Redes - Cabeamento Estruturado
67 pág.

Redes - Cabeamento Estruturado

Disciplina:REDES DE COMPUTADORES4.720 materiais121.371 seguidores
Pré-visualização38 páginas
e quaisquer outros tipos de onda de corrente alternativa com que você alimentá-los.Entretanto, se você pretende reforçar as impressoras com um no-break, os circuitos elétricos de muitasdelas preferem as ondas senoidais puras às suas primas mais irregulares.Francamente, apesar de a maioria das especificações divulgadas por fornecedores de no-break iráalimentar os dispositivos da rede durante a maioria das falhas de fornecimento. A segunda é se ele iráinformar aos servidores que a carga está acabando e que é hora de desativar o sistema.Dois estudos conduzidos pela IBM e a Bell Laboratories investigaram o tipo e a natureza dos distúrbioselétricos. Os estudos revelaram que mais de metade dos distúrbios elétricos ocorre em média duas vezespor semana na maioria das instalações comerciais.As falhas elétricas são classificadas em duas categorias: as que duram minutos e as que duram horas. Asfalhas que duram alguns minutos acontecem quando algo - um raio, um rato ou um balão - cria umasobrecarga na linha de energia elétrica, causando a desconexão de um disjuntor. Como têm recursosautomáticos, em alguns segundos ou minutos, esses disjuntores podem estabelecer a conexão.As falhas com várias horas de duração acontecem quando algo - um poste derrubado, um incêndio ou ovento - interrompe fisicamente o sistema de transmissão de energia elétrica. Esse tipo de falhanormalmente dura até o momento em que o serviço é reparado.Se você precisa de uma fonte de alimentação absolutamente permanente, mesmo durante falhas de muitashoras, utilize um gerador para complementar o seu no-break, e não um no-break extremamente grande.Mas se você deseja sobreviver a uma interrupção de curta duração e só quer ter tempo para desativar osistema quando a falha se tornar maior, irá precisar da alimentação do no-break durante alguns minutosapenas. Quase todos os no-breaks do mercado suportam um servidor cheio de acessórios durante mais dedez minutos.O no-break típico consiste em um conjunto de baterias, um recarregador de bateria e um inversor deforça. O inversor converte a voltagem relativamente baixa das baterias nos 117 volts típicos de corrente

