CCJ0006-WL-AMMA-14-Decadência
23 pág.

CCJ0006-WL-AMMA-14-Decadência

Disciplina:Direito Civil I5.999 materiais252.106 seguidores
Pré-visualização1 página
DIREITO CIVIL I
SEMANA 7 AULA 14
OS BENS PÚBLICOS
portalsaofrancisco.com.br
portalsaofrancisco.com.br
SEMANA 7 AULA 14
BENS PÚBLICOS
• Consideraram-se públicos os bens do domínio
 nacional pertencentes às pessoas jurídicas de
 direito público interno; particulares, todos os
 outros.
• Se pertencer à pessoa jurídica de direito público
 interno - a União, os Estados, o Distrito Federal,
 os Municípios, os Territórios , as autarquias e as
 demais entidades de caráter público criadas por
 lei - reputa-se o bem público; fora daí, diz-se
 que o bem é particular, seja qual for a pessoa a
 que pertencerem.
SEMANA 7 AULA 14
• Portanto, não há bens públicos fora
 do domínio das pessoas jurídicas de
 direito público interno.
SEMANA 7 AULA 14
• Pelo critério da titularidade, os bens
 públicosclassificam-seembens
 pertencentes à União , aos Estados , ao
 Distrito Federal e aos Municípios. (art. 98,
 1ª parte, e art. 99, ambos do CC.)
• Daí a denominação de bens públicos
 federais, estaduais, distritais federais e
 municipais.
SEMANA 7 AULA 14
Pelo critério da utilização, sublinhe-se que os
bens públicos estão divididos em:
a) bens de uso comum do povo;
b) bens de uso especial; e
c) bens dominicais.
SEMANA 7 AULA 14
• Os bens de uso comum
 do povo são aqueles
 cujouso,por
 característica natural ou
 jurídica, franqueia-se ao
 público, sem qualquer
 discriminação, entre os
 quais se incluem: os
 rios, mares, estradas,
 ruas e praças.
SEMANA 7 AULA 14
• Os bens de uso especial são
 aqueles cujo uso ocorre com
 certasedeterminadas
 restriçõeslegaise
 regulamentares, haja vista que
 se destinam a satisfazer uma
 utilidadeounecessidade
 pública especial, nos quais se
 destacam: edifícios ou terrenos
 destinados a serviço (teatros,
 universidades,museusou
 estabelecimentoda
 administração pública, inclusive
 deautarquia,naviose
 aeronaves de guerra, veículos
 oficiais.
SEMANA 7 AULA 14
• Os bens dominicais
 sãoaquelesque
 constituemo
 patrimôniodas
 pessoas jurídicas de
 direito público, como
 objetodedireito
 pessoal, ou real, de
 cada uma delas
SEMANA 7 AULA 14
Afetação e desafetação
• A afetação é o ato
 jurídico mediante o qual
 se impõe a um bem uma
 destinação, gravando-o
 comcaracterística
 diferente daquela que o
 identificavae
 determinando-lhe outra
 finalidade de acordo com
 a qual será utilizado.
• Emdecorrênciada
 afetação, transmudam-se
 a natureza e a destinação
 do bem, a qual pode
 alcançarbens
 particularesoubens
 públicos (bens de uso
 comum, bens de uso
 especialebens
 dominicais ).
SEMANA 7 AULA 14
• Um bem particular, • Emsituações
 defectado, pode seexcepcionais, desde
 transformar em bemque inspiradas na
 públicodeusovontade da lei, é
 especial, que, a seupossível um bem
 turno, pode, também,públicodeuso
 sertranspassadocomumsofrer
 para bem público dedesafetação,com
 uso comum, a maisalteraçãodesua
 nobre afetação.destinação.
SEMANA 7 AULA 14
Regime jurídico
• Osbenspúblicos
 sujeitam-se a regime
 jurídico especial, sob
 cujosprincípios
 acomodam-seregras
 jurídicasquelhes
 impõem rígida disciplina
 legal que os diferencia
 dos bens particulares.
• Comopertencemà
 Nação, diz-se que os
 bens públicos compõem
 odomíniopúblico,
 tutorado pelo princípio da
 indisponibilidade, que se
 expressanos
 predicativos da:
1 inalienabilidade;
2 imprescritibilidade; e
3 impenhorabilidade.
SEMANA 7 AULA 14
• Trata-se de qualidade jurídica que exprime a
 compreensão natural de que o bem público, não se
 vende, não se dá, não se cede e não se adquire, a
 não ser em condições especiais, previstas em lei.
