A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Sistemas de Produção Leiteira

Pré-visualização | Página 1 de 2

Objetivos 
 Conhecer os sistemas de produção de leite de ruminantes. 
 Ser capaz de fazer escolha do sistema mais adequado para determinada situação. 
 Interligar aprendizado/ conhecimento para ser capaz de adaptar e aplicar às diferentes 
espécies e raças. 
 Desempenho dos animais existentes 
 Produção total diária 
 Produção média por lactação 
 Práticas de criação e produção utilizadas (tecnologia) 
 Para qualquer sistema 
Quanto mais tecnologia mais intensivo é o sistema 
Bubalinos são animais de dupla aptidão 
 Explorar animais especializados 
 Com um manejo sanitário adequado 
 Ter bom manejo reprodutivo 
 Ter bom manejo nutricional 
 Oferecer condições adequadas de conforto para os animais. 
Bovinos de leite tem muito mais problemas sanitários que de corte, são animais que em função da 
exploração do metabolismo todo muitas vezes acabam deixando outros requisitos de lado e 
acabam surgindo problemas. 
No entanto 
 Grande maioria do leite produzido no brasil é proveniente de sistemas onde: 
 Animais não especializados (bovinos) 
 Pastagens tropicais mal manejada 
 Severa restrição nutricional em períodos de carência alimentar (seca). 
 Suplementação com concentrados - inadequada, tanto quantitativo como 
qualitativamente. 
 Pequena escala de produção, índices zootécnicos medianos e a baixa rentabilidade do 
setor. 
 Sucesso de um sistema de produção 
 
 Extensivo (a pasto) 
 Semiextensivo 
 Semi–intensivo 
 Intensivo 
 Pasto rotacionado 
 Piquete 
 Free stall 
 Loose housing 
 Tie stall 
 Compost barn 
 Predominante onde terras são baratas e pastagens naturais abundantes 
 Baixo investimento em benfeitorias e instalações 
 Baixa mão de obra 
 Animais não especializados 
 Baixa produção de leite e baixa taxa de desfrute 
EF – EI – C + V = PR PR / EI = TD 35 a 55% 
Estoque final (EF), Estoque inicial (EI), Compras (C), Vendas (V), Produção do Rebanho (PR), Taxa 
de desfrute (TD) 
Maioria do leite bovino produzido no Brasil é proveniente de sistemas que exploram vacas não 
especializadas, mantidas em pastagens tropicais mal manejadas, ocorrendo severa restrição 
nutricional destes animais no período da seca. 
 Criação de animais a pasto. 
 Base da alimentação – pastagem nativa (pode ter alguma área melhorada ou cultivada). 
 Instalações simples geralmente só curral/ galpão de ordenha, depósito e casa do retireiro. 
 Perigo de predadores, principalmente para ovinos e caprinos. 
Genética
Nutrição
Sanidade
Reprodução
Instalações
Manejo 
Geral
Bem Estar
Nível 
Tecnológico
 
 Vantagens 
 Baixo investimento 
 Baixo custo de manutenção 
 Baixa mão de obra 
 Água natural e sombreamento 
 Desvantagens 
 Necessidade de grandes áreas para a ocupação dos animais (para ter bom retorno) 
 Quantidade e qualidade da alimentação 
 Sem controle reprodutivo 
 Baixa produtividade 
 
 
 Variação durante o ano na alimentação e produção. 
 Sombreamento natural 
 
 
 
 Animais criados a pasto e recebem o reforço da suplementação concentrado e em épocas 
de seca (com menor crescimento do pasto) de volumosos também - em alguns casos 
durante todo o ano. 
 O alimento é fornecido no estábulo no momento da ordenha. 
 Permite a aplicação de processos tecnológicos na criação (aleitamento artificial, 
inseminação artificial) 
 Instalações relativamente simples. 
 Criação em piquetes, currais, cercados e alojamento. 
 Além do pasto são suplementados 
 Mineral 
 Concentrado 
 Volumoso 
 Instalações relativamente simples 
 Curral/ galpão 
 Sala de ordenha e refrigeração do leite 
 Saleiros, bebedouros (e cochos) nos piquetes 
 Abrigo noturno para ovinos e caprinos. 
 
