{9AB1A1E4-2B67-43F6-A171-BCEFA8B755EF}_Ironia_e_suas_refracoes-NOVA P4
208 pág.

{9AB1A1E4-2B67-43F6-A171-BCEFA8B755EF}_Ironia_e_suas_refracoes-NOVA P4

Disciplina:TEORIA DA LITERATURA I381 materiais27.047 seguidores
Pré-visualização48 páginas
Fontes, 1996.
RIBEIRO, R. J. A marca do Leviatã. São Paulo: Ática, 1978.
RODRIGUES, S. C. Um diálogo no espelho. Revista Tempo Brasi‑

leiro (Rio de Janeiro), n.62, p.114‑27, jul.‑set. 1980.
ROSENFELD, A. Texto/contexto. 3.ed. São Paulo: Perspectiva,

1976.
ROUANET, S. P. Riso e melancolia: a forma shandiana em Sterne,

Diderot, Xavier de Maistre, Almeida Garrett e Machado de As‑
sis. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

SANTILLI, M. A. Arte e representação da realidade no romance
português contemporâneo. São Paulo: Quíron, 1979.

SARAIVA, A. J.; LOPES, O. História da literatura portuguesa.
Porto: Porto Ed., s.d.

SARAMAGO, J. O homem duplicado. São Paulo: Companhia das
Letras, 2002.

SARTRE, J.‑P. et al. Romance e realidade. Lisboa: D. Quixote,
1969.

SCHNAIDERMAN, B. Paródia e mundo do riso. Tempo Brasilei‑
ro (Rio de Janeiro), n.62, p.89‑96, jul.‑set. 1980.

SCHOPENHAUER, A. O mundo como vontade e como representa‑
ção. t.1. Trad., apresent., notas e índices Jair Barboza. São Pau‑
lo: Editora UNESP, 2005.

SCHWARZ, R. O mano capeta do liberalismo (“O sósia”). In:
_____. A sereia e o desconfiado: ensaios críticos. 2.ed. Rio de Ja‑

A IRONIA E SUAS REFRAÇÕES 205

neiro: Paz e Terra, p.81‑96, 1981. (Coleção Literatura e Teoria
Literária, 37).

SIEBERS, T. Figurative language and the fantastic. In: _____. The
romantic fantastic. Ithaca; Londres: Cornell University Press,
p.104‑21, 1984.

_____. Madness, magic, and the romantic self. In: _____. The
romantic fantastic. Ithaca; Londres: Cornell University Press,
p.167‑89, 1984.

SILVA, A. M. Z. da. Humor e sátira: a outra face de Edgar Alan
Poe. Araraquara, 2006. Tese – FCL da Universidade Estadual
Paulista.

STAROBINSKI, J. Ironie et mélancholie I.Ironie et mélancholie I. Critique. v.227, p.291‑
‑308, abr. 1966.

_____. Ironie et mélancholie II.Ironie et mélancholie II. Critique. v.228, p.438‑57, mai.
1966.

TACCA, O. O narrador. In: _____._____. As vozes do romance. Coim‑
bra: Almedina, 1983.

VILLAÇA, N. Paradoxos do pós‑moderno. Rio de Janeiro: Editora
da UFRJ, 1996.

VOLOBUEF, K. Frestas e arestas: a prosa de ficção do romantis‑
mo na Alemanha e no Brasil. São Paulo: Editora UNESP, 1999.

_____. Romantismo na Alemanha e no Brasil: um estudo da prosa
de ficção. São Paulo, 1996. Tese (doutorado em Letras) – Facul‑
dade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de
São Paulo.

WELLEK, R. et al. Teoria da literatura. Lisboa: Europa‑América,
5.ed., s.d.

WAUGH, P. Metafiction. Londres: Routledge, 1990.
WEINRICH, H. Le temps. Le récit et le commentaire. Trad. para oTrad. para o

francês de Michèle Lacoste. Paris: Collection Poètique, 1989.

SOBRE O LIVRO

Formato: 14 x 21 cm
Mancha: 23, 7 x 42,10 paicas

Tipologia: Horley Old Style 10,5/14
2009

EQUIPE DE REALIZAÇÃO

Coordenação Geral
Tulio Kawata

	Bookmark 1