsse todas as possibilidades de cautelares. Por isso é que existem as cautelares inominadas: uma vez preenchidos os requisitos (FBI e PIN), o jurisdicionado poderá entrar com a cautelar com base no art. 798, CPC (trata do poder geral de cautela do juiz). Poder geral de cautela do juiz está para as cautelas inominadas.

II)
a) CAUTELAR PREPARATÓRIA ou ANTECEDENTE
- É aquela que é proposta antes da ação principal. No Direito Português, chama-se cautelar antecedente.
- Ex: Ação cautelar que eu resolvo ingressar antes mesmo da ação principal indenizatória em face da companhia de ônibus

b) CAUTELAR INCIDENTAL
- É aquela que é proposta no curso do processo principal
- Ex: Ação cautelar de arresto proposta no curso da ação entre A e B

3. COMPETÊNCIA
- Art. 800, CPC

        Art. 800.  As medidas cautelares serão requeridas ao juiz da causa; e, quando preparatórias, ao juiz competente para conhecer da ação principal.

- Se a ação cautelar for INCIDENTAL, a competência para conhecê-la será do juízo na qual tramita a ação principal
- Se a ação cautelar for PREPARATÓRIA, a competência para conhecê-la será do juízo que seria competente para conhecer da ação principal.

COMPETÊNCIA NA AÇÃO CAUTELAR PREPARATÓRIA
Voltando ao exemplo da ação cautelar de produção antecipada de prova testemunhal:
Quem julgará essa ação?
O juízo que seria competente para conhecer da ação indenizatória.
Mas que juízo é esse?
Como a ação é indenizatória decorrente de acidente de trânsito, aplica-se o art. 100 § único, sendo competente o juiz da Vara Cível do foro do domicílio do Autor ou do local de fato.
Art. 100 § único.  Nas ações de reparação do dano sofrido em razão de delito ou acidente de veículos, será competente o foro do domicílio do autor ou do local do fato

Veja que, nas ações cautelares preparatórias, é muito importante saber definir a competência do juízo competente para julgar a ação principal. Reler arts. 94, 95, 100, CPC.

Outro exemplo:
Mulher que pretende a separação de corpos do seu marido em razão da violência cometida por este contra ela Ação cautelar de afastamento do lar (ou ação cautelar de separação de corpos) Qual é a ação principal? O divórcio
Qual o Juízo competente para julgar a ação de separação de corpos?
É o juízo competente para julgar o divórcio
E qual é o juízo competente para julgar o divórcio?
Art. 100, I : É competente o foro (...) da residência da mulher, para a ação de separação dos cônjuges e a conversão desta em divórcio, e para a anulação de casamento
* Obs: O profº entende que aqui a competência é relativa (há uma facultatividade para a Autora: a ação pode ser proposta no domicílio do réu ou no da autora)

COMPETÊNCIA NA AÇÃO CAUTELAR INCIDENTAL
- Obrigatoriamente, o juízo competente será