CCJ0006-WL-AMMA-15-Atos Ílicitos e Responsabilidade Civil
32 pág.

CCJ0006-WL-AMMA-15-Atos Ílicitos e Responsabilidade Civil

Disciplina:Direito Civil I5.999 materiais252.386 seguidores
Pré-visualização2 páginas
DIREITO CIVIL I
SEMANA 8 AULA 15
DOS FATOS JURÍDICOS
SEMANA 8 AULA 15
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
1- Dos Fatos Jurídicos.
1.1 Noções distintivas sobre fatos, atos e negócios
jurídicos.
1.2 Aquisição, modificação e perda do direito.
1.3 Ato jurídico: conceito, elementos constitutivos,
pressupostos
1.4 Ato-fato jurídico
1.5 Ato jurídico stricto sensu
SEMANA 8 AULA 15
NOSSOS OBJETIVOS
• Conceituar e distinguir os fatos, atos jurídicos e negócios
 jurídicos.
• Compreender e identificar as formas de aquisição,
 modificação e perda do direito.
• Assimilar os elementos constitutivos e pressupostos do ato
 jurídico.
• Conhecer as diversas teorias a respeito dos atos jurídicos.
• Distinguir o ato-fato jurídico e o ato jurídico stricto sensu
SEMANA 8 AULA 15
CASO CONCRETO 1
 Maria desejava muito ter um filho, mas em razão de sua
infertilidade, acabou adotando Francisco, que fora
abandonado ao nascer na porta da maternidade. Em razão
disso, foi necessário montar um novo quarto para receber seu
herdeiro; ela, então precisou comprar móveis novos e um
lindo enxoval para o bebê. Na semana seguinte à adoção de
seu filho, Maria recebeu a notícia do nascimento de seu
sobrinho, Bernardo, filho de sua irmã Filomena e ficou muito
emocionada ao ser convidada para ser sua madrinha.
 a) Encontre no caso narrado: um fato jurídico, ato jurídico e
negócio jurídico.
 b) Por que o fato da irmã de Maria tê-la convidado para ser
madrinha de seu filho não configura um negócio jurídico?
SEMANA 8 AULA 15
CASO CONCRETO 2
 Alcebíades, desde criança, mal consegue se comunicar em
razão de ter nascido com uma anomalia genética, que lhe
dificulta a conversação e o entendimento de coisas banais do
dia-a-dia. Atualmente, ele tem 38 anos e reside em imóvel
próprio. Ontem, caminhando pelo jardim, resolveu cavar um
buraco para plantar uma palmeira, ocasião na qual encontrou
um baú com diversas jóias do Século XVII.
1) Qual a natureza jurídica do ato de Alcebíades ( achar o
tesouro )?
 2)Alcebíades poderá adquirir a propriedade do tesouro
mesmo sendo absolutamente incapaz ? Justifique.
SEMANA 8 AULA 15
QUESTÃO OBJETIVA
Sobre a teoria geral dos fatos jurídicos, assinale a alternativa
INCORRETA.
 a) O que caracteriza o ato-fato jurídico é tratar-se de ato humano
avolitivo que entra no mundo jurídico como fato.
 b) No ato-fato jurídico a vontade do agente não integra o suporte
fático, razão pela qual o louco pode praticá-lo eficazmente.
c) O ato-fato é um fato natural a que se atribui os mesmos efeitos
dos atos humanos.
 d) No ato-fato é irrelevante que o agente queira ou não praticar o
ato, bastando que o pratique para que o ato exista e produza
efeitos.
SEMANA 8 AULA 15
FATOS JURÍGENOS
 • (fato = acontecimento,
 jure=direito, geno=criar –
 fato que cria, que produz
 direito)
• Fato Jurídico, fato jurígeno
 ou fato gerador é todo
 acontecimento a que uma
 Norma Jurídica atribui um
 efeito.
SEMANA 8 AULA 15
 deBarrosdefinecomo:• Washington
 acontecimentos em virtude dos quais nascem,
 subsistem e se extinguem as relações jurídicas;
• Miguel Reale informa que é todo e qualquer fato
 de ordem física ou social, inserido numa
 estrutura normativa;
• Arnold Wald coloca que os fatos Jurídicos são
 aqueles que repercutem no direito, provocando
 a aquisição, a modificação ou a extinção de
 direitos subjetivos.
SEMANA 8 AULA 15
Orlando Secco dividiu os Fatos Jurídicos
da seguinte forma:
SEMANA 8 AULA 15
FATO JURÍDICO EM SENTIDO
 AMPLO (SENTIDO LATO)
 É todo acontecimento, dependente ou não da vontade
humana, a que a lei atribui certos efeitos jurídicos. É o
elemento que dá origem aos direitos subjetivos,
impulsionando a criação da relação jurídica,
concretizando as normas jurídicas. Observa-se que do
direito objetivo não surge diretamente os direitos
subjetivos, é necessário que exista uma “força” que
impulsione o acontecimento contido na norma.