• Para o bem público e o bem do público, solenizam-se
 e substancializam-se as condições segundo as quais
 se lhe disponibiliza, sempre em condições e em
 situações extraordinárias, que se agigantam em face
 à realidade ordinária que envolve o poder particular
 sobre o bem que compreende o seu domínio.
SEMANA 7 AULA 14
 Inalienabilidade - A inalienabilidade consiste
no predicativo que persegue o bem,
impedindo-lhe a alienação ou a transferência
de domínio, haja vista que, como se lhe
veda o alheamento, não pode ser adquirido.
SEMANA 7 AULA 14
• No entanto, a regra da inalienabilidade não
 se aplica, indiferentemente, a todos os bens
 públicos, porquanto se fraciona em:
• a) vedação absoluta; e
• b) vedação relativa.
SEMANA 7 AULA 14
Há vedação absoluta à alienação quanto aos:
a) bens públicos de uso comum ; e
b) bens públicos de uso especial.
 Há vedação relativa à alienação quanto aos
bens dominicais, haja vista que podem ser
alienados, observadas as exigência da lei.
SEMANA 7 AULA 14
 Faz-se necessário destacar que os bens de uso
comum e os bens de uso especial, enquanto
conservarem a sua natureza jurídica, são inalienáveis.
 Em ocorrendo a desafetação - fenômeno por força do
qual se transmuda a natureza da destinação ou da
categoria do bem público -, os bens de uso comum e
de bens de uso especial, anilhados à nova realidade,
agora na condição de bens dominicais, podem ser
alienados.
SEMANA 7 AULA 14
• imprescritibilidade - Trata-se a imprescritibilidade
 deoutropredicativodecorrenteda
 indisponibilidade do bem público, por força do qual
 se lhe blinda com o destaque jurídico, segundo o
 qual não se sujeita aos efeitos da usucapião.
• A imprescritibilidade, como garantia, alcança os
 bens públicos móveis e imóveis, sem restrição,
 sejam de uso comum do povo, de uso especial ou
 dominicais, haja vista que o próprio Código Civil
 não discrimina.
SEMANA 7 AULA 14
• impenhorabilidade - Em decorrência do princípio da
 indisponibilidade, o bem público qualifica-se, ainda, pela
 natureza da impenhorabilidade.
• Compete realçar que, de regra, um bem inalienável é um bem
 impenhorável.
• Outorga-se ao bem público - de uso comum do povo, de uso
 especial ou dominical - a qualidade jurídica que o protege de
 penhora, razão por que não pode ser apreendido nem dado
 em garantia.
• Veda-se, também, sejam os bens públicos gravados com
 ônus, motivo pelo qual não podem ser penhorados nem
 hipotecados .
SEMANA 7 AULA 14
Bem de família
• Sob a roupagem dada pela Lei no. 8.009, o bem
 de família dispensa ato formal de instituição,
 porque já constituído pela própria lei, ou pelo
 Estado, e atinge todo e qualquer imóvel onde viva
 família ou entidade, em o tornando impenhorável,
 e assim os móveis quitados que o guarneçam, ou
 ainda esses mesmos móveis quitados existentes
 na casa que - não sendo própria - for alugada.
• Óbvia “norma agendi”. Um direito objetivo, sob
 este aspecto.
SEMANA 7 AULA 14
 Os requisitos essenciais para a
caracterização do bem de família:
 Dois os supostos de direito material para que a
residência da família não seja apreendida
judicialmente:
• o prédio deve ser residencial e, além,
•o grupo deverá estar residindo
 efetivamente.
nele
SEMANA 7 AULA 14
• À hipótese de família multi ou pluridomiciliada, que
 tenha residências onde alternativamente viva (art.
 71 do Código Civil) responde a Lei 8.009 com a
 indicação prévia, pelo proprietário, de apenas uma
 das casas utilizadas, sob pena de se tornar
 impenhorável a de valor menor do acervo.
• Jamais se designa mais de uma residência, ainda
 que em cidades diferentes do território nacional.
 Fica fora do alcance de nossa lei, entretanto, outro
 imóvel residencial situado no exterior.
SEMANA 7 AULA 14
NÃO ESQUEÇA DE LER
O CONTEÚDO RELATIVO À SEMANA 8 PARA A
 PRÓXIMA AULA
E FAÇA OS EXERCÍCIOS NA WEBAULA!
Até lá!!!!
SEMANA 7 AULA 14