Sociologia J. - Anotação (6)
18 pág.

Sociologia J. - Anotação (6)

Disciplina:Sociologia Jurídica E Judiciária1.407 materiais13.020 seguidores
Pré-visualização6 páginas
por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A

violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do

material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”

www.r2direito.com.br

§ 4º O financiamento do seguro-desemprego receberá uma contribuição adicional da empresa cujo índice

de rotatividade da força de trabalho superar o índice médio de rotatividade do setor, na forma estabelecida

por lei.

Quanto maior o risco, maior a alíquota!

Eis a diretriz constitucional que deve se concretizar em cada contribuição do empregador, a fim de tornar

mais conformes com a equidade as bases de financiamento do sistema.

A Norma Mínima, denominação pela qual é conhecida a Convenção n. 102, de 1952, estabelecida

pela Organização Internacional do Trabalho, estabelece o quadro referencial das prestações que

qualquer sistema deve oferecer para poder classificar-se como sendo de seguridade social.

Em atenção ao perfeito funcionamento do plano de proteção constitucional, o sistema não pode subtrair-se

a certas regras.

Segundo a estrutura interna que lhe dá suporte, só pode o plano de proteção buscar suas bases de

financiamento sem se valer de certa construção lógica.

Atentando para a construção lógica do chamado "modus tollens" percebe-se que: dado um condicional [se p

então q], a negação do conseqüente [q] leva a negar também o antecedente [p].

A regra da contrapartida se ajusta a esse esquema lógico, condição sem a qual o sistema não pode funcionar

com equilíbrio.

É que, se o esquema engendrado pelo § 5º, do art. 195 da Constituição, não admite a criação de nenhum

beneficio sem a correspondente fonte de custeio total, por simples aplicação do modo tollens deve carregar

consigo a conseqüência natural de que posta a fonte de custeio, já está criado o beneficio.

Assim agiu o constituinte ao definir, de modo especifico, a fonte de custeio do programa do seguro-

desemprego e do abono anual, que será a massa de recursos do antigo fundo PIS/PASEP, oportunamente

transformado em Fundo de Amparo ao Trabalhador FAT.

Resultou configurada, ainda que de maneira latente, a estrutura de financiamento dos demais programas de

seguridade social.

Deveras, prestigiou as bases de financiamento já existentes (as contribuições de trabalhadores e de

empregadores sobre os salários e a contribuição sobre a receita de concursos de prognósticos) pressupondo

que as mesmas eram até então suficientes para a sustentação financeira do plano de proteção até então

vigente. E, consciente, de estar redefinindo a proteção social brasileira e implementando a universalidade,

15

"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de dados. A

violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do

material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).”

www.r2direito.com.br

tratou de estabelecer, de pronto, novas bases de financiamento para o sistema.

Considerou, aliás, que essas bases poderiam se revelar insuficientes para a manutenção e expansão da

seguridade social, permitindo que outras fontes, de futuro, e com observância da contrapartida, fossem

constituídas (art. 195, § 4º, da Lei Fundamental).

 Recordando a dinâmica própria da lógica, esclarece o Professor LOURIVAL VILANOVA que” a

norma mesma, é o Direito positivo que institui o relacionamento entre o descritor (hipótese) e o

prescritor (tese). Agora, uma vez posta a relação, uma vez normativamente constituída, a relação-

de-implicação, como relação lógico-formal, obedece às leis lógicas. Assim, se se dá a hipótese,

segue-se a conseqüência; se não se dá a conseqüência, necessariamente não se dá a hipótese ( "se

p, então q, "se não-q, então não-p")." (in "As Estruturas Lógicas e o Sistema do Direito Positivo", São

Paulo, Revista dos Tribunais, 1977, p. 53).

Isto serve para mostrar que a mecânica do financiamento do sistema, bem definida, permitiria o imediato

implemento das prestações, em conformidade com o modelo constitucional da seguridade social.

16