 Vantagens 
 Melhor controle zootécnico 
 Melhor manejo sanitário 
 Maior produtividade 
 Maior tecnificação 
 Menor risco de predadores 
 Desvantagens 
 Necessidade de mais instalações 
 Mais mão de obra 
 Maior custo. 
 Aprisco 
 
 
Abrigos 
 
 
 
Cercador no Pasto 
 
 
 
 
 Predominante onde terra é cara. 
 Alto investimento em benfeitorias e instalações. 
 Alta mão de obra 
 Animais especializados 
 Alta produtividade 
 Profissionais especializados 
 Tecnologia 
 Criação de animais confinados em galpões ou mantidos em pasto de alta qualidade. 
 Alimentadas com 
 Mineral 
 Concentrado 
 Volumoso (conforme sistema e época do ano pode ser só a pastagem de alta qualidade) 
 Dieta bem balanceada e nutritiva. 
 Animais de alta produção de leite. 
 
 Vantagens 
 Maior produtividade 
 Menor mortalidade 
 Controle zootécnico, sanitário e reprodutivo 
 Alguns sistemas animais protegidos das variações climáticas 
 Desvantagens 
 Alto custo de implantação 
 Valor imobilizado 
 Mão de obra especializada 
 
 Sistema intensivo a pasto – criados a pasto com forrageiras de alta capacidade de suporte, 
com suplementação volumosa na época de menor crescimento do pasto e, em alguns 
casos, durante o ano todo – bastante usado para bubalinos e bovinos. 
 Sistema intensivo em confinamento – animais mantidos confinados e alimentados no cocho 
com forragens conservadas, como silagens e fenos - bastante usado em bovinos, ovinos e 
caprinos. 
 A pasto ou livre 
 Pasto rotacionado 
 Strip grazing 
 Piquete 
 Confinado 
 Free stall 
 Loose housing 
 Tie stall 
 Compost barn 
 
 Controlar forrageira 
 Cerca elétrica 
 
 
 Pequena e média propriedade 
 Confinamento total 
 Alimentação balanceada 
 Mais presente no sul e sudeste 
 
 
 Os animais ficam soltos dentro de uma área cercada, 
 Parte da área é dividida em baias individuais. Baias são forradas com cama de areia ou 
borracha triturada e servem para o descanso dos animais. 
 Outra parte da instalação é destinada para a alimentação e exercícios (terra ou concreto) 
 
 
 Vantagens 
 Custo operacional econômico 
 Fácil mecanização 
 Animais se exercitam regularmente 
 Menor área de repouso necessária quando comparada com a de repouso coletivo 
 Vacas permanecem mais limpas 
 Alta flexibilidade para organizar diferentes manejos de alimentação, grupos, etc. 
 Desvantagens 
 Custo de construção alto 
 Menor atenção individual 
 Maior competição 
 Vacas mais sujas se houver falha no manejo de limpeza 
 
Estação de alimentação concentrada 
 
 Os animais ficam em estábulos com área de repouso coletivo 
 Piso de terra batida ou concretada, cobertos por uma camada de cama que pode ser de 
palha de trigo, palha de arroz, areia, esterco desidratado, cepilho de madeira e outros 
materiais. 
 Áreas livres para os exercícios 
 Áreas cobertas para se protegerem do sol forte, chuva e ventos frios. 
 Alimentação e ordenha ocorrem em áreas ou galpões separados. 
 Capital investido por animal alojado é menor que free stall. 
 Vantagens 
 Menor custo de construção 
 Facilidade da detecção de animais no cio 
 Animais livres para expressarem seu comportamento natural (correr, deitar). 
 Desvantagens 
 Problemas com o escoamento de dejetos da cama 
 Pode haver infestação de moscas. 
 Confinamento total durante o período produtivo das vacas leiteiras. 
 Os animais permanecem lado a lado em baias individuais, geralmente presos em correntes 
no pescoço e recebem sua alimentação no cocho. 
 Soltos durante a ordenha, quando aproveitam para caminhar. 
 Mão-de-obra qualificada 
 Grande investimento infraestrutura 
 Vacas devem ter alto potencial genético. 
 Não é mais tão utilizado - bem estar animal. 
 Vantagens 
 Vacas limpas 
 Possibilidade de maior atenção a todos os animais 
 Fácil mecanização 
 Situação de trabalho do funcionário confortável. 
 Desvantagens 
 Dificuldades em prender e soltar os animais 
 Reduz a oportunidade de as vacas exercitarem 
 Muito trabalho se não for manejo mecanizado 
 Alto custo de construção das instalações 
 Maior possibilidade de estresse. 
 
 O estábulo é feito com material de compostagem. 
 Animais soltos e podem caminhar livremente dentro do galpão, 
 As instalações permitem aos animais mais liberdade de movimento e um espaço onde 
podem deitar naturalmente. 
 O material de

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.