91_marx-karl-o-capital-1
1 pág.

91_marx-karl-o-capital-1

Disciplina:GEOGRAFIA ECONÔMICA1.053 materiais9.172 seguidores
Pré-visualização1 página
tidades iguais de trabalho. Valho-me desse exemplo porque já foi em-
pregado por Benjamin Franklin18 no seu primeiro ensaio, publicado
em 1729, sob o título de Uma Modesta Investigação Sobre a Natureza
e a Necessidade do Papel-Moeda, que é um dos primeiros livros em
que se reconhece a verdadeira natureza do valor. Pois bem, suponha-
mos, como ficou dito, que um quarter de trigo e uma onça de ouro são
valores iguais ou equivalentes, por serem cristalizações de quantidades
iguais de trabalho médio, de tantos dias, ou tantas semanas de trabalho
plasmado em cada uma delas. Acaso, ao determinar assim os valores
relativos do ouro e do trigo, fazemos qualquer referência aos salários
que percebem os operários agrícolas e os mineiros? Em absoluto, nem
por sombra. Não dizemos, sequer remotamente, como se paga o trabalho
diário ou semanal desses obreiros, nem ao menos dizemos se aqui se
emprega, ou não, trabalho assalariado. Ainda supondo que se empregue
trabalho assalariado, os salários podem ser muito desiguais. Pode acon-
tecer que o operário cujo trabalho se plasma no quarter de trigo só
perceba por ele dois bushels,19 enquanto o operário na mina pode ter
percebido pelo seu trabalho metade da onça de ouro. Ou, supondo que
os seus salários sejam iguais, podem diferir nas mais diversas propor-
ções dos valores das mercadorias por ele produzidas. Podem representar
a metade, a terça, quarta ou quinta parte, ou outra fração qualquer
daquele quarter de trigo, ou daquela onça de ouro. Naturalmente, os
seus salários não podem exceder os valores das mercadorias por eles
produzidas, não podem ser maiores que estas, mas podem, sim, ser
inferiores em todos os graus imagináveis. Seus salários achar-se-ão
limitados pelos valores dos produtos, mas os valores de seus produtos
não se acharão limitados pelos salários. E sobretudo aqueles valores,
os valores relativos do trigo e do ouro, por exemplo, se terão fixado
sem atentar em nada no valor do trabalho invertido neles, isto é, sem
atender em nada aos salários. A determinação dos valores das mer-
cadorias pelas quantidades relativas de trabalho nelas plasmado difere,
como se vê, radicalmente, do método tautológico da determinação dos
valores das mercadorias pelo valor do trabalho, ou seja, pelos salários.
Contudo, no decurso de nossa investigação, teremos oportunidade de
esclarecer ainda mais esse ponto. Para calcular o valor de troca de
uma mercadoria, temos de acrescentar à quantidade de trabalho in-
vertida nela, em último lugar, a que antes se incorporou nas maté-
rias-primas com que se elaborou a mercadoria e o trabalho aplicado
aos meios de trabalho — ferramentas, maquinaria e edifícios — que

MARX

93

18 Benjamin Franklin (1706-1790), filósofo e estadista norte-americano, tornou-se conhecido
desde a publicação do seu primeiro ensaio: A Modest Inquiry into the Nature and Necessity
of a Paper Currency. (N. do E.)

19 Medida inglesa para secos, equivalente, nos Estados Unidos, a 35,238 litros, e, na Inglaterra,
a 36,367 litros. (N. do T.)