Para um fato ser jurídico é preciso que tenha
alguma conseqüência na inter-relação
humana. Em alguns casos como, por
exemplo, você chega na faculdade e não
cumprimenta um determinado colega, isto
não é um fato jurídico porque não existe lei
que diga que você tenha que falar com
todos os colegas. Já seu irmão, no quartel;
se não bater continência aos colegas de
farda; sofre conseqüências porque existe
uma norma que descreve esta situação e diz
que todos devem se cumprimentar com a
continência.
SEMANA 8 AULA 15
FATO JURÍDICO EM SENTIDO
 ESTRITO (STRICTO SENSU)
• é o acontecimento independente da
 vontade humana que produz efeitos
 jurídicos, que podem ser classificados em:
SEMANA 8 AULA 15
• A) ORDINÁRIO – como o nascimento, a
 morte, a menoridade, a maioridade, etc.
SEMANA 8 AULA 15
B) EXTRAORDINÁRIO
 – como o caso fortuito e a
força maior, que se caracterizam pela presença de dois
requisitos:
1. o primeiro é objetivo, que se configura na inevitabilidade
 do evento; e
2. o segundo é o subjetivo, que é a ausência de culpa na
 produção do acontecimento.
SEMANA 8 AULA 15
• Na força maior conhece-se a causa que
 dá origem ao evento, pois se trata de um
 fato da natureza , como o raio, que
 provoca incêndio, a inundação, que
 danifica produtos.
SEMANA 8 AULA 15
• No caso fortuito, acidente que gera o
 dano, advém de causa desconhecida,
 como o cabo elétrico aéreo que se rompe
 e cai sobre fios telefônicos, causando
 incêndio.
SEMANA 8 AULA 15
 Aqui trazemos os ensinamentos de Silvio de
Salvo Venosa:
“São fatos jurídicos todos os acontecimentos
que, de forma direta ou indireta, ocasionam
efeito jurídico. Nesse contexto, admitimos a
existência de fatos jurídicos em geral, em
sentido amplo, que compreendem tanto os
fatos naturais, sem interferência do homem,
como os fatos humanos, relacionados com a
vontade humana”.
SEMANA 8 AULA 15
• Assim, são fatos jurídicos a chuva, o
 vento, o terremoto, a morte, bem como o
 usucapião, a construção de um imóvel, a
 pintura de uma tela.
• Tanto uns como outros apresentam, com
 maioroumenorprofundidade,
 conseqüências jurídicas.
SEMANA 8 AULA 15
• Assim, a chuva, o vento, o terremoto, os
 chamados fatos naturais, podem receber
 a conceituação de fatos jurídicos se
 apresentarem conseqüências jurídicas,
 como a perda da propriedade, por sua
 destruição, por exemplo.
SEMANA 8 AULA 15
• Assim também ocorre com os fatos
 relacionados com o homem, mas independentes
 de sua vontade, como o nascimento, a morte, o
 decurso do tempo, os acidentes ocorridos em
 razão do trabalho. De todos esses fatos
 decorremimportantíssimasconseqüências
 jurídicas. O nascimento com vida, por exemplo,
 fixa o início da personalidade entre nós. Por aí
 se pode antecipar a importância da correta
 classificação dos fatos jurídicos.
SEMANA 8 AULA 15
• A matéria era lacunosa mormente em
 nossa lei civil de 1916. Em razão disso,
 cadaautorprocurasuaprópria
 classificação,nãohavendo,em
 conseqüência, unidade de denominação. A
 classificação aqui exposta é simples e
 acessível para aquele que se inicia nas
 letras jurídicas.
SEMANA 8 AULA 15
• Partamos do seguinte esquema:
São considerados fatos jurídicos todos os
acontecimentos que podem ocasionar
efeitos jurídicos, todos os atos suscetíveis
de produzir aquisição, modificação ou
extinção de direitos.
SEMANA 8 AULA 15
• São fatos naturais, considerados fatos
 jurídicos em sentido estrito, os eventos
 que independentes da vontade do
 homem, podem acarretar efeitos jurídicos.
 Tal é o caso do nascimento mencionado,
 ou terremoto, que pode ocasionar a perda
 da propriedade.
SEMANA 8 AULA 15
• Numa classificação mais estreita, são atos
 jurídicos (que podem também ser
 denominados atos humanos ou atos
 jurígenos) aqueles eventos emanados de
 uma vontade, quer tenham intenção
 precípua de ocasionar efeitos jurídicos,
 quer não.
SEMANA 8 AULA 15
• Os atos jurídicos dividem-se em atos lícitos e
 ilícitos. Afasta-se, de plano, a crítica de que o
 ato ilícito não seja jurídico. Aqui como levamos
 em conta os efeitos dos atos