alternada fornecidos pela rede elétrica. É difícil produzir energia elétrica senoidal pura com um inversor,pois ele cria uma corrente alternada ligando e desligando rapidamente a corrente contínua das baterias. Atransformação desses pulsos em ondas senoidais puras exige muita potência dos circuitos. O recarregadormantém as baterias totalmente carragadas durante a operação normal do sistema, ou seja, com a energiada rede elétrica.As baterias maiores permitem que os sistemas tenham energia durante um maior período de tempo. Aenergia de saída e a duração de saída aumentam ou diminuem em uma relação inversa. Todos os no-breaks modernos utilizam baterias lacradas que não requerem manutenção. A exemplo das bateriascomuns de automóvel, essas baterias também se baseiam em algum tipo de tecnologia de ácido de chumboque, com freqüência, incorpora um eletrólito gelatinoso, a fim de proporcionar mais segurança ao agentequímico ativo e impedindo que ele seja derramado ou produza gases nocivos.Os no-breaks diferem principalmente em relação à capacidade de armazenamento das baterias, àcapacidade de produção de energia do inversor, à saída de forma de onda do inversor e ao fato de oinversor operar constantemente ou somente quando a voltagem de entrada alcançar um determinadonível. Os sistemas que utilizam inversores permanentemente ativos devem ter um projeto mais sofisticadoe componentes mais robustos e, portanto, custam mais caro. Dentre as pequenas diferenças existentesentre os produtos estão os indicadores, que sinalizam a situação da bateria e da carga, e os alarmes visuaise sonoros, que informam a ocorrência de problemas.Nem todos os no-breaks funcionam da mesma forma. A maioria dos produtos mais simples e de menorcusto funciona como sistemas elétricos auxiliares (SPSs). Eles controlam a rede elétrico e, se houver umproblema, acionam o inversor, que é elétrica para a bateria, denominado tempo de transferências, podeser de apenas alguns milissegundos. Entretanto, as fontes de alimentação dos computadores de mesa nãocausam qualquer problema ao sistema.O no-breaks on-line, que normalmente custam mais caro, estão sempre obtendo energia do inversorenquanto as baterias continuam sendo carregadas a partir da rede de energia elétrica. Nenhuma falha oupulso de ruído da rede elétrica afeta o PC, pois o inversor rapidamente fornece a ele uma correntealternada. Quando há falha no fornecimento de energia elétrica AC, a bateria passa a alimentar oinversor. O dispositivo protegido nunca fica mais do que um milissegundo sem energia, e o tempo detransferência praticamente inexiste.Alguns produtos parecem ser sistemas on-line, pois são capazes de se ajustar a voltagens mais baixas semutilizar a bateria auxiliar. No entanto, a exemplo dos SPSs, eles não deixam seus inversores funcionando otempo todo. Esses dispositivos utilizam um projeto de transformador especial que gera a onda senoidalnecessária para se obter uma voltagem mais estável e uma saída livre de distorções. Os produtos com essetipo de transformador oferecem excelentes recursos de filtragem de linha com um tempo de transferênciapraticamente inexistente. Tais produtos são classificados em uma categoria híbrida de no-break.O no-break que suporta um servidor de rede deve se comunicar com ele e informá-lo para que feche osarquivos e se desconecte quando a energia de sua bateria estiver chegando ao fim. A maioria dosprogramas de interface de redes locais e no-breaks também informa quando o servidor começa a usar aenergia da bateria.Além da conexão elétrica, o método de ligação do no-break ao servidor também varia. Para que vocêpossa monitorar o no-break, a maioria das empresas fornece o software são nacessários para as suascombinações de hardware e sistema operacional.A UL (Underwriters Laboratory) tem um padrão de segurança para fontes de alimentação permanentes.No Canadá, a CSA (Canadian Standards Association) desempenha a mesma função. O padrão 1778 da ULdescreve exatamente o que é um no-break e o que ele faz. Os testes da UL enfatizam a segurança dosprodutos, e apenas os produtos que passam nos procedimentos de teste específicos podem ter o selo da UL.Muitas instituições federais e estaduais e empresas privadas exigem que os produtos comprados por elastenham a aprovação da UL. Acreditamos que a aprovação da UL ou da CSA deva ser uma importanteconsideração quando você comprar um no-break.A proteção do no-break, combinada a outras recomendações elétricas e de aterramento ilustradas naFigura 7.7, manterão a sua rede segura e confiável. Os fios elétricos são tão importantes para o bomdesempenho da rede quanto seu cabeamento - afinal, estão em jogo a segurança e o desempenho dosistema de computador.Você deverá ter no-breaks para todos os servidores, hubs de fiação, pontes e roteadores da rede. Comovocê não precisa gastar uma quantia enorme com produtos muito grandes e caros, também poderáadquirir fontes de alimentação auxiliares para os computadores de mesa. Tomando como base alguns

critérios como a aprovação da UL, a interface de rede correta e as dimensões apropriadas, você poderáignorar os termos técnicos e escolher um dentre os muitos produtos de boa qualidade do mercado.
"Passamos um ano inteiro sem ter um problema sequer. Agora, nos 30 últimos dias, enfrentamos falhas queparecem ser problemas de cabeamento intermitentes. Estou confuso, Willy.""Está bem, Margaret, vejamos o que é possível fazer." Willy pretendia conectar um analisador de cabos emuma tomada de parede para medir o ruído e a diafonia no segmento de cabo entre a parede e o gabinete defiação. Mas quando ele desconectou o cabo de estação que ligava a estação de trabalho à tomada, algo saiuerrado. "Essa tomada RJ-45 é meio suspeita. A OK Cable não preparou os seus cabos de estação, não éverdade?""Não, nossa equipe de manutenção os preparou depois de a instalação estar concluída", Margaretrespondeu."Bem,