Sociologia J. - Anotação (6)
18 pág.

Sociologia J. - Anotação (6)

Disciplina:Sociologia Jurídica E Judiciária1.407 materiais13.019 seguidores
Pré-visualização6 páginas
aos problemas sociais: a via previdenciária (seguro social) e a via

assistencial (composta por dois instrumentos de atuação: o sistema de saúde e o sistema de assistência

social).

Quando estuda os valores, princípios, regimes, normas e institutos da seguridade social, portanto, o Direito

Previdenciário examina as relações jurídicas que implementam essas duas vias.

A seguridade social brasileira nada mais é, pois, do que:

"O conjunto de medidas constitucionais de proteção dos direitos individuais e coletivos concernentes à

saúde, à previdência e à assistência social.”

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A

violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do

material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”

www.r2direito.com.br

04

Quando temos presente o conceito jurídico, já estamos posicionados para compreender e interpretar quais

serão os diferentes regimes jurídicos que gravitam em torno de tal núcleo conceitual.

De todo modo, o conceito nada mais é do que o ponto de partida para que o intérprete e o estudioso venham

a melhor identificar o objeto conceituado.

Sendo cada vez maiores as fórmulas de integração das medidas de proteção social, mediante

complementares iniciativas que os setores da saúde, da previdência e da assistência implementam, assim

como de inumeráveis programas levados adiante pelas instituições privadas, já se pode afirmar que a arte de

combinar tais elementos se traduz, a cada passo, em novos campos de conhecimento do objeto posto sob

exame do estudioso.

Destarte, só advento da Constituição de 1988 recebeu a proteção social pátria a sua emancipação.

Doravante, a validade inconteste dos programas de seguridade social, assim como a abrangência do grupo

protegido, tornou o conjunto de direitos sociais, que tais setores implementam, o mais denso e coeso

instrumental de libertação de todas as necessidades, que já fora proclamada como programa pelo

Presidente ROOSEVELT há várias décadas.

A elaboração do conceito jurídico, apto a albergar os múltiplos institutos, regimes e programas de proteção

social implantados em nosso país, é tarefa imprescindível.

Sem ela, o Estado principal executor das tarefas de proteção social se veria autorizado a tudo incluir na conta

das despesas, eximindo-se dos investimentos que lhe cabe fazer com os recursos fiscais dos impostos.

 Cf. o meu: "A Seguridade Social na Constituição de 1988", São Paulo, Ed. Revista dos Tribunais,

1989, p. 34.

Em passado recente questionou-se, com razão, que o dinheiro da previdência social estaria financiando as

obras de saneamento básico de certa cidade. E, por essa zona cinzenta, como verdadeira válvula de escape,

seriam drenados os recursos aptos a satisfazer as necessidades sociais freqüentes da comunidade protegida.

Naquela que nos parece ser a primeira antevisão do conceito de seguridade social, tal como viria a ser

engendrado pelo constituinte de 1988, o saudoso MOACYR VELLOSO CARDOSO DE OLIVEIRA averbava:

"A essa atuação conjunta do Seguro Social e dos Serviços Sociais, inicialmente ainda em termos mais ou

menos indefinidos, mais recentemente por forma mais precisa, vem sendo dado o nome de "SEGURIDADE

SOCIAL. "

Na verdade, a vetusta fórmula do já citado Relatório BEVERIDGE pela primeira vez ganhou estatuto

constitucional no Brasil, passando a integrar o conjunto dos direitos sociais. direitos sociais são direitos

humanos revestidos de pleno grau de eficácia.

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A

violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do

material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”

www.r2direito.com.br

05

A tarefa do Direito Previdenciário resultou, desde então, bastante simplificada porque o seu objetivo último

se acha respaldado pela própria Lei Suprema.

Trata-se, pois, de identificar as necessidades sociais e implementar, em favor do carente, competentes

medidas de seguridade social.

Naturalmente, conforme o proceder jurídico, que este curso cuidará de explicitar, há regime jurídico

específico para cada programa de seguridade social.

De como tal regime jurídico venha a ser observado com os devidos cuidados pode-se dizer que depende o

futuro dos programas e, conseqüentemente, o futuro da comunidade protegida.

Atento a essa gigantesca tarefa e impossibilitado de concretizar, de chofre, todas as medidas, o constituinte

teve o prudente cuidado de organizar um sistema dotado de principiologia ampla que, bem articulada,

configura a base institucional do sistema brasileiro de proteção social.

A nomenclatura jurídica, com supedâneo na linguagem da Norma Fundamental, é farta em identificar essa

espécie normativa, ora denominando tais regras de princípios, como faz o art. 4º da Constituição, ora

preferindo optar por termo mais vago, como faz o art. 194, parágrafo único, ao se referir a objetivos.

MOACYR VELLOSO CARDOSO DE OLIVEIRA, "Previdência Social: doutrina e exposição da

legislação vigente", Rio de Janeiro, Freitas Bastos, p. 14. Esse livro foi publicado em 1987.

Qualquer que seja a terminologia, a força atrativa dos princípios ressalta a evidencia. Deles partem e para

eles convergem a solução de situações que os diversos riscos sociais desencadeiam.

A idéia fundamental, encravada no Título VIII da Constituição, parece ser esta: a regra básica de

interpretação se traduz em objetivo geral (art. 193). E, quais sedimentos basilares do sistema, princípios

abrangentes (art. 194, Parágrafo único) dão acabamento à regra básica. Todo esse esquema normativo

indica ao exegeta o único caminho possível.

É o modelo de seguridade social que se organiza, qual forças dispostas em campo de batalha, para enfrentar

as inumeráveis situações da vida geradoras de necessidade.

Disposto a romper com as próprias estruturas que idealizou e sempre impulsionado para o dever que se pode

sintetizar na regra singela estampada no art. 198, II, que ordena o atendimento integral como seu supremo

objetivo, o esquema normativo constitucional pode ser visto como simples "esboço pobre" de tudo o que

significa a seguridade social.

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A

violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do

material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”

www.r2direito.com.br

06

Naturalmente, como se verá em outro momento deste curso, o objeto do Direito Previdenciário não se esgota

na análise dos princípios constitucionais. Deve albergar a Lei Orgânica da Saúde, o Plano de Benefícios da

Previdência Social, o programa de Proteção à Criança e ao Adolescente Carentes, as medidas jurídicas em

favor dos idosos, o sistema de Proteção ao Desempregado e as ações catalogadas na abrangente Lei

Orgânica da Assistência Social.

Ademais, não se pode descurar o relevante papel que será desempenhado pela jurisprudência, tanto na

esfera administrativa como na judicial, mormente agora em que o acesso à justiça se viu facilitado em

significativa medida.

Em suma, o conceito de seguridade é realidade dinâmica que se vai conformando com a implementação

gradativa das ações, prestações e serviços, assim como mediante a constante institucionalização das

estruturas organizacionais que lhe dão suporte.

Cabe agora o exame dos denominados princípios da seguridade