Redes - Cabeamento Estruturado
67 pág.

Redes - Cabeamento Estruturado

Disciplina:REDES DE COMPUTADORES4.679 materiais121.170 seguidores
Pré-visualização38 páginas
vamos ver como eles estão", Willy sugeriu.Willy e Margaret conversaram com o supervisorde manutenção e pediram para ver os conectores RJ-45 e asferramentas de pressão que haviam sido comprados. "Você se lembra de quanto pagou por essa ferramentade pressão?" Willy perguntou."Lembro", o supervisor respondeu, "US$ 40 - uma verdadeira pechincha."Willy suspirou. "Acho que foi o pior negócio que você podia fazer. As boas ferramentas desse tipo custammuito mais de US$ 100. A ferramenta que você comprou não permite posicionar o plugue da formaadequada. Além disso, é necessário ter uma boa pressão para que o conector fique bem firme. Olhe só, osdentes ficam desalinhados quando você aperta os pegadores da ferramenta." Willy não queria parecercrítico, mas comprar ferramentas baratas o deixava muito irritado. Em seguida, ele examinou os conectoresRJ-45 que estavam na caixa junto com a ferramenta de pressão."Muito bem", ele disse. "Esses conectores são para fios sólidos, mas os fios dos seus cabos de estação sãotorcidos. Veja só, esses conectores só têm dois dentes por fio. No caso de fios sólidos, esses dentes irãosegurá-los e prendê-los. Após um certo tempo, o fio trançados acaba saindo dos dentes. Isso aconteceindependente de você tocar ou não no cabo de estação. Mas se ele for movimentado durante faxinas e outrasatividades diárias, o problema aparecerá mais rápido. Os conectores para fios torcidos têm apenas um únicocondutor que segura e prende os filamentos do fio, mas não servem para fios sólidos.""Portanto, os conectores que temos em todos os cabos ligados a todos os PCs são pequenas bombas-relógioesperando para explodir", Margaret disse. "Willy, será que a OK Cable pode substituí-los?"Willy já estava abrindo sua pasta para pegar a ferramenta de pressão de nível profissional que seria maisadequada para o trabalho.A exemplo de uma corrente, um sistema de cabeamento de rede é tão forte quanto sua ligação maisfraca. Em geral, a ligação mais fraca de um sistema de cabeamento é o cabo de estação, que liga ocomputador à tomada da parede. Uma instalação de cabeamento de primeira classe merece conectoresde alta qualidade. Caso contrário, esse excelente sistema funcionará tão mal quanto um sistema deterceira classe - ou pior ainda.Em um sistema de cabeamento estruturado, a ligação entre o gabinete de fiação e o nó da rede é feitanormalmente por um fio de par trançado sem blindagem, apesar de você também poder usar um cabode fibra ótica. Essa configuração, e o fisicamente semelhante IBM Wiring Plan, utiliza saídas deinformação, conectores e cabos separados entre a parede e os nós da rede. Mesmo quando você utilizaum sistema Ethernet fino com cabos coaxiais percorrendo cada nó, uma tomada de parede proporcionaconfiabilidade e segurança. No entanto, uma saída de informação e os conectores a ela associadostambém podem funcionar como uma fonte de ruído elétrico, de alta resistência e de diafonia. Tenhacuidado para não perder a qualidade da sua instalação.Os três componentes da ligação final que mais comumente geram problemas sérios na rede são oconector da saída de informação, os conectores do cabo de estação e o próprio cabo de estação. Como aspessoas mudam de escritório e constantemente modificam a posição de suas mesas e equipamentos, essecabo e tais conectores ficam sujeitos a um desgaste maior do que qualquer outro elemento da rede.Tudo isso os torna muito propensos a falhas. Além do mais, a conexão entre os fios de cobre e oconector metálico deve obedecer a um método de instalação específico. Caso isso não aconteça, a ligaçãomais frágil irá se tornar duplamente fraca. Este capítulo trata dos três componentes da ligação final darede, e sugere estratégias para evitar problemas.

SAÍDAS DE INFORMAÇÃONormalmente você utilizará tomadas de parede como ponto de conexão entre a fiação horizontal e o cabode estação que se estende até o nó. No entanto, essas tomadas são apenas uma alternativa dentre asdiversas "saídas de informação" existentes. Esses produtos abrangem as tomadas instaladas na parteinterna ou externa do assoalho e até mesmo as tomadas utilizadas nas mesas de trabalho.As saídas de informação são facas de dois gumes. De um lado, você precisa delas porque elas protegem afiação horizontal do manuseio de funcionários durante faxinas ou a movimentação de equipamentos. Alémdisso, elas mantém a instalação organizada e eliminam aquele amontado de cabos enrolados pelo chão. Noentanto, as saídas de informação incluem dois conectores (um na própria saída e outro no cabo de estação)em um cabo que, de outra forma, iria direto do gabinete de fiação para o nó ou de um nó para outro. Alémdisso, todos os conectores são uma fonte de problemas em potencial. Você precisará de saídas deinformação, mas elas deverão ser cuidadosamente instaladas.O último conceito a surgir no setor de saídas de informação foi o das "saídas modulares". Diversasempresas, inclusive a Amp e a Mod-Tap vendem tomadas contendo vários conectores que variam desde ocomum RJ-45 às sofisticadas conexões token-ring e de fibra ótica. Você também pode encontrar móduloscom conectores coaxiais BNC (para obter maiores informações, consulte a seção "O Conector CoaxialBNC", apresentada a seguir). Essas unidades modulares são encaixadas à estrutura da saída deinformação. Portanto, você pode configurar e modificar as saídas de acordo com as necessidades da suaempresa. Quando você utiliza uma conexão modular, pouco importa se há cabos de pares trançados semblindagem, cabos de pares trançados blindados ou cabos coaxiais no seu esquema de fiação e se aconfiguração é em estrela ou em margarida. O importante é que você dispõe de uma saída de informação.A conexão na parte traseira da saída de informação (o lado voltado para o gabinete de fiação em umsistema configurado em estrela) raramente apresenta problemas, pois não fica sujeito a movimentação oudesgaste. Conectar fios de pares trançados sem blindagem a tomadas modulares RJ-45 é um processomuito simples - outro ponto a favor do UTP. Em uma tomada modular típica, os fios presos dentro deaberturas localizadas em sua parte traseira, como mostra a Figura 8.1. Um "prendedor" de plástico fazcom que os fios fiquem fixos no lugar. Dentes metálicos nas aberturas perfuram a cobertura de isolamentodos fios para estabelecer a conexão elétrica. Para estabelecer a conexão, não há necessidade de os fiosserem desencapados e você praticamente não precisa mexer nas partes trançadas desses fios.DICASempre que usar cabos UTP ou STP, mantenha o trançado dos fios o mais semelhante possível ao formatooriginal. Desfaça o trançado dos fios o mínimo possível ao estabelecer a conexão, pois ele cria uma proteçãocontra diafonia. Portanto, não sacrifique um centímetro sequer dessa proteção!As conexões de saída de informação existentes na parte traseira dos conectores modulares usados emcabos coaxiais e em cabos de pares trançados blindados são praticamente idênticas às conexões do cabo deestação.
O CABO DE ESTAÇÃOO cabo de estação, às vezes chamado de cabo de derivação (um termo que deveria ser reservado aos cabosde derivação utilizados em gabinetes de fiação), liga a saída de informação ao nó da rede, ou seja,estabelece uma conexão entre a tomada da parede e a mesa de trabalho. Os cabos de estação, com exceçãodo Ethernet fino, utilizam fios torcidos para aumentar a flexibilidade do cabo e sua resistência a rupturacausadas pelo desgaste físico.Apesar de você considerar o cabo de estação como um simples pedaço de fio, algumas configurações otornam uma parte ativa da rede. Por exemplo, muitas empresas vendem cabos especialmente configuradoscom "filtros de meios físicos" que permitem a conexão de uma placa de interface de rede token-ringprojetada para cabos de pares trançados blindados a uma fiação horizontal de pares trançados semblindagem. A Figura 8.2 mostra um cabo equipado com um filtro de meios físicos. Você também podeadquirir cabos equipados com dispositivos denominados baluns, que permitem a conexão de uma placa deinterface de rede Ethernet